Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 18 de setembro de 2018

Decisão de Barroso dificulta indulto a Lula - Por o antagonista.


O Estadão lembra que, mesmo que Fernando Haddad se eleja e queira indultar Lula, hoje o caminho para isso está impedido por quatro pontos de uma decisão de Luís Roberto Barroso.

Em março, o ministro do STF tornou sem efeito quatro pontos do decreto de indulto de Natal assinado por Michel Temer no ano passado.

Barroso proibiu o indulto para condenados por corrupção e lavagem de dinheiro, delitos pelos quais o ex-presidente foi preso. Além disso, exigiu que o instituto só seja concedido a presos que cumpriram um terço da pena, o que só deve ocorrer com Lula em maio de 2021.

Também limitou a concessão do benefício a quem tem pena inferior a 8 anos de prisão (o petista pegou mais de 12) e vetou o indulto para quem ainda tem recurso pendente – o de Lula ainda não foi julgado pelo STJ.

Mas também é bom lembrar que a decisão de Barroso, liminar, precisa ser referendada pelo plenário do Supremo –hoje comandado por Dias Toffoli.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

254 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais


Raimundo Bitu de chapéu de massa, José André apoiando-se no primo Padre Manuel Alves Feitosa, hoje Monsenhor Feitosa, meu inesquecível compadre Nonato, os irmãos Perboary e José, no aniversario de papai na fazenda Cacim binha no Assaré.

Um causo  de Raimundo Bitu :

Todos reconheciam a capacidade empreendedora de Cotinha, esposa de Raimundo Bitu do Sanharol. Um dia  ela pediu a "José de João de Pedrinho"  que fosse ao encontro de  Raimundo Bitu, que era homem bom, justo, honrado, amigo, conselheiro, mas, que reconhecidamente era bem mais sossegado,  priorizando mais os valores humanos do que os bens materiais.

Raimundo Bitu, o esposo de Cotinha se encontrava na feira semanal da cidade e José seguia na exata direção.

Veja o recado de Cotinha : Diga ao Raimundo Bitu  que apresse o passo e volte logo, pois minha porca se encontra na estrada com o rebanho de bacuris e quando o Crateús passar, o Crateús era o único ônibus que fazia linha entre as regiões norte e sul do estado aquela época, vai matar meus porquinhos.

José disse ok!!!! Cotinha!. Vou dar o recado, e, desembestou correndo.

José encontrou Raimundo Bitu  no Posto Boa Vista e transmitiu o recado detalhando-o, conforme solicitou Cotinha.

Raimundo Bitu sem a mínima preocupação disse: Dedé, muito obrigado!!!!!. O recado está dado, agora você não acha ruim voltar na mesma carreira e mandar Cota ir a PUTA QUE O PARIU!

ONU MANDA TIRAR MARCA DE PROPAGANDAS DO PT - Por Claudio Humberto.


A Organização das Nações Unidas (ONU) exigiu que o PT retirasse sua logomarca da propaganda eleitoral do partido. 

O PT mostrou seus candidatos sob o slogan “a ONU garante Lula candidato” ao lado da marca na cor azul. 

O uso do emblema da ONU sem autorização é ilegal. O PT atendeu a exigência da ONU para não desfazer a lorota de que a entidade “apoia” o ex-presidente preso por corrupção.

253 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais


Em pé da esquerda para direita – Ana Leandro Bitu, Maria Leandro Batista e Clara Leandro Ferreira. Sentados Antônio Leandro Bezerra e José Leandro Bezerra da Costa, netos do Manuel Leandro Bezerra e Clara Alves de Morais Feitosa.

Como já falei e escrevi, foram quatro os filhos de José Raimundo do Sanharol que se casaram com filhos de Manuel Alves de Morais Feitosa, da Fazenda Pita, em Arneiros nos Inhamuís.

Clara, a filha mais nova, veio a passeio à Várzea-Alegre, visitar as irmãs Zefinha e Sinhana, e, logo nos primeiros instantes da visita Vitorino, esposo de Zefinha, disse para ela: Clara você devia se casar com Manuel Leandro, ele foi muito bom com a primeira esposa e é um homem correto e justo. Clara respondeu: Se Manuel Leandro vier com dois "Santo Antônio de ouro" eu ainda não quero.

Aborrecido com a resposta desaforada de Clara, Vitorino resolveu ir deixá-la em Arneiros no mesmo dia.

Prepararam os animais e depois de quatro longos dias de viagem estavam no Pita. Então o pai de Clara perguntou: o que houve? Clara foi passar um mês na casa das irmãs e já voltou? Vitorino contou a historia da proposta do casamento e da resposta desbocada de Clara.

Manuel Alves de Morais Feitosa, então fez o seu manifesto: Ela vai ganhar muito com isto. Nunca mais põe os pés no Machado.

No outro dia, quando Vitorino se preparava para retornar a Várzea-Alegre, Clara falou para o arrieiro que cuidava dos animais e mandou o presente recado para Manuel Leandro: Diga a Manuel que se ele quiser se casar comigo eu aceito, eu quero mostrar para o meu pai se eu vou ou não vou a Várzea-Alegre.

Depois de receber o recado Manuel Leandro partiu em busca de Clara, e, já voltou casado.


11 - postagens do Olavo de Carvalho sobre o Bolsonaro:


Aviso, para os devidos fins, que pretendo votar em Jair Bolsonaro para a Presidência da República e acho que todos os brasileiros deveriam fazer o mesmo, mas isso não é motivo para eu adotar uma retórica de cabo eleitoral e, a pretexto de eleger um presidente, contribuir para estragar a língua portuguesa mais um pouco.

O que mais admiro no Bolsonaro é a humildade com que ele busca o aprendizado. Com um por cento disso o Lula não teria sido o bosta que foi.

“Unidade da direita” é apoiar o Jair Bolsonaro. O resto é carreirismo porco.


Haddad volta à cadeia para receber instruções - Por Josias de Souza.



Uma semana depois de ser confirmado como presidenciável do PT, Fernando Haddad exercitará sua lulodependência em nova visita ao mentor-presidiário nesta segunda-feira. O hipotético cabeça da chapa petista vai receber instruções de Lula, o cérebro de sua campanha, na cela da superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Nos últimos 40 dias, Haddad visitou a cela especial de Lula meia dúzia de vezes. Seu ingresso nas dependências da PF é assegurado por uma farsa. Advogado bissexto, Haddad revalidou seu registro profissional para ser incluído no rol de defensores de Lula. Nas suas visitas, cuida de política, não da defesa do preso.

Graças à complacência das autoridades judiciárias, a cela de Lula tornou-se o comitê central da campanha presidencial do PT. Mal comparando, Lula age como os líderes de facções criminosas. Condenado a 12 anos e um mês de reclusão por corrupção e lavagem de dinheiro, transformou a cadeia em escritório político.

LIVRES PARA ROUBAR - Por Wilton Bezerra - comentarista esportivo.



Vejam, por favor, se estou entendendo, ainda, o que leio. O comentário é sobre a posse do ministro Toffoli na Presidência do STF.

Em caso de eleição de determinado candidato e uma modificação no quesito da prisão em segunda instância, as portas das prisões serão abertas para os que gatunaram essa nação.

Na linguagem futebolística: será uma virada de mesa no regulamento ou ainda um segundo tempo sem direito à prorrogação e penalidades. Um “libera geral” sem tamanho.

É isso mesmo: trata-se de uma recompensa para os ladravazes que infelicitaram a vida de milhões de brasileiros.

Abre-se a porteira para um e a manada vai atrás.

O despautério maior é que se aborda cinicamente a segurança como uma das prioridades nos discursos falaciosos dos candidatos.

Para evitar esse estouro da boiada, só nos resta apelar para a ONU, NASA, CSA, CRB, ASA DE ARAPIRACA.... E, em último caso, o PTB de Nova Olinda.

domingo, 16 de setembro de 2018

10 - postagens do Olavo de Carvalho sobre o Bolsonaro:


Mesmo considerando que o Bolsonaro é incomparavalmente mais culto do que o Lula (ninguém chega a capitão sem ter cursado escola militar), admitamos a premissa vulgar de que ele não tem cultura. Segue-se inevitavelmente a pergunta: Se a esquerda tem o direito de elegar um presidente inculto e ainda considerar isso um mérito, por que a direita não pode fazer o mesmo? Negá-lo é submeter-se à guerra assimétrica.

Desistam, fofoqueiros e intrigantes. Não só vou votar no Bolsonaro, como vou trazer para ele mais votos do que vocês, sem fazer um só minuto de propaganda e sem pedir nem aceitar nenhum carguinho em troca.

Quantas vezes preciso avisar que o meu voto vai para o Bolsonaro?

252 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Foto - Dr. Humberto Macário de Brito que era bisneto de Gabriel de Morais Rego. Antônio André era bisneto de Antônia de Morais Rego, irmã do Gabriel.

Continuação da postagem anterior: 

Chegando no Hospital São Francisco, em Crato, o terreno já estava  pronto para receber o paciente, Mundim do Sapo já estava  esperando. 

O carro ficou  fora  com o Antônio André e os dois seguranças. 

Quando José André entrou no consultório de Dr. Humberto Macário, dada a amizade e consideração existente, já foi anunciando do seu jeitão, falando  agudo e alto : Dr. Humberto o jeito foi vi novamente,  a crise desta vez  foi  muito grande. 

Dr. Humberto  autorizou a enfermeira preparar uma injeção, um sossega leão. Quando a enfermeira  começou a levantar a manga da camisa de José André para aplicar a injeção se ouviu o grito de Mundim do Sapo : Epa, peraí, o doente não é esse, o doido está lá fora no carro.



Clínica São Raimundo - Cuidando da Saúde de Várzea-Alegre !


O Blog do Crato ( E agora o Blog do Antônio Morais) tem o prazer de fazer a publicidade da Clínica São Raimundo, da cidade de Várzea Alegre - CE, que acredita no nosso trabalho como meio de buscar a integração regional. A Clínica São Raimundo é uma empresa conceituada. Comandada pelos renomados médico Dr. Menezes Filho e Fisioterapeuta Dra. Ana Micaely de Morais Meneses. Especializada em pediatria, ultrassonografia, fisioterapia geral e especializada ( RPG , neurológica e  uroginecológica) .

Eis algumas fotos da nossa empresa/parceira que fazemos questão de divulgar:

Acima: A Logomarca oficial da Clínica São Raimundo, em Várzea Alegre.



Acima: O Médico, Dr. Menezes Filho em atividade.



Acima: Dra. Ana Micaely de Morais Menezes



Cuidando de seus pacientes com carinho e dedicação...




Clinica São Raimundo.
Rua Dep. Luis Otacilio Correia 129 Centro Várzea-Alegre Ce. Fone (088) 3541-1467.
Especialidade em Pediatria , ultrassonografia , fisioterapia geral e especializada( RPG , neurológica e uroginecológica).

"Cuidando com carinho da saúde do povo de Várzea Alegre !"

Anuncie no Blog do Crato.
Contatos:
blogdocrato@hotmail.com
Tel: 088-3523-2272

Tasso Jereissati - Blog do Eliomar de Lima.


O senador Tasso Jereissati, ex-presidente nacional do PSDB e presidente do Instituto Teotônio Vilela, rebateu neste sábado, 15, o uso de suas declarações críticas ao seu próprio partido pelo candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT) durante o Jornal Nacional da última sexta-feira. “Haddad usou uma reflexão honesta para fazer proselitismo político”, disse Tasso.

Em entrevista concedida ao Estado, publicada na última quinta-feira, Tasso avaliou a trajetória do PSDB nos últimos anos. “O partido cometeu um conjunto de erros memoráveis. O primeiro foi questionar o resultado eleitoral (…) O segundo erro foi votar contra princípios básicos nossos, sobretudo na economia, só para ser contra o PT. Mas o grande erro, e boa parte do PSDB se opôs a isso, foi entrar no governo Temer”, disse.

Durante o Jornal Nacional da última sexta-feira, Haddad citou a entrevista de Tasso para defender o governo da presidente cassada Dilma Rousseff (PT) e dizer que ela foi impedida pelo PMDB e pelo PSDB de fazer os ajustes necessários no início de seu segundo mandato. “As pautas-bomba e a sabotagem que ela sofreu, reconhecidas pelo presidente do PSDB, tiveram mais influência na crise do que os eventuais erros cometidos antes de 2014”, justificou Haddad.

Tasso acusou Haddad de “usar uma reflexão honesta para fazer proselitismo político”. “É lamentável que um candidato à Presidência da República não tenha capacidade de olhar os erros da política no Brasil para projetar o futuro”, disse. Tasso também afirmou que o uso político de suas críticas pelo petista “apequena a corrida presidencial”.

Neste sábado, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também fez referência, em sua conta do Twitter, à entrevista de Tasso ao Estado. “O senador Tasso está certo: o ciclo partidário-eleitoral se exauriu. Não há outro ainda. Alckmin poderá levar o país a um novo consenso. Fiéis à democracia e aos nossos compromissos votemos nele para a reconstrução social e econômica do Brasil.”

Qual a razão de tanta bajulação - Por Antônio Morais



Dizem e é verdade que os iguais  se atraem. Não há outra justificativa para a bajulação, o medo ou coisa  que o valha que fazem os candidatos saírem país afora  defendendo o legado de um governante criminoso, condenado e preso. O único que fala a verdade, o Jair Bolsonaro  está liderando as pesquisas. Os demais tem medo de falar a verdade sobre Lula como o diabo tem da cruz. 

Só há uma razão  para este fato : Quem defende criminoso condenado e preso é igual ou pior que ele.

PT PAGA A ‘MORTADELAS’ VIRTUAIS POR ENGAJAMENTO - Por Claudio Humberto.


O PT criou a nova modalidade de “mortadelas online”, na campanha de 2018. Funciona assim: usuários recebem pontos por conteúdos compartilhados nas suas próprias redes, como Facebook, Twitter e Whatsapp. 

São usuários remunerados por “engajamento”. Quanto mais curtir e compartilhar, mais “pontos” ganha. Os pontos são trocados por dinheiro. O Ministério Público já recebeu denúncia sobre a “atividade”.

27% do STF dão aos outros 73% péssima fama - Por Josias de Souza.



Há no Supremo Tribunal Federal muitos por ques sem porquês. Com fome de Justiça, o brasileiro se pergunta por que certas togas insistem em beneficiar encrencados sem explicar o porquê do desprezo pelo esforço anticorrupção. Antes, o esdrúxulo era oferecido no varejo. Agora, chega no atacado. Em poucas horas, três decisões esquisitas: Gilmar Mendes mandou soltar o tucano Beto Richa. Dias Toffoli suspendeu ação penal contra o petista Guido Mantega. E Ricardo Lewandowski interrompeu um julgamento em que Lula sofria uma goleada: 7 a 1.

O pedido de liberdade de Richa desceu direto para a mesa de Gilmar. Não passou pelo procedimento da distribuição por sorteio. Foi enfiado dentro de um processo já julgado. Envolve uma ADPF, arguição de descumprimento de preceito fundamental. Relatada por Gilmar, resultou na proibição das conduções coercitivas. A ADPF é ferramenta apropriada para a discussão de teses jurídicas, não de casos individuais de pessoas em litígio com a lei.

A “legislação e a jurisprudência do STF não admitem a interposição de ADPF por pessoas físicas”, reconheceu o próprio Gilmar em seu despacho. A despeito de anotar que Richa é “parte ilegítima para atuar na demanda”, o ministro decidiu agir de ofício, por conta própria. Abriu a cela de Richa e de outras 14 pessoas envolvidas em esquema de superfaturamentos e propinas. Fez mais: proibiu que as prisões preventivas, de cinco dias, fossem convertidas em temporárias, por prazo indeterminado. Com isso, anulou decisão judicial que prorrogara a cana.

Gilmar socorreu Beto Richa como um lobo solitário. O Tribunal de Justiça do Paraná negara habeas corpus ao tucano. O Superior Tribunal de Justiça também rejeitara pedido para abrir a cela de Richa, candidato ao Senado. Gilmar não titubeou.

Dias Toffoli serviu refresco ao ex-colega de ministério Guido Mantega horas antes de assumir a presidência do Supremo. Retirou das mãos de Sergio Moro um processo coabitado por João Santana, o marqueteiro das campanhas petistas, e a mulher dele, Monica Moura. Após acusar o juiz da Lava Jato de “burlar” decisão do Supremo, Toffoli remeteu tudo para a Justiça Eleitoral, onde eventuais condenações são leves como algodão doce. E não resultam em cadeia.

A ação movida contra Mantega e o casal do marketing petista refere-se a uma propina de R$ 50 milhões que Marcelo Odebrecht mandou pagar em troca de duas medidas provisórias. Por meio delas, o governo instituiu o chamado “Refis da crise”. Entre as empresas que rolaram seus débitos tributários estava sobretudo a Braskem, do grupo Odebrecht. A coisa é de 2009. A grana suja foi à conta “pós-Itália”, colocada à disposição de Mantega. Uma parte cobriu despesas da campanha de 2014.

O caso tem cara de corrupção, rabo de corrupção e patas de corrupção. Mas Mantega enfiou tudo no gavetão das pendências eleitorais. Deu de ombros para o fato de que Mantega, Santana e Monica jamais disputaram cargos eletivos. Não é o primeiro caso de conversão de roubalheira em caixa dois de campanha. Se a moda se estende a todas as ações do petrolão, a Lava Jato vai para as cucuias.

Ricardo Lewandowski suspendeu o julgamento do recurso contra a prisão de Lula no plenário virtual do Supremo, no qual os ministros votam pelo computador. Das 11 togas, oito já haviam votado. O placar era de 7 a 1 pela manutenção de Lula em cana. Ao intervir, o amigo do ex-presidente petista forçou o envio do processo para o plenário tradicional. O placar foi zerado. Caberá a Toffoli, agora o mandachuva da Suprema Corte, marcar a data do novo julgamento.

Juntos, Gilmar, Toffoli e Lewandowski representam 27% da composição total do Supremo. Deram à instituição e aos 73% restantes uma má imagem e uma péssima fama. Formaram um trio monolítico anti-Lava Jato. Tornando-se majoritários na Segunda Turma do Supremo, de cinco membros, implementaram uma política de celas vazias. Votaram sistematicamente contra o trabalho de procuradores, agentes federais e juízes de primeira instância.

A ascensão de Toffoli à presidência do Supremo deve reduzir na Segunda Turma a quantidade de por ques sem porquês. Pelo regimento da Corte, Cármem Lúcia, já na pele de ex-presidente, ocupará o assento de Toffoli na turma. É improvável que ela forme trio com Gilmar e Lewandowski. Mas sempre haverá a possibilidade de um despacho monocrático (individual). Ou de uma decisão liminar (temporária) de ofício (por conta própria). Ou de um pedido de vista redentor —no plenário virtual ou no tradicional.

O Supremo precisa informar que papel deseja desempenhar no esforço nacional anticorripção. Terá de decidir se continuará sendo parte do problema ou se deseja virar parte da solução.

sábado, 15 de setembro de 2018

09 - postagens do Olavo de Carvalho sobre o Bolsonaro:


Nenhuma direita será possível no Brasil sem derrubar o mito da “luta contra a ditadura”. Antes bolsonarette do que arruinaldette.

Nunca fui cabo eleitoral do Bolsonaro, mas, depois da entrevista dele com o Marco Antônio Vil, aceito, a título de merecida reparação moral, até serviço de homem-sanduíche, espremido entre duas placas: VOTE EM BOLSONARO.

Coisas desta "Ré-Pública"


Patrulha antifofoca


   Nossa República socialista tem produzido pérolas cada vez mais preciosas. Veja-se esta: vem sendo frequente a Justiça trabalhista condenar empresas por não coibirem fofocas nos ambientes de trabalho. Os valores variam de R$ 5 mil a R$ 30 mil. O funcionário que se julgar ofendido por comentários de colegas e provar que o patrão nada fez para impedi-los poderá pedir a indenização.

    A fofoca, que os moralistas antigos denominavam de “murmuratio”, é um fenômeno milenar que está presente em qualquer relacionamento humano sobretudo em ambientes de trabalho.

   Não é algo louvável, sem dúvida, mas não cabe ao Estado combate-lo por via legislativa. Entretanto, alguns magistrados descobriram que a fofoca fere o inciso X do artigo 5º da Constituição: “São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”.

    O empresariado nacional, de agora em diante, ou estabelece brigadas para identificar e combater os fofoqueiros de plantão, ou terá que encerrar sua atividade...virou ou não piada a República brasileira?

Fonte: Boletim “Herdeiro do Porvir”, nº 54, julho a setembro de 2018

BOLSONARO PODE NÃO VOTAR, MAS CRIMINOSOS SIM - Por Claudio Humberto.


Se estivesse em uma penitenciária, como todos os demais presidiários, o ex-presidente Lula teria o direito de votar. 

Mas, se no Brasil criminosos podem ir às urnas, o mesmo não se aplica a suas vítimas. A Justiça Eleitoral permite em tese que bandidos como Adélio Bispo dos Santos exerça o direito de voto, mas sua vítima, Jair Bolsonaro, que luta pela vida numa UTI, não poderá votar nele mesmo no dia 7, caso esteja ainda hospitalizado. 

Esta é uma das heranças do PT no poder.

251 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Foto - Hospital São Francisco de Assis - Crato - Ceará.

Acomodado  no velho banco herdado do seu bisavô José Raimundo do Sanharol, José André conversava com Antônio de Gonçalo quando chegou o seu primo Joaquim André bastante aflito e muito nervoso, disse : Zé de tio Pedo, vi lhe entregar Antônio aos seus cuidados, a crise mental desta feita superou todas as demais. Ele não foi assassinado hoje no Roçado Dentro porque Nossa Senhora não permitiu.  A policia chegou a tempo e levou para cadeia.

No outro dia José André  alugou a Rural de Barroso, e com a segurança de Vicente de Santiago e Antônio de João do Garrote seguiram para o Crato.

Logo que saíram Antônio André tirou uma peia de fumo do bolso e começou a mascar. Na Cachoeira Dantas soltou a primeira prastada  de cuspe no carro. Barroso pediu  com lhaneza no trato : Antônio André, amigo velho, não faça isso,  não cuspa no meu carro.  

Antônio André fez ouvido de mercador. Vieram a segunda e terceira cusparada até Barroso falar irritado: Antônio André,  condenado, não cuspa no meu carro!

Em resposta ouviu do Antônio : Eu cuspo, eu mijo e eu cago, quem mandou você alugar a Zé de tio Pedo. 

Quem aluga deixa de ser dono.


DESAFIO PERMANENTE - Por Wilton Bezerra, Comentarista esportivo - TV Diário e Rádio Verdes Mares


É verdade que os maiores treinadores devem suas reputações aos grandes desafios encontrados pela frente.
Só que, no futebol brasileiro, os desafios impostos pela cartolagem aos técnicos atingem níveis subterrâneos de estupidez.
Do alto de suas visões absurdas, os “gestores” dos clubes ditam a moda.
De um momento para o outro, determinam que interinos e jovens auxiliares de comissões técnicas é que constituem o novo figurino do treinador moderno.
Ao mesmo tempo, rotulam os profissionais mais maduros de “ treinadores de raíz”.


Depois de produzir vítimas na faixa renovada de orientadores. com a mesma política insana de dispensas, refletem e passam a achar que as novas metodologias não estão com essa bola toda.

Consequentemente, é de se esperar um movimento de retorno mais conservador de quem resolve ditar moda com a manjada dança dos técnicos.
Querem ver? A contratação de Luiz Felipe Scolari, treinador da terceira idade, por parte do Palmeiras.

Isso pode significar que nomes como Barbieri, Zé Ricardo, Roger Machado, Jair Ventura e outros da nova geração não estão correspondendo, pelo menos, na cabeça dessa gente.
Enquanto isso, o que se vê, mesmo nos grandes jogos, é uma coisa que já estão denominando de futebol lixo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Continua-se a vender a balela do “ataque” a Bolsonaro. Foi atentado político - Por O Antagonista.


O UOL noticia que a PF trabalha sob pressão para descobrir os motivos do “ataque” a Jair Bolsonaro.

“Ataque” é balela. Foi atentado político destinado a matar o primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto — e que, ao perfurar o intestino de Bolsonaro, atingiu o coração da campanha eleitoral do candidato.

Paremos com essa farsa.

250 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.



Na casa de José Raimundo do Sanharol tinha um pau d'arco enorme, um ipê amarelo. Do tronco da árvore foram feitos dois bancos desses antigos medindo 26 palmos de comprimento com quatro de largura. 

Os bancos gêmeos terminaram  pertencendo  a dois bisnetos do José Raimundo : Meninin Bitu e José André do Sanharol.

O de Meninin Bitu deve está lá soberano, imponente e majestoso comemorando mais de 200 anos de existência. Já o de José André foi levado pelo prefeito para uma exposição da semana do município e não se sabe que fim levou. Deve ter queimado junto com o "Museus Nacional".  

Lembrando a história dos bancos de Pau d'arco contarei algumas estórias que, quando criança, vi e ouvi do meu velho pai com o testemunho do nobre amigo Antônio de Gonçalo. 

Histórias e estórias adormecidas na memória e no coração. Aguarde a próxima postagem.


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

FARINHA DO MESMO SACO - Por ANTONIO GONÇALO DE SOUSA.



Na eleição deste ano de 2018, muito mais do que já se vinha observando nas eleições anteriores, há uma fragmentação na política, no conceito republicano da democracia representativa e nos programas partidários no Brasil. Está acontecendo uma verdadeira confusão, em termos de misturas ideológicas.

Isso faz com que a maioria das pessoas, não tenha noção de quem apoia quem; qual a proposta mais plausível; e que candidato tem condição de aplicar seu plano de governo na prática, visto que, o executivo no sistema presidencialista, tem muito a negociar com o legislativo, que, no entanto, também sofre de corrosões ímprobas e corruptoras, além de ser composto por número exagerado de legendas, formando uma verdadeira colcha de retalhos e, consequentemente, de ideias vãs.

Em função disso, e de outros rebuscados de trapalhadas que vemos na administração pública ultimamente, há evidência que muitos eleitores vão deixar de comparecer à urna, irão anular o voto ou votar em branco na  eleição de outubro próximo.

Para se ter uma ideia de quão desregrados estão os conchavos políticos desta campanha eleitoral, no Ceará, por exemplo, o Camilo Santana - governador que pleiteia reeleição - apoia Ciro Gomes (PDT) e Fernando Addad (PT) para presidente, ao mesmo tempo manda votar no Cid Gomes (PDT) e em Eunício Oliveira (PMDB) para o senado. Por outro lado, na coligação do PSDB o Capitão Wagner - candidato a Deputado Federal - apóia o General Teófilo para o Governo do Estado, mas, para presidente, pede voto para Bolsonaro ( PSL).

Nos municípios não é diferente, a julgar pelos casos que conheço mais de perto: Quixadá e Várzea Alegre, onde lideranças antagônicas de muito tempo estão juntas, sabendo eles (e a gente também), que é mero oportunismo político agregado, certamente, a nefastos interesses próprios dos apaziguados políticos de sempre.

Para arrematar com tudo que observamos, o Lula da Silva, fixa suja, condenado em segunda instância e preso, ainda vai influenciar ou até mesmo ganhar essa próxima eleição, através de mais um "poste" por ele indicado de onde está na cadeia. E, convenhamos, levando-se em conta o conjunto de candidatos a Presidente da República, não teria uma grande diferença entre um ou outro que venha a ganhar. Nós é que devemos nos prevenir e não pensar que haverá uma transformação imediata; que dinheiro vai voltar a cair do céu; e que a ordem vai reinar de repente. Não nos enganemos, pois a farinha virá do mesmo saco.

Ciro Gomes trata Lula na base morde e assopra - Por Josias de Souza.



Ciro Gomes se autoimpôs uma tarefa inglória. Quer enfrentar o PT na batalha eleitoral sem alvejar Lula. É algo tão complicado quanto decapitar inimigos numa guerra sem derramamento de sangue.

Em sabatina promovida pelo Globo, Ciro disse que ''o Brasil não aguenta outra Dilma” Referindo-se a Fernando Haddad, que substituiu Lula na chapa presidencial petista, Ciro afirmou: “Não podemos ter outro presidente por procuração''.

Ciro sabe que a candidatura de Haddad é um empreendimento político 100% concebido por Lula. Mas poupa o presidiário: “O Lula a gente tem que relativizar, porque ele está isolado.”

Acrescentou: “O Lula está com um problema, porque morreram o Márcio Thomaz Bastos, o Luiz Gushiken, está sem José Dirceu…, perdeu dona Marisa. Hoje, o Lula está cercado de puxa-saco.”

Para Ciro, graças ao isolamento, Lula “perdeu um pouco da visão genial que ele tem da realidade. Se ele estivesse solto, não teria permitido uma série de desatinos que estão sendo promovidos.”

Os ''desatinos'' são do líder ''genial'', não súditos petistas. Os partidos brasileiros sofrem de carência de miolos. Mas Ciro não ignora que no PT a moléstia se manifesta numa única cabeça. A cabeça do preso.

Mesmo quem não entende nada de política compreende a politicagem embutida nas palavras de Ciro. O candidato morde o PT para seduzir os votos do eleitorado antipetista de centro. Assopra Lula para atrair votos que iriam para Haddad.

“O PT muitas vezes dá demonstração de que só pensa em si”, declarou Ciro. “Todos sabiam que o Lula não podia ser candidato. Contraria a inteligência do povo.” O candidato ainda não notou. Mas também atenta contra a inteligência alheia.

Adulando Lula, Ciro arrisca-se a perder votos do eleitor de centro. Batendo no PT, confunde o eleitorado companheiro. Candidatos às vezes não podem ser transparentes. Mas não dá para esconder a luz dentro do escuro.

08 - postagens do Olavo de Carvalho sobre o Bolsonaro:


Já avisei e repito: Declaro-me eleitor do Bolsonaro enquanto estiver seguro de que ele não tem rabo preso com nenhum esquema globalista. Se descobrir que tem algum, voto em branco.

Vou votar no Bolsonaro porque acho que essa é a minha obrigação, não porque acredite que isso vá mudar alguma coisa. Toda política eleitoral, nas presentes condições, segue o lema do Montherlant: “Service inutile.”

O Brasil de Dom Pedro II e o do Lula - Por Antônio Morais.


Se não fosse imperador, desejaria ser professor. Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens para o futuro.

Dom Pedro II.


A profissão mais honesta é a do político, porque todo ano, por mais ladrão que seja, ele tem que ir pra rua encarar o povo e pedir o voto. O concursado não, se forma na universidade, faz concurso e está com o emprego garantido.

Lula.

QUEM SE IMPORTA? - Por Wilton Bezerra, Comentarista esportivo da TV Diário e Rádio Verdes Mares·




Em um dos seus filmes, o ator Tom Cruise faz papel de um personagem cuja atividade é a de matador profissional.
Ao cabo de tantas “encomendas” de assassinatos, em determinado momento é alertado para o fato de que, numa empreitada mais arriscada, poderia partir dessa para outra.
Demonstrando desprezo pela vida, responde secamente: “Quem se importa com isso”?
Se o mundo não ligava para ele, a recíproca era rigorosamente do tamanho do seu pouco caso por ele.
Como se vê, um caso de vazio existencial por parte de quem fez profissão abreviar a existência dos outros.
Esse redolero (essa palavra passa a existir) todo, para dizer que é estranho ouvir, de tantas bocas, declarações a respeito do incêndio do Museu Nacional. Tudo para demonstrar desconhecimento e desprezo pela existência do valioso equipamento cultural.
“Nunca passei nem pela porta” “Soube desse museu, depois do incêndio”. “Sinceramente, não sabia nem onde ficava”. “Por que esse impacto todo, se era tão esquecido assim”?

E, por aí, vai.
Em terra de ágrafos, de bibliotecas entregues às traças, teatros ignorados e museus destruídos pelo fogo, é o caso de se chegar à resposta do personagem de Tom Cruise: “Quem se importa com isso”?

Parece que quase ninguém.

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

249 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.

O alferes português Bernardo Duarte Pinheiro solicitou umas datas de sesmarias, às margens do Riacho do Machado. E, por despacho de 23 de fevereiro de 1718 foi-lhe concedida uma extensão de nove léguas, com uma légua para cada lado do riacho citado. 

Quando veio, com a família, para conhecer as sesmarias, chegando numa lagoa circundada de floresta virgem – onde haviam pássaros em grande quantidade e de várias espécies – ficaram eles parados, a contemplar aquela paisagem maravilhosa. Um componente da caravana proferiu essa concisa frase - "Que várzea alegre". Daí a razão do nome, da fazenda, do povoado e da agora cidade.


Na quinta geração de Bernardo Duarte Pinheiro nasceu Gabriel de Morais Rego, foto. Este se casou com Joaquina Alves de Brito, filha do Major Eufrásio Alves de Brito do sítio Malhada, em Crato. Deste casamento nasceu uma única filha: Eufrásia de Morais Brito, que se casou com Macário Vieira de Brito, foto abaixo, e deixou grande geração de homens e mulheres admiráveis. 


Da quarta geração do Gabriel de Morais Rego, numa ponta de rama semeada com a genética e adubada com a decência, honradez e caráter oriundos do Alferes português Bernardo Duarte Pinheiro, e repassada de Gabriel de Morais Rego, nasceu Hélder Macário de Brito, foto abaixo. É dele que peço permissão para contar uma historinha que lhe dignificou a vida. 


Retornando do Exército Nacional, onde serviu, fixou Hélder residência na "Fazenda Água Azul" no município de Campos Sales – Ceará, pertencente ao seu pai, Pedro Macário de Brito. Certo dia, recebeu Hélder a visita de um candidato a Prefeito daquele município, convidando-o a substitui-lo. Dias mais tarde, recebeu a visita do outro candidato ao cargo de Prefeito, com o mesmo convite. Por fim, vieram, juntos, os dois candidatos com a proposta de renunciarem ambos em seu favor.  Hélder não aceitou. Mas, aconselhado pelo pai, já que se tratava de um consenso, terminou por aceitar o desafio e se elegeu Prefeito Municipal.

O principal problema da cidade de Campos Sales era a deficiência no abastecimento d'água. Ele conseguiu – com o Deputado Estadual Marconi Alencar e com o Deputado Federal Marcelo Caracas Linhares – a verba para a construção de um açude, resolvendo o problema do abastecimento de água para a população.

O engenheiro do departamento de obras visitou, juntamente com Hélder, todas as propriedades da bacia a ser alagada pelas águas. Nenhum dos proprietários exigiu indenização qualquer para a cessão de faixas de suas terras. 

De volta à sede do município, numa paragem à beira da estrada, o engenheiro tratou de informar que aquele seria um grande negócio para os dois. Hélder respondeu: De minha parte não aceito, você pode fazer sozinho, mas, se fizer, eu lhe denuncio. 

Pelo que vimos, Hélder Macário de Brito foi feito com o mesmo material do Alferes Bernardo Duarte Pinheiro e do seu bisavô, Gabriel de Morais Rego.

Temo não proferir o seu nome, com todo o respeito que é devido. Temo pronuncia-lo, e não exprimir o profundo respeito que invade o meu orgulho por ser seu parente e seu amigo.  Deixo que as faces dos homens divulguem o que devemos a Hélder Macário de Brito. Deixo que eles descrevam as virtudes dele; virtudes verdadeiras, atestadas por milhares de testemunhas Campos salenses.


Ciro Gomes volta a ser o “velho Ciro de guerra"...

Excertos de uma entrevista concedida em 12-08-2018 ao jornal “O Globo”

Talvez por tática, quiçá por orientação do seu marqueteiro, o político Ciro Gomes passou alguns dias demonstrando serenidade, sem ferir ninguém; agindo com prudência, tranquilidade e  temperança verbal,   frente aos adversários dele na presente campanha presidencial...

Alguns mais apressados, notando a ausência da ferina metralhadora verbal que sempre caracterizou Ciro Ferreira Gomes, chegaram a publicar: “Ciro mudou”. Mudou mesmo? Ledo engano.
Estagnado, em segundo lugar nas pesquisas, em empate técnico com Geraldo Alckmin, Marina Silva e Fernando Hadad, Ciro Gomes voltou, nesta 4ª feira, 12,  a ser o velho Ciro de guerra: exaltado, furioso e colérico...

Abaixo suas declarações que estão na mídia neste 12 de setembro de 2018 (*):
“Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência, disse nesta quarta-feira, 12, em sabatina no jornal "O Globo", que em seu governo o general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, teria sido demitido por sua fala pública sobre a instabilidade política no Brasil”. “No meu governo, militar não fala em política. Se fosse no meu governo, ele estaria demitido e provavelmente pegaria uma cana. Eu conheço bem o general Villas Bôas. Ele está fazendo isso para tentar calar as vozes das cadelas no cio que estão se animando, o lado fascista da sociedade brasileira", afirmou.

Já sobre o General Mourão, Ciro declarou:
"O general Mourão (vice de Bolsonaro) é um jumento de carga, que tem entrada no Exército. Quem manda nesse País é nosso povo. Tutela, sargentão dizendo que vai fazer isso e aquilo, comigo não acontecerá. Sob a ordem da Constituição, eu mando e eles obedecem".

Sobre o candidato Jair Bolsonaro, Cirgo Gomes fez até uma promessa:
“O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, disse que em caso de eleição de Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas de intenção de votos, ele sairá da política e não integrará oposição a ele. "(Se Bolsonaro ganhar) Eu vou desejar boa sorte a ele, cumprimentá-lo pelo privilégio e depois eu vou chorar com a minha mãe. Eu saio da política”.

(*) Cfe. o jornal  O Estado de S.Paulo, citando a sabatina de Ciro Gomes ao jornal O GLOBO.

Haddad tem um cabo eleitoral involuntário: Temer - Por Josias de Souza.



Em política, o que te mostram nunca é tão importante quanto o que você consegue enxergar por conta própria. Repare no caso de Fernando Haddad. Ele entrou na disputa presidencial com cara de candidato competitivo. O que te mostram é que a grande alavanca de Haddad é Lula. O que você pode enxergar sozinho, sem grande esforço, é que Haddad dispõe de um segundo cabo eleitoral involuntário. Chama-se Michel Temer.

Quando Dilma Rousseff foi deposta, em 2016, a rotina já havia se transformado em escândalo. A recessão mastigara mais de 11 milhões de empregos. A responsabilidade fiscal fora substituída pelo malabarismo econômico. O Congresso virara uma trincheira hostil. E o Planalto tornara-se o endereço da impopularidade.

Graças ao impeachment, as crises política, econômica e ética migraram para o colo de Temer, um político em processo de autocombustão. Se Dilma ainda fosse presidente, o PT estaria em chamas, Lula seria um presidiário sem audiência e Haddad não receberia do eleitor nem bom dia, que dirá voto. À frente de uma campanha que finge que Dilma não existiu, Haddad encarna o discurso do ‘contra-tudo-o-que-está-aí’. E o que está aí é Temer, o vice que Lula impôs a Dilma.


248 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.

Há alguns anos, Manoel Leandro foi ao engenho de Antônio Primo, já no fim da moagem, quando a cana já não é tão boa, e, trouxe um mel bastante salobro, salgado, que é coisa muito ruim.

Manuel sempre deu muito valor a produtos de  engenho. Dia 27 último, houve um leilão na capela de Nossa Senhora. das Graças, no Sanharol e a primeira prenda que levantaram foi uma bandeja de salgadinhos arrematada por R$ 100,00 o que causou espanto e admiração dos presentes.

Manoel Leandro olhou para Socorro, sua esposa e lamentou: É danado, se eu soubesse que coisa salgada iria fazer tanto sucesso nesse leilão, eu teria trazido aquele baldo mel que tem lá em casa.

Fonte - Giovane Costa.


PRESIDENTE DO STJ QUER LULA NA PENITENCIÁRIA - Por Claudio Humberto.


O ministro João Otavio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse ontem que a aplicação da Justiça pressupõe igualdade de tratamento, por isso defende que o ex-presidente Lula, condenado a pena de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, deveria cumprir sua pena em um presídio, como qualquer apenado, sem a regalia da cela especial onde se encontra.

LAMENTAÇÕES - Por Wilton Bezerra, Comentarista esportivo da TV Diário e Rádio Verdes Mares


Seria bom falar do amor. Embora o amor seja tão breve como a glória da flor.
Vejam o frescor das palavras quando o assunto é leve.
Mas, não dá para falar coisas tão leves sobre um país sem noção como o Brasil atual.

Depois dos seqüestros (lembram-se de quando eles estiveram na moda?), assassinatos comandados das prisões, ônibus incendiados a granel, delações premiadas, políticos e empreiteiros presos (como nunca se viu), malas cheias de dinheiro, greve descomunal de caminhoneiros e outras mazelas, chegamos ao estágio do atentado.

Atentaram contra a vida de um candidato à Presidência da República, em plena campanha eleitoral.
O ser humano tende à imitação e prefere caminhar sobre terra batida pelos outros, segundo Maquiavel.

Se aconteceu em todo lugar do mundo, por que não aqui?
Sempre defendemos que o espírito brasileiro não conjumina com essas coisas.

Agora, é preciso investigar mais para saber se merecemos o pódio, também, nesse tipo de violência.
Só se sabe que, quando se junta cinismo, hipocrisia, desonestidade e deboche com a vida dos outros, o país chega ao fundo de um poço sem fundo.

É a receita ideal para o desastre em todos os níveis.
Cenário apropriado para uma desgraça chamada populismo, que nada mais é do que um abraço de afogado.
Em termos de lamentação, vou ficando por aqui.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

CARIRIENSIDADE ( por Armando Lopes Rafael)


 A primeira romaria feita a Juazeiro do Norte

   Capela de Nossa Senhora das Dores, da povoação de Joaseiro, onde em 1889 ocorreu o fenômeno do sangue na boca da Beata Maria de Araújo

     Em 6 de março de 1889, ocorreu um fato inusitado. Uma hóstia consagrada, dada em comunhão (pelo Pe.Cícero) à Maria de Araújo, transformou-se  em sangue na boca da Beata. A notícia correu – como um rastilho de pólvora – pelo interior nordestino.   Quatro meses depois do acontecido – num domingo, 7 de julho daquele ano –  aconteceu a primeira romaria feita a Juazeiro do Norte. Ela foi planejada e partiu de... Crato!
     Milhares de cratenses, sob a orientação do Mons. Francisco Rodrigues Monteiro, seguiram a pé de Crato até à “povoação do Joaseiro”.

        Amália Xavier de Oliveira, no seu livro “O Padre Cícero que eu conheci” descreveu aquela romaria. A conferir. “Do púlpito da Capela e Nossa Senhora das Dores de Juazeiro, povoação de Crato, (Mons. Monteiro) divulgou, oficialmente, perante mais de 3 mil pessoas os fatos extraordinários que se passavam ali, afirmando aos presentes, que o sangue verificado por todos, naquelas toalhas por ele apresentadas, era o próprio sangue de Jesus Cristo, arrancando dos presentes, copiosas lágrimas” E acrescentou:  "Se um dia eu negar o que vi que me falte e a luz dos olhos”.

         Anos depois, Mons. Monteiro, pressionado pelo Bispo do Ceará, Dom Joaquim Vieira, voltou atrás naquelas suas palavras, proferidas em Juazeiro. Amália Xavier de Oliveira concluiu assim seu escrito: “Mas, sem a luz dos seus olhos (Mons. Monteiro tinha cegado devido à catarata), veio ele muitas vezes a Juazeiro onde passava semanas e mais semanas, hóspede do Pe. Cícero, em casa da sua irmã Angélica, sob os cuidados de Giluca, uma Beata da família Pinheiro Monteiro que ali residia”.

Onde anda o “Projeto do Cariri”?

     Iniciado em 2002, o “Projeto Cariri” é fruto de um “Termo de Cooperação Técnica e Cientifica”, celebrado entre o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e a URCA (Universidade Regional do Cariri). 
       Seu principal objetivo é a realização de estudos e registros do patrimônio imaterial do Cariri. O “Projeto Cariri” previa a implantação, em Juazeiro do Norte, do “Roteiro da Fé” (no percurso Basílica Menor de N.S. das Dores/Capela do Socorro/Colina do Horto/Santo Sepulcro). Previa, também, a divulgação das formas de Expressão, Saberes e Fazeres do Cariri, com destaque para a Festa do Pau da Bandeira de Barbalha; as tradições populares (bandas cabaçais, grupos folclóricos, escultores e santeiros de Juazeiro do Norte); a divulgação do Museu de Paleontologia de Santana do Cariri, dentre outras metas.

    No tempo em que o Prof. André Herzog foi reitor da URCA existia até um escritório do “Projeto Cariri” nas dependências daquela universidade. Depois do término da administração de André de Herzog, nunca mais se ouviu falar no “Projeto Cariri”. Será que ainda existe?

Uma preciosidade da riqueza do patrimônio histórico-religioso do Cariri

     Imagem primitiva de Nossa Senhora das Dores, venerada em Juazeiro do Norte a partir de 1827, ano de inauguração da capelinha construída pelo Brigadeiro Leandro

     Adquirida em Portugal, pelo Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro, a pequena imagem de Nossa Senhora das Dores foi venerada na capela primitiva da Fazenda Tabuleiro Grande, a partir de 1827. Tornou-se, desde aquela data, a Rainha e Padroeira da povoação do “Joaseiro”. A imagem primitiva (chamada antigamente pelo povo de “Carita”), recebeu a devoção dos juazeirenses durante 60 anos. Zélia Pinheiro, autora do opúsculo "Sesquicentenário de Fé", registra que a imagenzinha pontificou no altar das duas capelas de Juazeiro até 1887. Bom lembrar que em 19 de agosto de 1884, foi consagrada a nova capela, ampla e bonita – construída Pelo Padre Cícero –  que substituiu a primitiva, esta edificada pelo Brigadeiro Leandro. 

     Assim escreveu Zélia Pinheiro: (Até 1887) “Continuava como Padroeira Nossa Senhora das Dores (a “Carita”) e fora colocada no Altar (da nova igreja) a mesma imagem trazida de Portugal para a Capelinha da Fazenda Tabuleiro Grande. Era uma imagem em estilo bizantino, de madeira, muito bem esculpida, tendo setenta e cinco centímetros de tamanho e permaneceu no Altar-Mor até setembro de 1887. Naquele ano, a imagem antiga foi trocada pela nova, adquirida na França, que até hoje está lá”.
        A imagem primitiva de Nossa Senhora das Dores, que tem 191 anos, ainda existe,  em perfeito estado de conservação.

Escritores do Cariri: Padre Azarias Sobreira

     Azarias Sobreira Lobo nasceu no dia 24 de março de 1894, no então Sítio Timbaúba (hoje um bairro citadino) em Juazeiro do Norte. Nasceu no mesmo dia em que seu padrinho de batismo –  Padre Cícero Romão Batista –  completava 50 anos de idade. Era filho de um cratense – Pedro Lobo de Menezes, descendente do Brigadeiro Leandro Bezerra Monteiro – e da professora juazeirense Carolina Sobreira. 
    Desde criança pensava em ser sacerdote. Ele foi o primeiro juazeirense a ser ordenado padre na então mais nova Diocese do Ceará, a de Crato, com 22 anos de idade, em 22 de abril de 1917.

       Pe. Azaria foi um exemplar sacerdote. Muito culto, era filósofo, educador, professor e escritor. Dedicou-se, especialmente, ao trabalho de ampla pesquisa e profunda análise sobre o Padre Cícero. Próximo da sua morte, escreveu: “Se, neste meu ablativo de vida, me perguntasse qual a marca que me parece mais saliente em meu espírito, eu não teria medo em responder: uma inata tendência para admirar. Não propriamente os que fizeram fortuna ou conseguiram altas posições sociais, e sim os que se impuseram pela coragem das convicções, pelo domínio de seus apetites desordenados, pela compaixão para com os injustiçados e oprimidos.

       Escreveu e publicou dezenas de trabalhos, artigos e alguns livros. Dentre suas obras podemos destacar os seguintes livros: "O Primeiro Bispo do Crato–Dom Quintino", "Tipos e Sugestões", "Monsenhor Tabosa, Apóstolo do Ceará", "Mensagem aos Protestantes", "Minha Árvore de Família", "Zuca Sampaio, um sertanejo de escol", "José Marrocos– Em Defesa de Um Abolicionista", "Uma Flor do Clero Cearense", "Enigma de Ontem e de Hoje", "Pontos de Português", "Sacerdote Modelo" e "O Patriarca de Juazeiro", sua obra-prima, publicada em 1969. Faleceu em Fortaleza, no dia 14 de junho de 1974.

Cariri vai produzir energia eólica

     A nota abaixo foi publicada na coluna de Egídio Serpa (“Diário do Nordeste”, 06-09-2018): “Em maio, a Cemig fez um leilão para a compra de energia. O grupo francês Quaran ganhou o leilão, que incluiu os projetos desenvolvidos pela Cortez Engenharia e a Braselco, com capacidade de 240 MW de geração eólica. Os parques serão instalados no Cariri e neles serão investidos R$ 1 bilhão.

       A Quadran, maior empresa francesa do setor, terá a parceria da dinamarquesa Vestas, cuja fábrica de Aquiraz será ampliada para produzir os novos aerogeraores de 4,2 MW. A implantação do projeto – que estará pronto em 2021 e terão o Cariri como sede – começará por Missão Velha e Porteiras, estendendo-se depois para Jardim, Barbalha e Crato”.

Crato tem o seu primeiro “arranha céu”

      Os grandes edifícios (aqueles que antigamente o povo chamava de “arranha-céu”) já são abundantes, desde algum tempo, em Juazeiro do Norte. Em Crato, segunda maior cidade da Região Metropolitana do Cariri, a construção do edifício Kariris Blue Tower, com 19 andares, está na reta final. 
       O edifício fica localizado no centro da cidade, na Rua André Cartaxo, próximo ao Mercado Municipal Walter Peixoto. O Edifício Kariris Blue Tower abrigará 205 salas, 9 lojas, salão de eventos na cobertura, dentre outras sofisticações, como um aquário ornamental no hall dos elevadores. A iniciativa privada é quem tem garantido o progresso de Crato nos últimos tempos.



Um caririense ilustre: Prof. José Bizerra de Britto

     Zuza Bizerra (assim era mais conhecido o Prof. José Bizerra de Britto) foi um dos homens de bem do Cariri. Nasceu no sítio Malhada, município de Crato, em 6 de junho de 1878. Vindo cedo para estudar na sua cidade natal, foi aluno do Prof. José Marrocos. Depois estudou no Seminário São José até o curso de Teologia. Preferiu a vida de leigo, mas chegou a ser – por longos anos – um dos professores daquele vetusto educandário católico, e outros colégios de Crato. 

    Era reconhecido como emérito educador, líder católico e jornalista. Deixou vasto trabalho, prestado a sua cidade natal, nesses 3 ramos da atividade humana. O Prof. Zuza Bizerra era uma pessoa de fino trato e dotado de honestidade a toda prova. Por isso foi homem de confiança dos dois primeiros bispos de Crato, Dom Quintino e Dom Francisco de Assis Pires. Nunca se preocupou em amealhar bens materiais, por isso sempre viveu pobre, recebendo o respeito e admiração da comunidade. 

       Foi um vocacionado ao jornalismo. Dirigiu por muito tempo os dois jornais da Diocese de Crato: ”A Região” e “A Ação”. Como rábula, exerceu a advocacia em Crato e nos municípios vizinhos. Quando do seu falecimento, o escritor J.de Figueiredo Filho publicou: “Passou a vida no Magistério e a espargir o bem, munido de inteligência privilegiada e fé inquebrantável. Só ensarilhou armas quando os anos não mais lhe permitiram trabalhar”.

     Tive o privilégio de conhecer e conviver com o Professor José Bizerra de Britto, ele na ancianidade e eu ainda menino. Morávamos próximo um do outro, na Avenida Teodorico Teles. Meu pai tinha uma profunda admiração pelo velho professor, que era reconhecido por todos como um homem de bem, um cidadão exemplar em todos os aspectos.

     Recordo-me de ter lido alhures um depoimento do fundador das universidades cearenses, o eterno e admirável Reitor Antônio Martins Filho, onde ressaltava as características do homem íntegro que foi o Professor José Bizerra de Britto. Martins Filho foi aluno do Professor Zuza, na extinta Escola Técnica de Comércio de Crato, e guardou do antigo mestre a imagem de um homem de caráter, digno, honesto, sereno, justo e caridoso.