Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 13 de abril de 2017

062 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Bife na Quinta - Feira Santa

Manuel de Antônio Leandro do Sanharol, resolveu ir para São Bernardo por volta da década de 1970. Já estavam por lá vários de seus irmãos, Benedito, José, Chagas, Nonato, Geovani.

O Manuel levou um certo azar. Chegou em um momento que não estava fácil encontrar emprego. Passou dez dias na casa de um irmão,  dez na casa de outro e assim ia levando a vida. 

Um belo dia teve noticias de uma empresa em Osasco precisando de mão de obra e Manuel seguiu pra lá.

Foi fácil, na mesma semana já estava trabalhando. Na Quinta-feira maior, quando chegou a hora do almoço, o Manuel chegando no refeitório apanhou uma bandeja colou arroz, macarrão,  feijão e um bife pesando umas trezentas gramas. 

Começou a degustar numa ferocidade  nunca vista. Um conterrâneo olhou para o Manuel e disse: Manuel, você vai comer carne na quinta-feira maior? 

Manuel respondeu: eu vou que o padre Otávio não está vendo.

Um comentário:

  1. O varzealegrense é alegre e bem humorado. Não perde a oportunidade de ri e fazer rir.

    ResponderExcluir