Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

BAR DA JIA - Por Mundim do Vale


No ano de 1.972, Zé Clementino veio a Fortaleza para visitar seus pais. Moravam no bairro Montese. No mesmo bairro morava: João Morais, Zé Leandro e esse contador de causos. Como Zé não conhecia a cidade, nós fomos seus cicerones.

Naquela época uma grande atração na cidade era o Bar da Jia ou Bar do Mouzinho que ficava no Porangabuçu, onde recebia turistas e artistas para apreciar seu prato principal que era jia.

Num sábado à noite nós convidamos Zé para tomar umas cervejas e nos dirigimos até o Bar da Jia. Chegando lá fomos atendido pelo próprio Mouzinho, que já passava o menu dizendo: Tem frango, bisteca e jia.

Zé Clementino olhou pra ele com expressão de espanto e perguntou: Jia?
Sim. É muito gostosa.
E tem gosto de que?
Tem gosto de frango.
Então para mim você trás frango que eu já tenho costume de comer.

Um comentário:

  1. Esse era o Ze Clementino, sincero, sabio e que não trocava o certo pelo duvidoso.

    ResponderExcluir