Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quarta-feira, 1 de março de 2017

036 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Josefa Alves de Morais - Madrinha Zefa.

Talvez tenha sido a mais dedicada religiosa de Várzea-Alegre no seu tempo. Caprichosa e zelosa com as coisas da igreja cristã. Visitava todas as pessoas enfermas, fossem brancas, pretas, ricas, pobres, jovens, idosas, bonitas ou feias.

Na década de 40 do seculo passado Ana Vieira, casada com José Pereira do sitio Boa Vista queimou o corpo com querosene numa tentativa de suicídio. Numa época em que não existiam meios, remédios, nem médicos.  O sofrimento era enorme causando pesar aos familiares e amigos.

Depois uma uma visita madrinha Zefa mandou o filho José André na casa do Padre Otávio solicitar que fosse a casa da doente lhe dar a confissão. Houve então o dialogo que se segue entre José André e o Padre:

Zé André - Padre, mamãe me mandou aqui para acertar o horário de trazer os animais para o Senhor ir a Boa Vista confessar Ana Vieira.

Padre Otávio - Eu devia não ir. Essas velhas duram demais e atentam contra suas próprias vidas. O padre conhecia Ana Vieira, sabia que se tratava de uma idosa de 75 anos e conhecia a historia da tentativa do suicídio.

Zé André - Padre, não é questão de idade. Semana passada Vicente, filho de Valentim Rocha se suicidou e ele tinha apenas 17 anos.

Padre Otávio - Por que era um ignorante, não sabia o valor que a vida tem para Deus.

Zé André - Não Padre, não há como entender esse mistério. O Senhor sabe que o Padre José Gonçalves Ferreira se suicidou no posto de vigário da igreja de São Raimundo..

Padre Otávio - Zé André não tem jeito pra tu não, amanha traga o cavalo que eu vou atender o pedido de dona Zefa.

No outro dia, os dois seguiam a cavalo e, quando passavam na Rua do Juazeiro, Valdivina de Freitas perguntou: Seu Vigário, vai pra onde? Vou confessar um a doente, não sei onde fica a casa dela não. José André encerrou a conversa dizendo: Sabe Valdivina, todo ano o padre passa na casa dela pedindo arroz para São Raimundo.

7 comentários:

  1. Uma das pessoas mais respeitadas na Várzea Alegre no seu tempo. ela tinha atenção dos padres que passaram por aqui naquele tempo. E ainda hoje sua memória também é muito respeitadíssima. Mas tinha um grande defeito: Correlionária forte dos Correias. kkkkk

    ResponderExcluir
  2. Prezado Geovane.

    A amizade entre Padre Otavio e Ze André era tamanha que havia o espaço para essas prosas.

    Quanto a madrinha Zefa ser correligionária dos Correias ela estava com a razão. Tanto é que os seus netos influentes na vida politica, que a época não eram, depois passaram a ser e continuam sendo.

    Madrinha Zefa nunca votou, não era eleitora, mas existia uma amizade reciproca entre ela e as filhas do Cel. Antonio Correia.

    ResponderExcluir
  3. E a D. Valdivina era mesmo muuuuito
    curiosa. Que diabo ela queria perguntado pra onde o outro ia?
    Teve a resposta que mereceu. Eita Seu Zé André, não era fácil!

    ResponderExcluir
  4. Eita MORAIS,que essa postagem veio direta do CÉU, em???? Um valioso resgate..., Uma MEMÓRIA digna de toda a nossa admiração, todo o nosso respeito. Realmente a vida da sua avó, madrinha ZEFA, foi abençoada...Uma senhora , que na sua missão de crstã, desempenhou muito bem o seu papel, tudo fazendo sob os ensinamentos da Doutrina Evangélica...Uma criatura voltada para a devoção, a oração e demais atos religiosos. Praticante assídua do terço em família/comunidade...Tive a honra de conhecê-la de perto.
    Recordo com saudades; uma das alegrias da minha infância era ir pra casa de PEDRO DE MANÉ/MARIA DO CARMO/MADRINHA TETÊ, e ficar pra dormir, porque sempre a noite o pessoal ia rezar o terço na casa de sua avó. Sempre aquelas famílias se reuniam em orações. Uma verdadeira bênção...!!!
    Com certeza, as suas ações/orações conduziram-na ao REINO de DEUS...!!!

    Grande abraço...
    ..

    ResponderExcluir
  5. Morais,
    E só brincadeira minha, Eu sei que el aera muito amiga de D. Comstância Correia, de D. Petronila,etc.Foi quem catequisou o Sanahrol naquele tempo. Ensiou a reza a todos. Levava caravanas ! Capela de Maria de Bil ,CRuz de Licosa, incentiva a confissão, enfim, uma missionária bastante dedicada e nada mais que justo merecia a atenção dos sacerdotes.

    ResponderExcluir
  6. Torna-se muito agradável valar de uma pessoa que tem história, sem sombra de dúvida foi à santa Zefa de nossa comunidade e circunvizinha. Boa Mãe, boa esposa, excelente professora dos ensinamentos religiosos e tinha para todos e para todas um carinho especial sem distinção de cor ou de raça.
    Fico muito emocionado quando falo de Madrinha Zefa, pois além de me tratar como príncipe foi minha orientadora e professora com vista ao preparo para a primeira comunhão. Falo do fundo do meu coração a tenho como uma verdadeira mãe e ainda hoje sinto grande sentimentos pelo seu falecimento. Quero deixar bem claro para o Giovane e o público em geral que a política de Madrinha Zefa sempre foi voltada para fazer o bem ao povo baseado nos princípios de Deus.

    ResponderExcluir
  7. faço minha as palavras do João, eu acho que política pra mim é defeito isso tratando pela politicagem, mas desde que eu me entendo de gente que tenho uma forte ligação como Sanharol, (já que minha avó materna é do Canto, meu avô do São Vicente e minha mãe Boa vista, e tenho muitos parentes no Sanharol) nunca vi alguém falar mal de dona Zefa, só as palavras que João quando diz santa Zefa...Sempre foi voltada para fazer o bem ao povo baseado nos princípios de Deus. Mas histórias dessa grande ícone varzealegrense tem que ser postada para os jovens conhecerem, pois só se registram histórias de pessoas ricas ou que sejam artistas, mas pessoas como dona Zefa do Sanharol existem poucas e essas poucas temos que divulgar pois ela semeou em sua vida mais qualidades que defeitos é isso que penso abraços a todos

    ResponderExcluir