Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 25 de março de 2017

055 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Nas postagens anteriores, falei do grande orador e homem intelectual que foi o Dr. Dario Batista Moreno. Ex-prefeito de nossa cidade, pessoa de fina lhaneza no trato com as pessoas, porém não gostava de lengalenga, de bajulação.

Havia em Várzea-Alegre, a época, um vereador que por nada estava usando a palavra e fazendo aquele belo e memorável discurso. Bastava reunir três ou quatro pessoas numa roda que o orador pedia a palavra e mandava o verbo.

Dr. Dario não gostava nada daqueles vexames, ou seja, do vocabulário do nobre Ruim Barbosa. Durante o seu governo, por ocasião da inauguração de uma escola no distrito de Naraniú, com a presença do vice-governador do Estado Joaquim de Figueiredo Correia, nosso conterrâneo, o Dr. Dario prevendo o discurso do vereador foi à casa do ilustre edil e falou que como era uma reunião simples, o vereador podia convidar os amigos, “mas não havia necessidade de fazer nenhum discurso”.

Mais que nada. Na hora marcada, ao chegar com a comitiva no local, o vereador subiu num tamborete e começou um solene discurso nos termos que se segue : “Incelentismo compadre Figueiredo Correia, reverendísimo prefeito Dr. Dario Moreno e demais oturidades que aqui tão... – Eu num tem palavras”.... Dr. Dario se aproximou bem do ouvido do vereador e falou : palavras você tem, o que você não tem é vergonha!

7 comentários:

  1. Nunca na vida vi tanta sinceridade. Falou de supetão e saiu fazendo a vistoria da escola com a mão no ombro do correligionario.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa essa história, Morais. Mas e o vereador ? mandou seu recado ou parou o discurso ????
    abraçosss

    ResponderExcluir
  3. Dr. Flavio.

    Como promotor de justiça voce pode se orgulhar de seus conterraneos promotores Dr. Oto de Otoni Carvalho e Dr. Dario Batista Moreno. Grandes defensores da aplicação das leis. O vereador parou, mas foi prestigiado, o prefeito andou a escola toda com a mão no ombro do mesmo. O interessante é que essa historia é veridica o vereador se chamava Zuza de Barros.

    ResponderExcluir
  4. Boa Morais, essa história. Prefeito habilidoso. Soube tirar o doce do vereador-"orador"-correligionário, em compensação não lhe negou um afago.
    Dei boas risadas. Conte-nos mais!

    ResponderExcluir
  5. Dário Batista Moreno era filho de Arlinda Batista de Freitas, do Sítio Mocotó e de Vicente Batista Moreno, que por muitos anos teve uma loja em Várzea Alegre. Vicente mudou-se para Recife onde formou sete dos nove filhos. Zé Moreno, Ivan, Dário e Douglas - Advogados, Jussue e Francinete - Médicos e Berenice - Letras. Os outros dois filhos, André Moreno se tornou comerciante em Recife e Edvar Moreno em Fortaleza. Dário viveu seus últimos anos na Cidade de Porto Alegre onde era Diretor Financeiro da APLUB. Faleceu em 97.

    ResponderExcluir
  6. Dr. Dario Moreno renunciou ao mandato para assumir o Ministério Publico Federal. Quem tirou o restante do mandato foi o seu vice José de Ginu. Estou fazendo esta observação porque outro dia um historiador da terra contestou uma postagem minha dizendo que em 1962 não existia a figura do vice-prefeito. Já em 1954 José Teixeira de Morais foi candidato a vice numa chapa com José Carvalho ambos derrotados.

    ResponderExcluir
  7. Tive o privilégio de privar da amizade de Dario. Juntamente com Jose Aeldo (dedé de zé tavares), tivemos muitos momentos de grande divertimento e prazer. Era um homem culto, elegante, inteligente e extremamente dedicado à arte de viver. Inigualável como bom papo e bom copo, com sua bebida predileta - ron montilla. Saudade.

    ResponderExcluir