Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 20 de maio de 2017

061 - O Crato de Antigamente - Por Antônio Morais.

Na década de 50 do século passado e inicio da quadra chuvosa, um jeep que vinha da "Nascente", trazendo para cidade um militar e duas prostitutas, deu o "prego" bem no meio do Rio das Piabas, Grangeiro.  

O militar foi atrás de socorro  e as duas mulheres ficaram esperando dentro do veiculo. Nisso, uma grande chuva formou-se no município de Barbalha  e veio margeando a serra  para o lado cratense, desabando nas encosta da Chapada  um verdadeiro temporal. 

Na cidade não choveu!  As pobres mulheres que estavam no veiculo foram surpreendidas  pela enxurrada e morreram. Este foi o primeiro grande acidente  com morte registrada naquele manancial.

Hoje ele está poluído e sem atrativo, mas já foi descrito pela escritora cratense Telma Brito, em um colorido poético, como o rio de sua adolescência. Na época ele merecia aquela circunstância feliz. Hoje encontra-se sujo, assoreado, mas ainda vivo e cobrando o que lhe roubaram. 


5 comentários:

  1. Este rio que passa aqui gemendo,
    E vem da serra envolto em mil cipós,
    Anda a gemer desde que me entendo,
    Desde que se entenderam os meus avós.

    José Alves de Figueiredo.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei imaginando a atitude do militar. Fui Sargento do Exército Brasileiro e sempre que falam de militar eu tenho interesse. Sgt Jozinaldo. Um TFA a todos.

    ResponderExcluir
  3. Jozinaldo Freitas - É de se imaginar a repercussão na época. Há quase 70 anos atrás os costumes eram outros bem diferentes. Se exigiam bem mais das autoridades.

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo Antônio Morais, não sei se você se refere ao Rio Grangeiro que passa cortando a cidade através de um canal bastante poluído, ou ao rio Saco ou Sá Ponte que corre pelas imediações do Mirandao. Quanto ao rio do canal deve serem tomadas providências urgentes. O ex-prefeito Samuel Araripe tinha uma boa ideia. Barrar o Rio montante dá cidade. Teríamos água que poderia reforçar o abastecimento.

    ResponderExcluir
  5. Caro Carlos - Fato do Rio Grangeiro que corta a cidade. A melhor definição para este rio foi dado por José Alves de Figueiredo num soneto que leva o seu nome, cuja primeira estrofe está no meu primeiro comentário acima. Um bom dia.

    ResponderExcluir