Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 22 de julho de 2021

Família Callou, origem do nome, e ascendências - Por Fernando de Sá Barreto Callou.

Primeira parte.

Abrev. CC – Casado (a) Com.

O Nome da Família Callou, foi adotado por Antônio Pereira Pinto, nascido nas imediações das cidades de Missão Velha e Barbalha. Filho do Tenente- Gregório Pereira Pinto, Baiano de Inhambupe e de Ana Angélica de Jesus de Sá Barreto. Filha do Capitão-Francisco Magalhães Barreto e Sá (Fundador da cidade de Barbalha) e de Maria Polucena de Abreu Lima. Os dois originários da Bahia/Sergipe.

Antônio Pereira Pinto casou com Ana Izabel d`Olinda, Filha de João da Cunha Pereira e Francisca Vieira de Gusmão, proprietários da Fazenda Cruz. No médio Jaguaribe na localidade chamada Riacho do Sangue. Os Filhos de Antônio e Ana Izabel nasceram e foram criados na Fazenda Cruz. Hoje submersa pelas aguas do Açude Castanhão.

Não se sabe com segurança a razão, pela qual, levou Antônio Pereira Pinto, a acrescentar Callou ao seu nome de nascimento. O que se sabe com certeza. Foram suas ultimas palavras, anotadas por sua Filha Carlota a seu pedido. E que seus descendentes obedeceram, e continuam priorizando o nome Callou. Que se manteve por varias gerações num Clã fechado e homogêneo. Hoje já mais diluído.

Mas eis as últimas palavras proferidas, por Antônio Pereira Pinto Callou, á sua Filha Carlota:

Findou-se o Primeiro Callou.... Meu nome fica existindo para filhos, netos E Bisnetos e os mais que forem vindo.

Continua na próxima postagem.

Um comentário:

  1. Um trabalho esmerado do professor Fernando de Sá Barreto Callou que merece toda distinção e louvor. Essa frase final do patriarca é um verdadeiro poema.

    "Findou-se o Primeiro Callou.... Meu nome fica existindo para filhos, netos E Bisnetos e os mais que forem vindo".

    ResponderExcluir