Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 19 de outubro de 2019

BOLSONARO REPETE ERROS DE LULA E DILMA NA CÂMARA - Por Claudio Humberto.

Deputados são intolerantes com interferências explícitas de presidentes da República na Câmara. 

Lula cometeu esse erro. Era presidente, no auge, quando tentou impor Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado pedante, para substituir Virgílio Guimarães, mineiro boa praça, como candidato do PT à presidência da Câmara. 

Os governistas racharam e o resultado da confusão foi a vitória de Severino Cavalcanti (PP-PE).

ERRO FATAL.
Dilma vetou o acordo do PT para apoiar Eduardo Cunha à presidência da Câmara. A interferência lhe custaria o mandato.

DEU NO QUE DEU.
Arlindo Chinaglia, nome de Dilma, perdeu feio. O PT ficou sem cargos e influência, enquanto Eduardo Cunha articulava o impeachment.

REBORDOSA FEIA.
A Câmara sempre reage mal a interferências do Executivo, daí a rebordosa imposta a Bolsonaro e ao filho que queria ser o líder do PSL.

PSL coloca Jair Bolsonaro numa camisa de força - Por Josias de Souza

Há diversas modalidades de maluco no mundo. Jair Bolsonaro é do tipo que não aguenta viver em situação de normalidade por muito tempo. Ele costuma se recolher a um mundo de pesadelos. Ao dar uma de maluco com o seu próprio partido, Bolsonaro transformou o PSL num pesadelo do qual será difícil acordar. PSL agora significa Partido do Sanatório de Loucos.

Bolsonaro comprou briga com um profissional do ramo partidário. Luciano Bivar, o chefão do partido, administra o PSL como um cartório. Em reação à investida de Bolsonaro, Bivar transformou a legenda momentaneamente num sanatório para tratar de Bolsonaro e do seu grupo. O presidente da República foi submetido a uma imobilização muito parecida com uma camisa de força. E o grupo de Bolsonaro recebe tratamento de choque.

A direção do sanatório tomou três providências. Numa, suspendeu cinco deputados leais ao presidente, impedindo que voltem a assinar listas para colocar o Zero Três Eduardo Bolsonaro na liderança do partido na Câmara. Noutra, empurraram para dentro do diretório nacional 52 novos membros, transformando a maioria pró-Bivar numa muralha que Bolsonaro terá dificuldade de transpor se quiser tomar o controle da legenda. Num terceiro movimento, o PSL decidiu se equipar para afastar os filhos de Bolsonaro —Eduardo e Flávio—do comando da legenda em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Bolsonaro e seu grupo analisam a hipótese de recorrer à Justiça. Afora o caminho judicial, restaram outras duas alternativas ao presidente: negociar uma composição com os malucos rivais ou trocar de partido -o que no Brasil significa apenas trocar de problema. Por ora, a briga continua. Estão todos de olho na chave do cofre, porque maluco partidário não rasga dinheiro. Um lado acusa o outro de desonestidades constrangedoras. A plateia já não consegue distinguir quem é quem.

EM NOVA INVESTIDA DE BIVAR, PSL ELEGE NOVO DIRETÓRIO NACIONAL - Por o Antagonista.


Na convenção do PSL que ocorre nesta manhã, a portas fechadas, em um hotel de Brasília, os deputados mais ligados a Luciano Bivar estão elegendo o novo diretório nacional do partido.

Um dos deputados que participa da reunião disse a O Antagonista que só há duas opções de voto: uma chapa formada pelo grupo de Bovar ou voto em branco.

Como noticiamos mais cedo, a ala mais bolsonarista do PSL não sabia da convenção, cujo comunicado foi divulgado no Diário Oficial.



sexta-feira, 18 de outubro de 2019

STF a serviço de advogados ricos - Por José Newmanne Pinto.


Nos últimos dez anos, o STF tem tentado mudar a jurisprudência que autoriza juiz a mandar condenado em segunda instância a começar a cumprir pena. 

A banda que se diz “garantista” dos direitos individuais à plena defesa ganhou a parada em 2009 e perdeu três vezes em 2016. Gilmar Mendes, que defendia com ardor a opção vencedora mudou de posição para o lado oposto. Foi  desde que a Operação Lava Jato começou a investigar propinas pagas aos tucanos, sob cujo domínio fez carreira no palácio. 

Posam de defensores da liberdade, mas na verdade não há inocente nenhum a ser beneficiado pela benemerência deles. Como confirmam estatísticas do CNJ, só 0,006% dos processos que sobem do STJ para a última instância têm seus termos corrigidos. 

Nenhum por inocência do réu, mas só por erros processuais. Ou seja, os ministros prestam serviços a advogados ricos de criminosos milionários do colarinho-branco. 

Casal mais famoso das telinhas comove fãs em aeroporto - Diário do Brasil.


Casados há 57 anos, os mega astros da TV Glória Menezes e Tarcísio Meira foram fotografados em um aeroporto do Rio de Janeiro.
As imagens mostram as dificuldades que o casal teve para se locomover dentro do saguão.
Tarcísio com 84 anos e Glória também com 84 fazem uma parceria desde 1962, tanto na vida real quanto nas telinhas.
Apesar das limitações que a idade lhes impõem, os artistas esbanjaram simpatia, talento e muita vitalidade.
Nas redes sociais, diversos internautas divulgaram as fotos e parabenizaram o casal pela união eterna.

O engodo Bolsonaro - Por Antônio Morais.


Essa briga do Bolsonaro com o PSL é desnecessária. Bolsonaro devia se filiar ao PT. Seus atos, suas decisões e atitudes convergem para o modelito de governança petista. 

Filho corrupto, assessor depositando dinheiro na conta bancária da esposa do presidente, pacto com o que de pior existe na banda podre do STF para impedir investigação de familiares. 

Sinceramente eu não sei o que Sérgio Moro espera andando com Jair Bolsonaro. Já devia ter largado o cargo e tomado outro rumo. Deixa o Bolsonara namorando, como ele bem diz, com Dias Toffolli, Alexandre de Morais, Gilmar Mendes e de rebarba o Lewandosk e esperem o resultado em 2022.

Dia de Feira - Postagem do Antonio Morais.


Fazia pouco mais de um mês, tinha chegado a Várzea-Alegre, vindo de Mauriti, onde fizera umas estripulias, um morenão parrudo, solteiro, de seus 30 anos, mãos calejadas, fisionomia serena e poucas conversas. Ofrasio foi pedir moradia a Padrim Tonio. O Coronel, na sua calma, olhou-o com um olho fechado e, sabedor dos seus antecedentes, deu-lhe uma casa, no Graviel, recomendando, no entanto, não beber, não provocar arruaças, evitar problemas. O morenão olhou para o meu avô e, candidamente, disse: seu Coroné, eu num sou home de briga, nem quicé eu tenho. Agora, se eu tiver com um porrete de jucá, com uma correia ensebada, preso no punho, num tem home que diga que eu sou feio. Meu avô riu e pensou que tudo era farofia. Pois, sim!

Nem lhe conto: foi numa feira de Agosto, dessas mais movimentadas, que se deu o causo. Ofrasio foi pra feira comprar seus biscates e vender umas esteiras de melão-caetano que fizera. Estava sentadinho, no seu cantinho, direitinho, serio, respeitador, paciente, oferecendo seu produto. Foi quando um praça dele se aproximou, magro, cheio de cacoetes e, cismou com a cara do home! Começou por mostrar sua otoridade perguntando de quem eram as esteiras e qual era o preço. Atendido respeitosamente, nas suas inquirições, achou de dizer: Você tem cara de ladrão. Meu Deus! pra que falou isto? O morenão, que estava sentado num monte de esteiras, passou a mão por baixo delas, apanhou seu anjo da guarda, um porrete de jucá, de uns setenta centímetros, tipo casse-tete, tamanho família, destes que os mantenedores da ordem usam, hoje. De pé, olhou o meganha e lhe disse, calmamente: Seu Salgente, se voicemincê ripiti o qui dixe, Meu padim Cico qui mi perdoe.

Nem esperou que ele abrisse a boca – mandou-lhe o jucá na caixa dos peitos, foi bater e cair! Dois outros soldados que estavam na bodega de Chico Cecilia – em frente ao incidente – se jogaram da calçada ao chão. Um deles, por azar, foi apanhado no ar por uma cacetada que o deixou sem poder se levantar. Foi bem na canela. O outro não ficaria sem sua recompensa: Ofrasio mandou-lhe uma cipoada na marra do chocalho, que o quepe foi cair longe e ele caiu mais perto. O destacamento tinha sido minosiado.

Na maior calma, Ofrasio pegou duas esteiras que sobraram, pôs debaixo do braço e partiu para casa. Nu momento do sururu, aquele trechinho de rua virou um fuzuê. Um corre-corre danado e uma morena, na queda, enganchou o pé na azelha de uma mala de rapadura e, vendo o guarda caído ao seu lado, abriu a goela: Mi laiga seu praça, mi dexa seu peste. Na sua marcha serena e tranqüila, Ofrasio deu uma cacetada numa pedra enorme que existia em frente da igreja, que retumbou na rua. Acidentalmente, meu avô ia passando. Ao vê-lo, o caceteiro tirou o chapéu e, respeitosamente falou: Eu num li dixe, seu coroné. Pra que mexero cumigo. Manha, de manha eu vou simbora. Mi adiscuipe e obrigado. Vou por esse mundo percurá onde possa viver em paz. Na manhã da segunda, a casa estava vazia.
JF.

A paixão do Ofrásio - Por Antônio Morais.

Por vários séculos a virgindade foi o selo de garantia da castidade e fidelidade. Ai de quem depois do casamento o marido tomasse conhecimento que a mulher não era virgem, era motivo de briga de foice e fato furado com peixeira 12 polegadas.

Salomé, filha de um abastado fazendeiro do Sitio Cipó dos Tomás no distrito de Ponta da Serra em Crato, aos 15 anos teve uma paixão desenfreada por um rapaz, fez bangalafumenga e perdeu o selo de garantia. O Rapaz fez bunda de ema, capou o gato, fez finca pé e desapareceu da noite para o dia e não se teve mais noticias. 

Salomé se trancou na camarinha e não botou mais a cabeça na janela.

Chegado a localidade, vindo da Paraíba, onde havia feito umas estripulias, Ofrásio se achega na igreja e se encontra com Salomé na missa dominical. Foi amor a primeira vista, era a oportunidade do velho fazendeiro passar a promissória adiante. 

O problema era a falta do selo de garantia e a reação do Ofrásio aos descobrir a fraude. Na hora do pedido de casamento, o pai muito cauteloso, procurou adiantar para Ofrasio o estado virginal da filha.

Deu-se então o presente dialogo entre os dois:

Ofrásio - Eu quero saber se o senhor consente que eu me case com sua filha Salomé?

Pai da Moça - Eu temo que não dê certo, ela tem o gênio ruim, não se dá nem com a mãe dela.

Ofrásio - Nós gostamos muito um do outro e confio que vai dar certo.

Pai da moça - Depois de muito "vai e vem" resolveu passar a informação cabeluda e temida: o problema é que ela já é furada, expressão bem do populacho matuto.

Ofrásio - Ora mais que besteira essa, eu quero né pra carregar água não.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

BIVAR ASSINA DESTITUIÇÃO DE FLÁVIO E EDUARDO BOLSONARO - Por O Antagonista.


A Crusoé informa que o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, assinou a destituição de Flávio e Eduardo Bolsonaro dos comandos do partido no Rio de Janeiro e em São Paulo, respectivamente. 

Os filhos do presidente Jair Bolsonaro, contudo, ainda não foram notificados oficialmente da decisão.

De acordo com aliados de Bivar, no lugar de Flávio assumirá o deputado federal Sargento Gurgel, atual coordenador geral da bancada fluminense na Câmara. Já o substituto de Eduardo deve ser o deputado federal Júnior Bozzella, que vem atuando como porta-voz da ala bivarista na Casa.


As listas que resultaram na vitória de Bivar sobre Bolsonaro.
O Antagonista obteve, em primeira mão, as três listas do embate da indicação para a liderança do PSL na Câmara.
Como antecipamos, Delegado Waldir continuará no posto até dezembro, quando serão realizadas eleições internas. 

Trata-se de uma vitória da turma de Luciano Bivar, presidente nacional da legenda, sobre a ala da bancada mais bolsonarista.

A igreja do Francisco - Por Antônio Morais.


Ato da assinatura  do Papa Francisco autorizando  os padres perdoarem o aborto.  Antes só os Bispos tinham essa atribuição.

Inexoravelmente o tempo e a história terão que avaliar e julgar o que a literatura produz. 

"Cada dia é uma moeda que Deus nos dá para comprarmos a sua gloria".
Santa Mônica.

"Todo pai ou mãe que leva o filho para igreja não vai buscá-lo na cadeia".
Santo Agostinho.

"Jesus de Nazaré não era Deus".
Papa Francisco.

Diante das controvérsias que Papa Francisco meteu Igreja Católica ultimamente, eu, parafraseando Galdino, o herege oficial de Taperoá na versão do ilustre paraibano Ariano Suassuna. 

Veja o que falou o Galdino: 
"Se Deus, Nosso Senhor, me garantir até o fim de minha vida, carne de sol, paçoca, rapadura do cariri, água de quartinha, uma rede e a sombra de um juazeiro para eu me espreguiçar, o Papa Chico pode dar o "ceusinho" dele para quem ele quiser.

GERSON NEGRO DO SERTÃO - Por Wilton Bezerra.


Nos anos 1970, com o advento do Romeirão, o Icasa de Juazeiro, que disputava e ganhava todos os títulos do campeonato local, contratou um meia­-esquerda veterano e classudo chamado Luiz Francisco.
Canhoto, esse jogador tinha uma enorme capacidade para dar destino à bola pelo toque preciso e rápido no desenvolvimento das jogadas.

Um verdadeiro ourives a lapidar as tramas no espaço nobre do meio campo.
Luiz Francisco, paraibano e negro, foi titular do Fortaleza no início dos anos 1960 e o Icasa o encontrou defendendo o Tiradentes.

De tanto esbanjar categoria, passou a ser tratado como “O Gerson negro do sertão” numa referência ao “canhotinha de ouro” campeão do mundo.
E Luiz Francisco honrou a deferência enquanto jogou.

Pois, meus amigos, dentro desse contexto nos deparamos com uma excelente noticia chamada Gérson, o do Flamengo.
Depois de uma temporada no futebol italiano, Gérson foi fisgado pelo rubronegro carioca e se constitui hoje numa figura central na zona de imaginação no time de Jorge Jesus.

Volante pelo lado esquerdo, Gérson não se limita a um espaço restrito para realizar o seu trabalho; circula por várias partes do campo ditando ritmo na composição e recomposição ao controlar com enorme competência tempo, espaço e marcação.
Há quem defenda o fato que Gérson na seleção campeã de 1970, já fazia a função de volante pela esquerda, dependendo do movimento do jogo.

Tem sentido. O canhota era um fora de série e craque de múltiplas funções.
O tempo passou, o futebol mudou e os meias de ligação passaram a lutar contra um novo inimigo chamado falta de espaços.

Urdidura de jogadas e lançamentos em profundidade para os atacantes foram sumindo do mapa do jogo, resultante das novas obrigações de marcar e criar em espaços curtos.
Eis que surge, dentro do padrões exigidos pelo futebol de hoje, o Gerson negro do Flamengo.

Reúne qualidades de sobra para ser o Gerson negro da seleção brasileira.
A não ser que Tite carregue algum problema de miopia e não consiga enxergar um jogador que se encaixa em qualquer “tatiquês” que ele imaginar.

Abre o olho, gaúcho!

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Conversa de duas mortas - Postagem de Antônio Morais.


Morri congelada. Ai que horror!

Deve ter sido horrível! Como é morrer congelada? Bom, no começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo congelando. Mas, depois veio um sono muito forte e eu perdi a consciência.

E você, como morreu? Eu? Morri de ataque cardíaco.
Eu estava bem desconfiada que meu marido estivesse me traindo. Então, um dia cheguei em casa mais cedo, corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente assistindo televisão. Ainda desconfiada, corri até o porão para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém. Depois, corri até o segundo andar, mas também não vi ninguém.

Então, subi até o sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um ataque cardíaco e caí morta.
Puxa que pena. Se você tivesse procurado no freezer, nós duas estaríamos vivas!


Turma do Colegio Estadual - Por Antonio Morais.


Identificação da esquerda para direita em pé : O nosso querido Vieirinha, Aluísio Mendes, Natércia, Alderico, Almir Bernardo, Irinea Stuart, Antônio Morais, Mario Frota, Doralice Epaminondas, Zulene, Amélia do Vale, Joalina Stuart, Fátima Alencar.

Na mesma direção sentados : Elmano Lodo, Helenice Oliveira, Lígia Alencar, Fátima Arraes Telma e Lia Alencar.


Na parte da frente da esquerda para direita - Em pé com a saia de lista - Joalina Stuart Leite, sentadas na mesma direção : Amélia do Vale, Dione Ribeiro Parente, Fátima Arraes, Natércia com um riso largo, Doralice Epaminondas, Zulene, Helenice Oliveira, as irmãs gêmeas Lia e Telma Alencar, Elmano Lobo. 

Em pé - da direita para esquerda - Lígia Andrade Alencar, Fátima Andrade Alencar, Leirton Leite, de óculos, Professora de Biologia Teresinha Pinheiro Teles, Mario Frota, Ismar, Almir Bernardo, Antônio Mendes e Antônio Primo Emídio com a mão na cabeça. 

No inicio de 1969 éramos 31 alunos. No final de 1971, éramos 26. Um dia o politico Ciro Gomes disse para quem quisesse ouvir que médico é como sal existe em cada bodega de esquina.

Não sou adepto dessa ideia nem do Ciro Gomes. Sempre tive predileção pelos meus colegas e disseminei que nossa turma de 31 colegas, terminou com  10 médicos, três engenheiros, cinco dentistas, três advogados, duas enfermeiras, e, todo aquele que não pode ir para Recife, João Pessoa, Fortaleza fazer vestibular não se perdeu, venceu  nas atividades bancárias, repartições federais e outras carreiras dignas e honradas.

Eu peço permissão para falar de um deles. Dr.José Flávio Pinheiro Vieira. Quando voltou do Recife, todo importante, com um mandato de médico na mão, eu me acheguei dele. Daí por diante não paguei nenhuma  consulta minha, de minha esposa e dos meus filhos. Quero que fique claro que não era ele que  deixava de cobrar, era eu que não podia pagar mesmo.

Eu não sei se é verdade, mas assegura a história que o velho Vieira  estava com um braçado de provas dos seus alunos e de passagem pela ponte do Rio Capiberibe, no Recife, disse : Esse pessoal não quer nada. Desisto e jogou as provas que teria de corrigir no rio e as águas as levaram rio a baixo. 

O meu nobre e ilustre professor voltou para o Crato, fixou residencia  na fazenda em Potengi. Aí meu caro amigo, eu levei vantagem. Alguns finais de semana estava lá junto com ele, vivendo aquela singeleza, simplicidade e grandeza humana que somente ele tinha. 

Numa de minhas vistas o encontrei com varias garrafas pet cheias de leite alimentando os borregos enjeitados.

Nesse período eu convivi com o Vieira mais do que qualquer outro. Foi um um tempo de plena felicidade. Vieira  foi meu professor predileto a ele  minha gratidão, respeito e admiração.

“Tenha coragem de dizer ‘eu mereço mais’ e vá embora”, diz mulher de Moro em rede social - Por o Antagonista.


Rosângela Moro, em mais uma de suas postagens polêmicas, escreveu no Instagram: “Tenha coragem para dizer ‘eu mereço mais’ e vá embora.”

A mensagem está sendo interpretada nas redes como pressão para o marido deixar o governo, mas Rosângela garante que não há relação.

“De maneira alguma. Nem tudo que eu falo ou posto se refere a Moro ou ao Governo. E com Moro eu falo diretamente, não pelas redes.”

“Esse post é somente para as pessoas que se lamentam e que precisam de uma injeçãozinha de autoconfiança para entender que a mudança é positiva. Sempre.”

Porque estou mudando - Por Antônio Morais.



Vi a pergunta em algum lugar : Porque tantos amigos que estavam com o Bolsonaro estão mudando de lado?

Eu mudei porque o Brasil está tomado, de novo, e, quem entregou, desta feita, foi o próprio Bolsonaro que não tinha nem tem como acobertar a corrupção da família e combater a dos outros.

Só por isso, Bolsonaro ludibria o povo com vetos que são derrubados com os votos dos filhos - Eduardo na câmara e Flávio no senado. Atitude de canalhas.

Tenho dito que os iguais se atraem. Fica a pergunta : Se os caminhos estavam abertos porque o Bolsonaro não se aproximou dos ministros Fachin, Barroso, Carmen Lucia e Fux. E, foi firmar pacto com Dias Toffolli, Lewandosk  e Gilmar Mendes.

Resta alguma dúvida?

terça-feira, 15 de outubro de 2019

STF dos sonhos dos bandidos - Por José Newmanne Pinto.


Ao marcar a votação em plenário pela quarta vez em dois anos da jurisprudência que permite aos juízes mandarem condenados em segunda instância começar a cumprir pena para a próxima quinta-feira, 17 de outubro, o presidente do STF, Dias Toffoli, realizou o sonho de todos os bandidos de colarinho-branco e do crime organizado do Brasil em todos os tempos: poder recorrer indefinidamente até o chamado trânsito do julgado. 

Para isso, ele mostra que não tem o mais antigo dos signos da honra pessoal, o cumprimento da palavra dada, juntando a sua coleção de defeitos a de ser velhaco. 

E está fazendo isso, respaldado no acordo que tem com o presidente Bolsonaro em troca da blindagem do primogênito deste, Flávio. 

E a anuência dos outros presidentes de poderes, Davi Alcolumbre, do Senado, e Rodrigo Maia, da Câmara.

"Entendi que você é um juiz de merda" - Saulo Ramos.


Saulo Ramos ministro no governo José Sarney, padrinho e responsável pela indicação  do Celso de Mello para ministro do STF.
É uma história conhecida sobre Celso de Mello, mas vale a pena relembrar. Está relatada no livro "Código da Vida", de Saulo Ramos.
Quando José Sarney decidiu candidatar-se a senador pelo Amapá, o caso foi parar no STF, porque os adversários resolveram impugnar a candidatura. Celso de Mello votou pela impugnação, mas depois telefonou ao seu padrinho, Saulo Ramos, para explicar-se.


Celso de Mello, o laureado decano, do meu conhecimento melou  pelo menos três vezes :  Com o seu padrinho na história abaixo, nos recursos infringentes para salvar José Dirceu  do Mensalão e agora para salvar o Renan Calheiros. Leia com atenção a história que se segue, veja o que falou o padrinho para o afilhado.

Eis o o trecho do livro:
Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto no caso do presidente.
Claro! O que deu em você?

É que a Folha de S.Paulo, na véspera da votação, noticiou a afirmação de que o presidente Sarney tinha os votos certos dos ministros que enumerou e citou meu nome como um deles. Quando chegou minha vez de votar, o presidente já estava vitorioso pelo número de votos a seu favor. Não precisava mais do meu. Votei contra para desmentir a Folha de S.Paulo. Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do presidente.

Espere um pouco. Deixe-me ver se compreendi bem. Você votou contra o Sarney porque a Folha de S.Paulo noticiou que você votaria a favor?
Sim.
E se o Sarney já não houvesse ganhado, quando chegou sua vez de votar, você, nesse caso, votaria a favor dele?
Exatamente. O senhor entendeu?
Entendi. Entendi que você é um juiz de merda.

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Colégio Estadual Wilson Gonçalves, 50 anos - Por Antônio Morais.


04 de Maio de 2010.

Tudo começou com uma reunião de amigos na Praça Siqueira Campos. Como o ideário de todos convergia para o consenso da ideia foram a casa do Vice- Governador do Ceara a época Dr. Wilson Gonçalves, a Rua Bárbara de Alencar em Crato e entregaram a proposta. Dr. Wilson prometeu e cumpriu a promessa. 
O Colégio foi criado.


Na foto – Antônio Alves de Morais, ex-aluno e ex-professor Miguel Costa Barros representando os professores da época da formação conforme relação que se segue:

Dr. Luiz de Borba Maranhão, Manuel Batista Vieira, José do Vale Feitosa, Alderico de Paula Damasceno, Agnelo Damasceno, Adalgisa Gomes de Almeida, João Gomes de Borba Maranhão, Tereza Pinheiro Teles, Stela Pinheiro Couto, José Edmílson Félix, Astres Aires de Alencar, Tereza Cristina Gesteira, Ivone Pequeno, Edvan Pires, Gutemberg Sobreira, Benone, José Hermínio Rebouças, e tantos outros que não lembro no momento. 50 bolos a mesa no local onde tudo começou - Praça Siqueira Campos.

Uma festa a altura do merecimento do Colégio. Banda de Música, Hino Nacional, Hino do Crato, Hino do Colégio a representação dos atuais professores e alunos.

Homenagem ao dia do professor.

O Céu em festa - Por Antônio Morais.

Em poucos dias as famílias Brito, Bitu, Menezes e Bezerra  perderam  duas de suas mais virtuosas e especiais personalidades. 


Francisca de Raimundo Alves de Menezes, Mundim do Sapo, a conhecidíssima Fanfanca e Liziex de Pedro Brito. Primas entre si, originárias de tradicionais famílias de Crato, Várzea-Alegre e Iguatu. 


A pesada e fria mão da morte pesou sobre os seus corações e suas almas puras e, emanadas da divindade, voaram ao seio do Eterno e lá foram gozar o premio de suas eximias virtudes.
Quem eram estas majestosas que desapareceram dentre nós? Quem eram estas cidadãs prestimosas, cuja campa regamos com as lagrimas da gratidão e da saudade? Preciso fora, que conhecêssemos como conhecemos, para podermos avaliar a tamanha perda.
E destas amigas sem igual, destes corações magnânimos, destas mãos benfazejas, que sempre derramaram o bem, destas cabeças onde germinaram os mais elevados pensamentos em prol da família, deste todo que formava suas personalidades,  amigas verdadeiras, temos apenas suas memórias, as gratas memórias, que jamais morrerão para aqueles que tiveram a ventura de conhecê-las.  Memórias que honrosas passarão para a posteridade, quando a historia lhes fizer a devida justiça.
Quem eram aquelas por quem vertemos amoroso pranto? Por cuja perda lamentamos? Que elevaram a tantos e a tantos deram brilhantes exemplos.
Temo não proferir os seus nomes, o seus venerandos nomes, com todo o respeito que lhes é devido. Temo não exprimir a dor, a profunda dor que invade os familiares e amigos. 
Deixa que a face de Deus e dos homens se confessem o que a elas devemos. Deixa que descrevam tuas virtudes, virtudes não de tumulo, mas verdadeiras, para atestar as quais aí estão milhares de testemunhas.

“Simplesmente cumpri meu dever”, diz Moro sobre condenação de Lula - O Antagonista.


Em entrevista à Rede TV!, Sergio Moro falou sobre a condenação de Lula e disse que não fez nada além de cumprir com seu dever.

“O processo do ex-presidente pertence ao passado. Nunca tive nenhuma animosidade pessoal com relação a ele. Simplesmente cumpri o meu dever”, afirmou.

“Foram apresentadas as acusações, as provas e apliquei a lei. E veja que, às vezes, há um erro em focar na minha pessoa porque a sentença que eu proferi foi confirmada.”

O FUTEBOL BRASILEIRO E AS APARÊNCIAS - Por Wilton Bezerra, comentarista esportivo.

No filme “MacBeth” da obra de Shakeaspere, no momento de trama para matar o rei, a mulher do personagem sugere ao marido, no sentido de não deixar pegadas, o seguinte: “Se queres enganar o tempo, toma a aparência do tempo”.

E essa frase causou enorme efeito sobre o escriba aqui. O que isso tem a ver com futebol, perguntarão?
Tudo, no sentido de que, nunca antes nesse país, tantos tomaram a aparência de dirigentes e jogadores.
Com a aparência de gestores, a partir da CBF, os dirigentes pintam e bordam em termos de decisões erradas.
Vejam o que é feito com a seleção brasileira e com o próprio futebol de calendário anual mais parecido com uma mistura de jacaré com cobra d’água.
Quando há uma rejeição no que diz respeito a clube-empresa no futebol brasileiro, agremiações importantes afundam em dívidas e gestões temerárias.

Alegam que, com o novo modelo, os tributos cobrados dobrarão, como se, ao mesmo tempo, não dobrasse, também, o prestigio do clube dentro de um novo mercado.
Ocorrem, por detrás disso, intenções habituais de procurar levar vantagem em tudo, como, aproveitar a iniciativa para aplicar calotes, por enormes dívidas contraídas ao longo de um tempo de gestões irresponsáveis.
Dirigentes com a compulsão de destruir, sem a menor possibilidade de construir coisas belas, contrariando a canção.
Em se tratando de jogadores, aí, a coisa se complica mais e qualquer jogadorzinho fica a um pulo de ser tratado como craque.
É gato por lebre que não acaba mais. Há uns 40 anos, jogador brasileiro para atuar na Europa tinha que obedecer a um escrutínio mais rígido; bem diferente dos dias de hoje, com mais de 700 transferências por ano.
Os valores são estratosféricos e os “craques” são produzidos de maneira artificial, de acordo com o gosto do freguês.
Ficamos a imaginar quanto valeriam hoje Garrincha, Pelé, Didi, Gerson, Tostão, Rivelino e uma infinidade de craques de verdade.
Como está fácil jogar futebol no Brasil e amealhar um bom dinheiro.
Mal saído do estágio das bases, os jovens atletas ganham destinos imprevisíveis, saindo de uma pobreza gritante para vida de milionário.
Quanto a isso, nada contra, o processo é que se mostra massacrante, como se forjar talentos devesse ser parte de uma linha de produção de automóveis.
E assim, o modelo vigente faz a festa dos aparentes dirigentes, junto aos vorazes agentes do mundo futebolístico.

Ora...$$$.

domingo, 13 de outubro de 2019

Juca de Oliveira enfrenta corruptos - Por José Newmanne Pinto.


Aos 84 anos, o autor e ator de teatro, televisão e cinema Juca de Oliveira acerta as contas com a República dos Corruptos, como assim denominou nosso arremedo de Estado de Direito o professor de Direito da USP e especialista em combate à corrupção Modesto Carvalhosa. 

A última produção do artista, Mãos Limpas, evoca a famosa operação italiana que terminou esmagada pelos políticos bandidos, saga que ameaça sua assemelhada brasileira Operação Lava Jato. 

Vida real e ficção revezam-se e se mesclam na ação da comédia irresistível, na qual a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, assume o papel de ícone da comédia do furto no País com uma gargalhada de tempo recorde quando seus nome e sobrenome são pronunciados pelo protagonista.

Caminho - Por Antônio Morais


Não sei se estou perto ou longe demais, se peguei o rumo certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente.

Já não caminho mais sozinho, levo comigo cada recordação, cada vivência, cada ensinamento, cada lição.

E mesmo que tudo não ande da forma que gostaria, saber que já não sou o mesmo de ontem me faz perceber que tudo valeu a pena.

PT, Bispos e Padrecos - Por Antônio Morais.


Na minha singeleza e humildade não compreendo essa paixão de alguns bispos e muitos padrecos  da  igreja  católica pelo PT. O partido tem demonstrado  todo desprezo pela igreja católica.

01 - Lula depois de oito anos de governos mentirosos, enganadores com especialização no ludibrio e doutorado na roubalheira,  se considera superior a Deus, muito maior do que Deus. Muitos padres e bispos estão certos que é mesmo, e, por essa razão o temem tanto. Lula está mais para demônio.

02 - Dilma Roussef quando  fixou residencia  no Palácio do Planalto  derrubou a Capela, foto, e construiu no lugar  o dormitório dos seus seguranças. O presidente Temer reconstruiu. A Capela está lá majestosa  como era antes.

03 - O povo precisa de Deus como a terra precisa da água. É por essa razão e não por outra que em toda esquina se encontra uma igreja diferente, um mascate vende sua religião como se vende  mercadoria. E, os chefes da igreja católica defendendo e incentivando comunistas e "ante cristos" chegarem ao puder.

Quem colhe, somente colhe aquilo que plantou. O ateu só chama por Deus quando o avião começa a cair.

sábado, 12 de outubro de 2019

Como surgiu o Reino de Portugal – por Armando Lopes Rafael



Batalha de Ourique -- 25 de julho de 1139

      Em Portugal, a figura de Dom Afonso Henriques assume o papel de formador inicial da nação lusitana, sendo, portanto, chamado de Fundador de Portugal. Esta nação nasceu de uma aparição de Jesus Cristo ao então conde de Portugal, Dom Afonso Henriques. Este, após o episódio, foi aclamado como o primeiro rei português.

     Naquela época os habitantes do então condado Portucalense (ainda não existia a nação portuguesa), em geral, tinham uma mentalidade bastante religiosa e uma forte devoção a Maria Santíssima, lá chamada carinhosamente de Santa Maria.  Existia, apenas, o condado de Portugal, uma espécie de feudo no extremo da Península Ibérica, o qual foi invadido pelos mouros. O Conde Afonso Henriques estava acampado numa localidade conhecida por Ourique. Estava prevista para a manhã seguinte a batalha definitiva contra os mouros invasores. Transcrevemos abaixo parte de um artigo escrito pelo atual Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Chanceler Ernesto Araújo:

“Na noite antes da batalha de Ourique, em 25 de julho de 1139, Nosso Senhor Jesus Cristo apareceu numa visão a Dom Afonso Henriques, então ainda conde de Portugal, que se preparava para enfrentar cinco reis mouros contra ele coligados. Conta Afonso Henriques, num relato possivelmente autêntico, registrado alguns anos depois:

“E subitamente vi, à parte direita, contra o nascente, um raio resplandecente, indo-se pouco a pouco clarificando; cada hora se fazia maior. E pondo de propósito os olhos para aquela parte, vi, de repente, no próprio raio, o sinal da cruz mais resplandecente que o sol, e um grupo grande de mancebos resplandecentes, os quais, creio que seriam os Santos Anjos. Vendo, pois, essa visão, pondo à parte o escudo e a espada, me lancei de bruços e, desfeito em lágrimas comecei a rogar pela consolação de seus vassalos, e disse sem nenhum temor.

"– A que fim me apareceis, Senhor? Quereis, porventura, acrescentar fé a quem já tem tanta? Melhor é, por certo, que vos vejam os inimigos, e creiam em vós, que eu, que desde a fonte do Batismo vos conheci por Deus verdadeiro, filho da Virgem e do Padre Eterno, e assim Vos reconheço agora.
E continua o depoimento de Afonso Henriques:

"A cruz era de maravilhosa grandeza, levantada da terra quase dez côvados. O Senhor, com um tom de voz suave, que minhas orelhas indignas ouviram, disse:

" – Não te apareci deste modo para acrescentar tua fé, mas para fortalecer teu coração neste conflito. E fundar os princípios de teu reino sobre pedra firme. Confia, Afonso, porque não só vencerás esta batalha, mas todas as outras em que pelejares contra os inimigos de minha Cruz. Acharás tua gente alegre e esforçada para a peleja; e te pedirá que entres na batalha com o título de rei. Não ponhas dúvida, mas tudo quanto pedirem, lhes concede facilmente. Eu sou fundador e destruidor dos reinos e impérios, e quero em ti, e em teus descendentes, fundar para Mim um império por cujo meio seja Meu Nome publicado entre as nações mais estranhas.”

Afonso Henriques foi proclamado Rei no campo de batalha e triunfou. Graças à sua fé e sua espada estamos aqui, e conhecemos o nome do Salvador. “E aquele que conhece o meu nome, eu também conheço o seu nome”, diz um texto cristão dos primeiros séculos”.

Antiga bandeira do Reino de Portugal

“A Lava Jato tem começo, meio e fim. O meu trabalho na operação acabou” - Por o Antagonista.


Em discurso no Fórum de Investimentos Brasil 2019, Sergio Moro confessou haver dificuldade na tramitação do pacote anticrime na Câmara. Moro, no entanto, reafirmou o otimismo com a aprovação da proposta. 

Moro disse, “Precisamos resgatar a autoestima do país. A Lava Jato é um nome. Uma força-tarefa. A Lava Jato tem começo, meio e fim. Nada dura pra sempre. O meu trabalho na operação acabou. 

Permaneço firme nas minhas crenças do passado.” Moro diz que pacote é atacado por aqueles que “se dão bem” com a corrupção. 

Sergio Moro disse à Folha de S. Paulo que os ataques ao seu pacote anticrime fazem parte de “um jogo político de pessoas que não querem avançar contra a corrupção, porque vivem nesse sistema e se dão bem nele”.

Ludíbrio, desprezo e escárnio - Por Antônio Morais.

Essa vai pra todos os juízes, políticos e funcionários públicos dos três poderes, que recebem auxílio moradia, sem precisar, enquanto milhões de brasileiros, não tem sequer um barraco pra morar! 

Por trás de cada olhar, existe uma história que ninguém conhece. Mas que a maioria se acha capaz de julgar.

Serve também a foto para mostrar a falta de caráter de políticos populistas, mentirosos que ludibriam e vivem glamorizando a pobreza sem nada fazer para contê-la, se não, para tirar proveito dela na manutenção de seus mandatos.

O maior bandido da face da terra, o Pajé Lula da Silva, disse que acabou com a pobreza no Brasil. 

Ninguém quer ser pobre, e, por essa razão acredita ser rico,  defende a tese do corrupto  denunciado,  condenado e preso. 

Todos, até este que sentado no esgoto da vida  acredita nas nuvens, nos encantos e ludíbrios desse que é o pus do tumor do Brasil, 

Lula da Silva.

“O BRASIL FOI TOMADO. DE NOVO”, DIZ CHEQUER - Por o Antagonista.


Em texto enviado a O Antagonista, Rogério Chequer, um dos fundadores do Vem Pra Rua, interpreta os últimos acontecimentos no país. Ele diz que “nunca tantas conquistas se perderam em tão pouco tempo”.

“Os três Poderes deram as mãos para permitirem, um ao outro, a maior sequência de escárnios dos últimos cinco anos. Mandaram às favas princípios republicanos, os eleitores, os pagadores de impostos e os mais pobres. O Brasil foi tomado. De novo. 

Golpe coordenado?”, questiona:

1. Intimidação de auditores da Receita Federal. “O STF barrou o poder de investigação de auditores, coincidentemente, quando estes chegaram perto de familiares dos magistrados.”

2. Aprovação da Lei de Abuso de Autoridade.
“Uma lei com altíssima dose de subjetividade que expõe juízes e procuradores decentes (não são a totalidade) a penas criminais, por cumprirem seus papéis e tomarem medidas básicas de aplicação das leis. As votações foram conduzidas às pressas, na calada da noite, por Maia e Alcolumbre, com autoria de Renan Calheiros. Precisa dizer mais?”

3. Anulação dos vetos presidenciais.
“Diante dos absurdos aprovados na Lei de Abuso de Autoridade, o presidente Bolsonaro vetou 33 pontos. Mas o Congresso, sem discussão ou consulta popular, novamente às pressas, derrubou 18 vetos do presidente. Para que se tenha uma dimensão das incongruências dessa votação, o próprio Flavio Bolsonaro votou contra 5 vetos do próprio pai. O próprio líder do governo no Senado também votou para derrubar vetos de Bolsonaro.”

4. Mudanças danosas no Coaf.
“Uma sequência vergonhosa e atabalhoada de mudanças foi feita no órgão. O Congresso tirou o COAF de Moro, e Bolsonaro o transferiu para o Banco Central. O presidente do órgão, indicado por Moro, deixou o cargo. Na essência, tiraram de Moro algo que ele sempre anunciou como vital para o combate à criminalidade, e não à toa: na última década, o COAF produziu mais de 30 mil relatórios que embasaram as investigações da Polícia Federal. Para completar, a pedido de Flavio Bolsonaro, Toffoli ordenou que qualquer informação mais detalhada precise de aval da Justiça. Jair Bolsonaro elogiou.”

5. Interferência do Executivo na Polícia Federal.
“Na época de Dilma, em 2015 e 2016, protestamos fortemente para evitar interferências na PF, e ganhamos todas as batalhas que ameaçaram a sua independência. Agora, quatro anos depois, o presidente se incomodou com investigações supostamente contra milícias cariocas, e interferiu abertamente na instituição gerida por Moro. Ninguém, nem Dilma, fez isso.”

6. Mudança para pior nas leis partidárias e eleitorais.
“O Congresso aprovou, mais uma vez a toque de caixa, sem discussão ou consulta popular, regras que favorecem gastos perversos do dinheiro público por partidos políticos. Sim, acredite: políticos poderão usar o nosso dinheiro para pagar advogados, para que os defendam de crimes de corrupção. De onde vem o dinheiro para os advogados que defendem Lula? Pois a partir de agora usar o Fundo Partidário para isso passa a ser lícito. Sim, o teu dinheiro vai pagar os advogados dos políticos que te roubaram, inclusive Lula, e agora isso é permitido por lei. Essas medidas tiveram ajuda indireta de Bolsonaro, que poderia tê-las vetado uma semana depois (a mesma velocidade com que divulgou seus vetos à Lei do Abuso de Autoridade) e evitado esse assalto seguido de morte à democracia representativa. Preferiu não fazê-lo. Seria porque seu partido será o maior beneficiário desta lei? O PSL poderá receberá mais de R$ 700 milhões de hoje até 2022. O PT receberá valor semelhante.”

7. Aumento do financiamento público de campanhas e partidos.
“O Congresso decidiu, sem nos consultar, desviar o nosso (suado) dinheiro de impostos para uso político, tirando da educação, saúde, etc. Ao mesmo tempo, tem a cara de pau de culpar o Teto de Gastos pela baixa qualidade dos serviços prestados à população mais pobre. Você acha que R$ 290 milhões (em valores de 2015) bastariam para os partidos? Era o que tinham. Em 2018, aumentaram para R$ 2 bilhões e 500 milhões. Na semana passada, eles abriram uma brecha para desviar bilhões de emendas para o financiamento de campanhas, totalizando ao menos R$ 3 bilhões e 500 milhões. Sim, três bilhões e quinhentos milhões, mais de 12 vezes o valor de quatro anos atrás. São centenas de hospitais e escolas que deixarão de ser construídos.”

8. Nomeação do Procurador-Geral da República.
“Bolsonaro ignorou a lista tríplice, que foi respeitada inclusive por Lula e Dilma. A lei não o obriga a seguir a lista, mas Bolsonaro escolheu justamente alguém que é crítico à Lava Jato, e que abriu seu mandato indicando a possibilidade de utilização dos materiais da Vaza Jato, obtidos de forma ilegal.”

9. O STF busca enfraquecer a Lava Jato.
“São dezenas de exemplos. No mais recente, o STF legisla (sic) retroativamente, em decisão não amparada por qualquer lei ou precedente legal, abrindo a porteira para cancelamento de dezenas de processos finalizados da Lava Jato. Quando o STF falha, quem nos protege dele? Talvez uma CPI da Lava Toga. Mas a maioria ainda é contrária a ela, inclusive Flávio Bolsonaro.”

10. Corporativismo.
“O senador Davi Alcolumbre postergou por semanas a tão urgente votação da Previdência como represália à investigação do senador Fernando Bezerra, prejudicando todo o país por razões unicamente corporativistas. Além disso, o Senado abriu tentativa de negociatas com o governo para obter repasses do pré-sal, em troca da aprovação dessas reformas.”


Aras faz jogo do PT - Por José Newmanne Pinto.


Novo procurador-geral da República, Augusto Aras, conspira com colegas para encontrarem o que chamam, cinicamente, de “saída honrosa” para afastar Deltan Dallagnol da coordenação da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, “rebaixando-o para cima” ao levá-lo a atuar na segunda instância no Paraná. 

Esta é mais uma prova de que o chefe do MPF decorou a lição de casa para seduzir Bolsonaro, mas não está nem aí para o fato de que este tem compromissos com combate à corrupção e antipetistas. Filho de um ex-deputado pelo PT da Bahia, Roque Aras, ele sempre manteve relações pra lá de cordiais com maiorais do PT de seu Estado e parece que o presidente não faz nenhuma questão de se mostrar leal às correntes de eleitores do chefe.

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Em procissão, em romaria... – por José Luís Lira (*)


  
   O título dessa coluna é o início do cântico “Lá no Altar de Aparecida”, do Pe. Zezinho. E segue o grande sacerdote, “... romeiro ruma para a casa de Maria. Em procissão feliz da vida, romeiro vai buscar a paz de Aparecida”. Estamos no 285º dia do ano de 2019, no calendário gregoriano. Faltam 80 para acabar o ano. O calendário cívico aponta o dia do descobrimento da América, dia da criança, dia nacional da leitura e por aí vai. Mas, o mais importante é a festa de nossa Padroeira. Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

    A Lei Federal 6.802, de 30 de junho de 1980, declara “Feriado Nacional o Dia 12 de outubro, Consagrado a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil”. Houve, desde a criação, quem questionasse o feriado, mas, é um reconhecimento não só a um povo, mas, a grande símbolo da fé deste povo que em sua grande maioria professa o catolicismo. Maria Santíssima foi a ponte que Deus usou para trazer seu Filho que também é Deus, Jesus, à terra. Só isso já justifica uma grande homenagem, mas, ela é muito mais. Sempre digna de homenagens. E o mesmo Padre Zezinho nos dá a solução. “O povo te chama de Mãe e Rainha, porque Jesus Cristo é o Rei dos Céus... Não és deusa, não és mais que Deus, mas, depois de Jesus, o Senhor, neste mundo ninguém foi maior”.

   É dia de celebrar a Mãe Aparecida, padroeira. Em Aparecida multidões passam diante da imagem de terracota com riso esboçado no rosto, a mesma imagem que em Lujan, na Argentina é padroeira deles. A imagem lá tem uma coloração clara, pois, não ficou cerca de 100 anos imersa no rio Paraíba do Sul que nem a nossa. Maria nos fala, nos dá sua mensagem de silêncio, de obediência e de humildade. Ela é bem-aventurada entre homens e mulheres, mas, ainda assim, nos orientar a fazer tudo o que Ele, o Senhor, disser.

   No entardecer deste dia, a nossa Diocese fará a “IV Caminhada com Maria – 2019”. A concentração será na Igreja de Fátima, no bairro Sinhá Sabóia, nesta cidade que tem a Imaculada Conceição por padroeira, Imaculada Conceição que também é Aparecida. Será um belo momento de demonstração de fé a Deus e de amor a Sua Mãe, a Excelsa Virgem Maria! A concentração será às 16 horas e de lá se fará caminhada pelas ruas da cidade até se chegar à Casa de Maria, a Catedral de Sobral.

   Neste 13 de outubro, domingo, o Brasil que é tão unido ao Vaticano, por laços de fé e de amor, ocupará boa parte da Praça de São Pedro. A Santa da caridade e do amor ao próximo será inscrita no Livro dos Santos: a querida Irmã Dulce dos Pobres, nome pelo qual conhecemos Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, uma unanimidade nacional. Treze de outubro assinala a última aparição de Nossa Senhora em Fátima. A festa continua a ser mariana, pois, a Santa Dulce é freira da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus. Sua vida, nós brasileiros sabemos, foi uma prova do cuidado de Deus e de Sua Mãe para com todos! Com sua canonização, o mundo a conhecerá e poderá reverenciá-la por sua vida e, acima de tudo, pela caridade na qual viveu e deu testemunho de Deus.

   É festa no céu e na terra! E por crer, a festa é plena para o Cardeal Serafim Fernandes, que cumpriu sua missão e agora está na glória de Deus!
    Salve Maria Imaculada Conceição Aparecida!


(*) José Luís Lira é advogado e professor do curso de Direito da Universidade Vale do Acaraú–UVA, de Sobral (CE). Doutor em Direito e Mestre em Direito Constitucional pela Universidade Nacional de Lomas de Zamora (Argentina) e Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Messina (Itália). É Jornalista profissional. Historiador e memorialista com mais de vinte livros publicados. Pertence a diversas entidades científicas e culturais brasileiras.

A Monarquia é um regime natural




   A Monarquia é o regime que mais se aproxima da ordenação geral posta por Deus na Criação. Desde o microcosmo – onde os núcleos atômicos têm ao seu redor os elétrons – até o macrocosmo dos sistemas estelares – onde os satélites gravitam em torno dos planetas, os quais, por sua vez, gravitam em torno das estrelas, que se ordenam em imensas galáxias. Por toda parte está presente o princípio monárquico.

   Entre os animais gregários, vemos este mesmo princípio; para falarmos apenas de um dos exemplos mais característicos, lembremos que as abelhas e as formigas têm, em suas colmeias e formigueiros, suas rainhas, mães de todo o seu “povo”.

    A própria ordenação interna do homem é hierárquica e, portanto, monárquica. Temos uma alma e um corpo; a primeira – segundo a velhíssima teoria hilemórfica de Aristóteles – informa e individualiza o segundo. Na alma, as três potências – inteligência, vontade e sensibilidade – também se ordenam hierarquicamente, sob a direção da primeira delas. No corpo, todos se ordenam em torno de um sistema nervoso central, comandado pelo cérebro e vitalizado continuamente pelo coração.

    Se observarmos a Criação, em seu conjunto e em suas várias partes, facilmente veremos que em tudo está presente uma ordenação hierárquica, com um ponto central que afirma e representa o princípio monárquico. Esta é a lei geral da natureza criada por Deus.

(Baseado em trecho do livro “Parlamentarismo, sim! Mas à brasileira, com Monarca e Poder Moderador eficaz e paternal”, do Professor Armando Alexandre dos Santos).

Ilustração abaixo: Casamento de Suas Majestades Imperiais o Imperador Dom Pedro I e a Imperatriz Dona Leopoldina do Brasil.


Cargos, salários e padrinhos dos blogueiros de aluguel - Por o Antagonista.

Felipe Moura Brasil, em reportagem para a Crusoé, mapeou cargos, salários e padrinhos dos blogueiros de crachá. Instalados em cargos comissionados, eles comandam a milícia virtual bolsonarista.

As mensagens de WhatsApp do grupo, obtidas por Felipe Moura Brasil, revelam o funcionamento da máquina de propaganda paraestatal, que ataca até mesmo integrantes do governo, como Sergio Moro e Paulo Guedes.

Por exemplo, uma das mensagens de Otavio Oscar Fakhoury, “tesoureiro-geral” do PSL de São Paulo:

“A direita tem que se unir agora. Senão os liberais (Guedes) e tecnocratas (Moro) além de alguns militares que são positivistas demais e nada anti globalistas vão deixar de lado a pauta conservadora.

Eu canso de dizer: quem ganhou a eleição não foi a pessoa do JB, nem Mourão, nem os militares. Quem ganhou a eleição foi uma onda, um movimento, um levante conservador!”

PSL PEDE A BOLSONARO ‘A DIGNIDADE DE SE DESFILIAR’ - Por Claudio Humberto.


Lideranças do PSL esperam que o presidente Jair Bolsonaro “tenha a dignidade de apresentar sua desfiliação”, após atacar a sigla, que para ele “já era”, e seu presidente Luciano Bivar. 

Políticos como o senador Major Olímpio (SP) lembram que presidente do PSL deu a mão a Bolsonaro quando todos lhe davam as costas. Bivar até se licenciou da presidência para Bolsonaro mandar à vontade no PSL, na campanha. O partido deve o crescimento a Bolsonaro, que lhe deve a candidatura.

TIRO NO PASSADO E NO FUTURO.
Bolsonaro humilhou o único partido que lhe garantiu a candidatura. E o partido, ao lado do Novo, que apoia seu governo 100% no Congresso.

SOLIDARIEDADE NÃO TARDOU.
Na segunda (8) da humilhação pública, Bivar foi aplaudido durante discurso em jantar com a bancada do PSL e o ministro Sérgio Moro.

MEU PARTIDO SOU EU.
Bolsonaro nunca teve apreço por partidos políticos. Seu partido é ele próprio. O PSL é a oitava agremiação da carreira do presidente.

DESDÉM COM APOIO SE PAGA.
Bivar está tonto com o desdém de Bolsonaro. “Ele abandonou o PSL”, diz, “mas o PSL não abandonará o apoio às propostas do governo”.

Esquerda cala sobre óleo no mar - Por José Newmanne Pinto.


Óleo cru de origem venezuelana, segundo análise da Petrobrás, vazou de forma irresponsável ou foi jogado criminosamente num dos pedaços de litoral mais lindos do mundo, as ´praias de nove Estados nordestinos. 

A fuzarca da esquerda, seguida pelo papa e pela suequinha Greta Thurnman, que berram com estridência quando se trata da Amazônia, guardaram suas cornetas e não as usaram para salvar vidas de tartarugas, aves e peixes-bois marinhos, ameaçados de extinção. 

O maior desastre ambiental do litoral nordestino em todos os tempos prejudica o turismo, de que vivem muitos pobres nordestinos, mas os governadores de esquerda do Nordeste não apontaram o dedo para a origem do veneno que prejudica a cadeia alimentar das algas, que são o verdadeiro pulmão da Terra, e não nossa floresta tropical.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Senado aprova MP que facilita venda de bens do tráfico - O Antagonista.


O Senado aprovou hoje uma Medida Provisória que agiliza o processo de venda de bens apreendidos de réus por crimes relacionados com o tráfico de drogas.

Segundo o texto, a venda pode acontecer depois que a Justiça determinar o chamado “perdimento de patrimônio”, sem haver a necessidade de uma decisão transitada em julgado.

Se o réu for absolvido ao final do processo, os recursos serão devolvidos.

A MP perderia a validade no dia 16. O texto segue agora para a sanção de Jair Bolsonaro.

COM A CARA NO CHÃO - Por Cláudio Humberto.


Após o ministro Luís Roberto Barroso avisar ontem que são graves as alegações contra o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), devem acabar com a cara no chão os senadores que deram o vexame de pressionar o Supremo Tribunal Federal contra as investigações.

Congresso sabota Moro - José Newmanne Pinto.



O pacote anticrime do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, continua sendo boicotado no Congresso e prova isso o aviso do Centrão, que está mandando no Legislativo, de que as leis necessárias para fortalecer o combate à roubalheira e ao crime organizado só serão postas em votação no ano que vem. 

Isso acontece no momento em que a Transparência Internacional divulga os dados do Barômetro Global da Corrupção, que registram índice impressionante de 54% de brasileiros que acham que a roubalheira aumentou. 

Até Bolsonaro vai na contramão do combate aos delitos de colarinho-branco e violentos ao nomear Aras, bajulador profissional dos membros dos três Poderes só por  carreirismo.


E Odebrecht confirma Palocci.

O empreiteiro Marcelo Odebrecht confirmou ontem em depoimento ao juiz Valisney de Oliveira da 10.ª Vara Criminal Federal de Brasília, tintim por tintim, o que Palocci contou à CPI do BNDES a respeito da propina paga por sua empresa ao PT, Lula e Dilma por obras em Angola financiadas a juros de banana pelo banco público brasileiro. 

E ainda deu detalhes sobre a conta administrada pelo outro delator e abastecida com propinas, o que põe água no chope do PT, que esperava exatamente o oposto depois do depoimento anterior, quando se referiu a diferenças entre a delação dele e a do pai. 

E também deixou em má situação o presidente do mesmo banco, Montezano, que insiste em classificar os prejuízos dados pela Odebrecht como fruto de más escolhas, e não de corrupção.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

O FUTEBOL E O “RESULTADISMO” - Por Wilton Bezerra. Comentarista esportivo do Sistema Verdes Mares.

As coisas no futebol são tão dinâmicas que o assunto “resultadismo”, levantado pelo ex treinador do Ceará, Enderson Moreira, já está caducando, em função de outras bossas, novidades, conceitos, blá, blá, blá.
Já me posicionei sobre o tema em comentários passados, mas não custa nada renovar a conversa.
“Resultadismo” é o culto ao resultado; o positivo, acrescente-se.
Imagina-se que quem se guia no futebol considerando apenas os resultados, nem precisaria ir aos estádios, bastando esperar o desfecho do placar e até dedicando o seu tempo e atenção a outra coisa.
Beleza estética do jogo, nem pensar; o importante é a vitória, meu prezado, e não se fala mais nisso.
Nelson Rodrigues, que era uma flor de obsessão, dizia: “O que se espera numa reles pelada é a poesia”.
E aí, eu explico.
Entre os que acompanham futebol existem os que torcem e os que apreciam o ludopédio.

Aos que torcem, só interessa o resultado; aos que apreciam, tão somente a beleza estética do jogo.
Sou um apreciador da bela modalidade.
Indo mais longe na narrativa, chegamos a uma boa disputa entre os “estatísticos”, uma febre atual, e os “esteticistas”.
Uns se agarram de forma frenética aos números; outros preferem enxergar o futebol como grande arte.
Sou um “esteticista”.
Fato é que o debate entre futebol bonito e o de resultados não vai acabar nunca.
Só acho abominável a rendição de muitos à sentença absurda de que o importante é vencer, se necessário, jogando mal.
Vagner Love, atacante do Corinthians, acaba de dar sua contribuição como resultadista: “Prefiro jogar mal e ser campeão”.
Não restam dúvidas de que isso é a herança da Copa do Mundo de 1982, quando caímos fora, jogando o melhor futebol da competição na derrota para a Itália.
Até hoje, esse resultado retroalimenta a questão do pragmatismo tático, escravo do resultado.
Ainda esta semana, ouvi de um comentarista uma observação sobre o Corinthians: “Como o time do Carile tem a capacidade de ganhar jogando mal”.
Terrível, não?
Cruyff, o holandês genial, sempre sustentou: “Jogar bem e perder não tem sentido. Jogar mal e vencer não tem graça”.
Futebol vai muito além do inferno dos resultados.
Valeu ?