Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sexta-feira, 18 de março de 2016

SERTÃO, SERTÕES - POR XICO BIZERRA

Asa Branca - Ave simbolo do sertão.

Mandacaru e o astro rei.




Sertão, sertões - Xico Bizerra.


Sertão, sertões, vários há, basta sentí-los: há o sertão dos que não foram e o daqueles que regressaram, atraídos pela saudade do luar, do cheirinho da terra, da brisa amena da noite; há o sertão da macambira, do xique-xique, do mandacaru, plantas espinho/flor que acariciam agrestinamente o coração grande do sertanejo; há o sertão que contradiz e desmitifica a crueldade que alguns erroneamente enxergam habitar solitária no meio da mata rala: este, o sertão da alegria, do povo feliz, que vai ao forró e dança até que a lua, cansada, ceda seu lugar ao sol. Este, o sertão que sinto, múltiplo, plural e singular, não apenas bonito, sobretudo belo.

Jarrim de fulô - Xico Bizerra.

video

3 comentários:

  1. Nordestino Afogado

    A crônica do Xico Bizerra nos leva a mergulhar nas lagoas e nos
    açudes dos sertões nordestinos, sem medos. Eu sou capaz de me afogar nas águas cristalinas e puras da poesia sertaneja sem ajuda de salva-vidas.

    Já a Mayara Petruso conseguiu se afogar nas águas rasas e sujas da sua própria saliva.

    ResponderExcluir
  2. Xico...

    Adorei tudo na sua postagem Fotos (maravilhosas), texto e música.

    Só num sabia que você era "jarrim de fulô de janela" mas até que fica bunitim com essa nova qualidade... (risos).

    Brincadeiras a parte, esta foi uma potagem de primeira.

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  3. só acrescentndo para não restar dúvidas: o texto e a música são minhas; as fotos devem ser creditadas a morais, que, tão bem, ilustra noss coluna.

    ResponderExcluir