Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Tiririca, Doutor Honoris Causa -- por Armando Lopes Rafael


Foi sob protestos de um grupo de cerca de 100 estudantes ligados ao Diretório Central da Universidade Federal da Bahia (UFBA) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu, no último dia 20, o título de Doutor Honoris Causa da instituição. Turminha ingrata!
Era a sexta condecoração do gênero recebida pelo ex-presidente. As outras foram concedidas pelas Universidades de Coimbra, em Portugal, Federal de Viçosa (UFV), de Pernambuco (UPE), Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).
Durante a solenidade, um grupo de estudantes chegou ao prédio da reitoria da instituição para cobrar, entre outras melhorias, o aumento para 10% do Produto Interno Bruto (PIB) o montante a ser obrigatoriamente investido em educação no País. Como não havia espaço no salão onde ocorria o evento, os estudantes tiveram de ficar do lado de fora  – de onde gritaram palavras de ordem – até que o discurso do ex-presidente, que durou 30 minutos, fosse concluído.
Depois, os manifestantes conseguiram entrar no salão, onde acompanharam o fim das homenagens a Lula e voltaram a gritar palavras de ordem.

Agora será que Lula merece mesmo o título de Doutor Honoris Causa?
Para mim isso é matéria de pouca importância. Se quem deu o título acha que ele merece, então protestar para quê?
Vá lá. Lula é, no mínimo, incoerente. Como alguém que se orgulha de não ter educação formal pode ser Doutor Honoris Causa?
Como se pode laurear uma pessoa que apoiou ditaduras que violam os direitos humanos? Lula chamou Kadafi de “meu irmão e meu líder”; viabilizou a ditadura da dinastia Castro em Cuba, a ditadura mais antiga e a mais sanguinária do mundo. Deu apoio a ditadura do Irã, que mata mulheres com apedrejamento. Apoiou presidentes do naipe de Hugo Chávez e Evo Morales. Aliás, deste último -- o "cocaleiro" -- dizem que Lula se pelava de medo. A invasão das refinarias brasileiras na Bolívia estão aí para provar...
Todos sabem que não concordo com muita coisa feita no governo de Lula, durante oito anos. Ele fez vista grossa para a corrupção que se alastrou na sua administração. Mentiu dizendo que não sabia de nada na roubalheira do “Mensalão”. Desmascarado, tudo fez para que as falcatruas do “Mensalão” não fossem apuradas. Pior: não só manteve muitos desses corruptos durante toda a sua administração, como ainda patrocinou-os a permanecerem no governo de dona Dilma. Mentiu para enganar os incautos. Disse que tinha pago a dívida externa. Na verdade, ela foi triplicada no governo Lula. Disse que o Brasil tornara-se autossuficiente na produção de petróleo. Hoje importamos mais do que em governos passados. Mas vá lá. Querem dar honraria a Lula? Podem dar.
Enfim, seriam tantos fatos negativos do governo do “Cara” a comentar... Por isso, quando dona Dilma ("A Cara") tentou estancar a roubalheira  teve de capitular, para não perder o apoio da "base de sustentação do seu governo".
No entanto, estão cometendo injustiça com outras pessoas que também merecem ser Doutor Honoris Causa. Uma delas é o deputado federal Tiririca. Ele teve a maior votação que um deputado federal já obteve no Brasil. Ele também não tem educação formal. É nordestino. Tem gente que não se conforma em ver nordestino de pouco estudo galgar cargos importantes que exigem preparo para o exercício. São uns preconceituosos. Ou invejosos mesmos!" Tiririca também não sabe falar inglês, nem francês. Só arranha (e mal) o português. Diz “menas” ao invés de menos. Trabalhou em profissões humildes, antes de viver na mordomia da classe política. Era palhaço. Hoje é deputado por São Paulo, um estado que tem o PIB maior do que o da Argentina. Tiririca Doutor Honoris Causa já!
Ele merece...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A Greve dos Professores - Mundim do vale

Vendo aquela violêcia na assembléia, me lembrei desse pequeno verso

Ou o governo é sem noção
Que não sabe o que fazer
Ou então a repressão
Tá querendo renascer.
A greve do professor,
Parece mais com terror
Ou com caça a marginal.
O professor desarmado,
Acuado e atacado
Por força policial.

Uma reinvidicação
De qualquer categoria,
Merece mais atenção
Ao ivés de artilharia.
Professor não é bandido,
Para ser tão perseguido
Sem poder se defender.
Se o governo é insensível,
Para melhorar seu nível
Vá pra escola aprender.

Quem leciona ciência
Geografia e história,
Quando assiste violência
Se lembra da palmatória,
Uma peça ultrapassada,
Pode agora ser usada
Na classe policial.
Que vão levar uma sola,
Quando chegar na escola
Para fazer o Mobral.

Mundim do Vale.

SEXTA DE TEXTOS - Sávio Pinheiro

CARTA ABERTA AOS DOUTORANDOS DE MEDICINA DE 1982 DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Estivemos este final de semana fazendo uma homenagem ao nosso inesquecível colega Jorge Lynch, falecido recentemente. O encontro se deu num hotel fazenda entre João Pessoa e Recife. O objetivo do encontro, além de homenagear o colega, era iniciar o planejamento da festa dos trinta anos de formatura, da turma de Medicina da UFPE, de 1982. Estiveram presentes 13 colegas. Escrevi estas mal traçadas linhas e lhes enviei. Divido com vocês esta sincera reflexão.


Caros Colegas,

Após a grata homenagem ao inesquecível colega Jorge Lynch, falemos de vida. Não do pedaço da nossa existência que submerge a cada plantão ou a cada jornada de trabalho, mas da vida que encanta, e se desencanta a cada novo encontro, e que nos faz compor o canto da mais bela sinfonia do mundo. A composição do amor, da paz, da harmonia e do respeito.

Vivamos o momento! Pois a esperança refletida naquele verde canavial nos conduziu a um passado cheio de futuro, que só cresceu a cada cavalgada. Recordações estudantis nos fizeram outra vez crianças, que nem a sólida reflexão da oração, nas ondas sonoras do bolero de Ravel, nos fez retornar à realidade. O milagre da contemporaneidade aconteceu.

O finíssimo doce da cana de açúcar nos fez esquecer o desagradável sabor do sofrimento, da dor e da tristeza; e a harmonia do meio ambiente nos mostrou um novo caminho a ser seguido diante das dificuldades, doravante, encontradas.

A elegância, a fina estampa e os agradáveis fragmentos de lembranças daquela senhora de cabelos cor de nuvens e de memória anuviada, nos colocaram novamente no eixo da vida, numa prévia reflexão de que todos nós estamos expostos, não podendo mais nos dar ao luxo da mediocridade da inércia.

O assento duro do pau de arara, as cipoadas traiçoeiras dos arbustos, o banho inesperado das águas retesadas daquela improvisada coberta e a incerteza do nosso destino nos mostraram, em ensinamento magistral, a dureza da realidade humana. Confessemos... Ficamos mais dóceis e menos egoístas.

Enfim, a harmonia dos pássaros, a leveza da vegetação, a exuberância das flores, os coaxarem das rãs, a camuflagem dos camaleões, o nascer da aurora e o por do sol nos encheram de energia, dando-nos uma nova vitalidade, que já imagináramos não mais existir.

Espelhemo-nos, então, na saudade do Jorge, na fé do Arnaldo, no amor paternal do Ericsson, na amizade sincera do Chico Spinelli, na paciência do Creso, no doce sorriso da Ana Cláudia, na delicadeza da Márcia, na espontaneidade da Nélia, na simpatia da Dulce, na dedicação do Arthur, na tranquilidade do Milfont, na amizade da Elisabeth e na virilidade do Ivo...

Que o trigésimo ano de vida profissional, nos sirva de inspiração para estabilizarmos, de vez, a nossa jornada com um voo sereno, num céu de brigadeiro, vislumbrando, solenemente, o branco das nuvens, o azul do mar e a pureza inigualável do firmamento.

Um grande abraço!

Que venha 2012!

URCA - EMFERMAGEM - 2011/1.

Dra Ana Cláudia Brito de Morais.


Está a Dra Ana Cláudia a me pedir para escrever uma pequena mensagem em nome dos pais para a Turma de Enfermagem da Universidade Regional do Cariri - Urca - 2011/1. 

Na minha humildade e singeleza me coloco  no lugar de cada um dos amigos, pais ou mães para tentar mostrar  a importância desta data para todos estes e estas jovens doutores e doutoras.

Numa hora de tantas alegrias e felicidades o que um pai ou uma mãe gostaria de falar para o seu filho ou filha  querido (a)?

Coloco-me no lugar de cada pai e cada mãe, no momento em que festejamos a formatura de nossos filhos, manifestando o mais puro sentimento de gratidão e reconhecimento a dedicação e esmero empreendidos nesta jornada que hoje se finda.

Cada um de nós gostaria de declarar o nosso amor afirmando que  vocês são uns lirios que desabrocharam com o calor da luz do sol do amor. E para que a nossa felicidade seja completa, precisamos desses seus  risos, por que esses seus risos são os risos de nossa esperança.

Por fim, caros doutores e doutoras, vocês são uma criação toda especial de Deus, da qual os pais e as mães somos sócios.

Parabéns pela jornada vencida, sucesso  na vida a enfrentar.

Deus abençoe a todos e a todas.

António Alves de Morais

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

PARA SUA MEDITAÇÃO - Por Vicente Almeida

Temos dois tipos de amigos:

Os que nos divertem, e os que nos deprimem.

Os que nos divertem, são alegres, os que nos deprimem, são pessimistas.Goerge Carlin (102 anos)

Permanece com os que te são agradáveis, mas mantém distância daqueles que só vêem derrotas, pois poderão te conduzir ao fundo do poço.

Vicente Almeida
28/09/2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Terça - Blog em prosa - Por Geovane Costa.


Quem foi o bispo?

Expedito Lopes nasceu em julho de 1914, numa família de origem humilde. O pai, Edésio Lopes, era pedreiro e prestava serviços para a Diocese de Sobral. Ao perceber a vocação religiosa do menino, Dom José Tupinambá da Frota, primeiro bispo de Sobral, resolve bancar sua formação. Após estudar no Seminário São José, em Sobral, e no Seminário da Prainha, em Fortaleza, seguiu para Roma, onde fez doutorado em Direito Canônico e foi ordenado em 1938. No mesmo ano, volta a Sobral, onde atua por dez anos como capelão do Colégio Sant´Ana, além de ensinar no Colégio Sobralense e no Seminário São José. 

Em dezembro de 1948, é sagrado bispo pelo próprio Dom José e assume a recém-criada Diocese de Oeiras, no Piauí. Em 1955, torna-se bispo da Diocese de Garanhuns e, dois anos depois, é assassinado pelo padre Hosana de Siqueira e Silva. 

Desde 2003, um movimento liderado pela Diocese de Garanhuns e pelas irmãs do Instituto das Missionárias de N. Sra. de Fátima do Brasil, fundado por dom Expedito, buscam tornar o bispo santo pela via do martírio, por morrer em defesa da Igreja Católica. 

Missas e outros eventos são realizados para angariar fundos para o processo de santificação. O caso encontra-se no Vaticano, analisado pelo Tribunal do Santo Ofício desde 2006.

Karoline Viana

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

NO CEU E NA TERRA. É GRANDE O BARULHO DA MIDIA DO GOVERNADOR , NO CARIRI.

POR JOAO DINO.

Você cidadão que paga impostos no Cariri do Ceará, já parou para pensar quanto custa a mídia do Governo do Estado para manter o barulho do helicóptero no céu e do trem metrô cruzando as principais ruas de Juazeiro e Crato.

Será que o custo-benefício desses dois instrumentos de segurança e transporte da população está sendo analisado por técnicos do TCE, TCU, ou pelo menos pelos nossos Vereadores (Esses só se preocupam em permanecer naquelas poltronas milionárias, enquanto matam pessoas ambiciosas de inveja. Todo mundo morre de vontade de ser Vereador. 230 pré-candidatos já estão se manifestando. Penso num emprego bom – Sobretudo para quem tem cara de pau).

Quanto à mídia, ninguém tem dúvidas: É a mais inteligente do mundo. Todos os olhares se voltam para um helicóptero em movimento, lotado de policiais, muito embora ele venha conduzindo um suposto traficante pé-de-chinelo, com 10 pedras de craque no bolso de um calção de molambo.

E o trem metrô, buzinando e colocando em risco pedestres, crianças, idosos, ciclistas, motociclistas, motoristas, carroceiros etc., para transportar em média 10 passageiros por viagens (Uma TOPIK resolveria).

Entretanto, quem ver as fotografias nas laterais dos vagões (Out Door ambulantes de propaganda), imagina que o trem vai lotado também. Mas nas plataformas só os guardas e bilheteiros esperam o trem. 

Não posso fazer nada. Pelo menos protesto e digo aos sabidos que eu não sou besta.

Se você quiserem postar essa matéria no BLOG, eu nem ligo... Tô desejando mesmo andar nesse helicóptero, e passar bem, comendo do bom e do melhor por conta do Governo... Não quero jamais é ser internado nos hospitais públicos... Isso não...

William Shakespeare - Pensador.

video

Teste de Saúde - Veja se você tem a idade que imagina...

 Vale a pena fazer este teste, porque é muito engraçado e educativo...

Clicar em:
http://www.idadeinterior.com.br/

É um teste da UNIMED - para saber a sua idade interior

031 - Uma palavra amiga - Por Padre Juca.

È muito facil ficar reclamando que os outros não ligam pra você, não se incomodam, só lhe oferecem espinhos. Porém, não custa lembrar: mesmo que você não receba nada de bom dos outros, pelo menos ficará  um pouco de perfume em suas mãos se você oferecer rosas. É dificil agente se convencer disto, queremos nos vingar e tratar como nos tratam.

Ame e você verá que as pessoas vão se aproximar de você. O coração de muita gente é um inverno constante, porque ninguem lhes transmite o calor humano do verão ou a esperança da primavera.

NOTA DE ESCLARECIMENTO - ATUAÇÃO DA POLICIA FEDERAL NO BRASIL.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal vem a público esclarecer que, após ser preso, qualquer criminoso tem como primeira providência tentar desqualificar o trabalho policial. Quando ele não pode fazê-lo pessoalmente, seus amigos ou padrinhos assumem a tarefa em seu lugar.

A entidade lamenta que no Brasil, a corrupção tenha atingido níveis inimagináveis; altos executivos do governo, quando não são presos por ordem judicial, são demitidos por envolvimento em falcatruas.

Milhões de reais – dinheiro pertencente ao povo- são desviados diariamente por aproveitadores travestidos de autoridades. E quando esses indivíduos são presos, por ordem judicial, os padrinhos vêm a publico e se dizem “ estarrecidos com a violência da operação da Polícia Federal”. Isto é apenas o início de uma estratégia usada por essas pessoas com o objetivo de desqualificar a correta atuação da polícia. Quando se prende um político ou alguém por ele protegido, é como mexer num vespeiro.

A providência logo adotada visa desviar o foco das investigações e investir contra o trabalho policial. Em tempos recentes, esse método deu tão certo que todo um trabalho investigatório foi anulado. Agora, a tática volta ao cenário.

Há de chegar o dia em que a história será contada em seus precisos tempos.

De repente, o uso de algemas em criminosos passa a ser um delito muito maior que o desvio de milhões de reais dos cofres públicos.

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal colocará todo o seu empenho para esclarecer o povo brasileiro o que realmente se pretende com tais acusações ao trabalho policial e o que está por trás de toda essa tentativa de desqualificação da atuação da Polícia Federal.

A decisão sobre se um preso deve ser conduzido algemado ou não é tomada pelo policial que o prende e não por quem desfruta do conforto e das mordomias dos gabinetes climatizados de Brasília.

É uma pena que aqueles que se dizem “estarrecidos” com a “violência pelo uso de algemas” não tenham o mesmo sentimento diante dos escândalos que acontecem diariamente no país, que fazem evaporar bilhões de reais dos cofres da nação, deixando milhares de pessoas na miséria, inclusive condenando-as a morte.

No Ministério dos Transportes, toda a cúpula foi afastada. Logo em seguida, estourou o escândalo na Conab e no próprio Ministério da Agricultura. Em decorrência das investigações no Ministério do Turismo, a Justiça Federal determinou a prisão de 38 pessoas de uma só tacada.

Mas a preocupação oficial é com o uso de algemas. Em todos os países do mundo, a doutrina policial ensina que todo preso deve ser conduzido algemado, porque a algema é um instrumento de proteção ao preso e ao policial que o prende.

Quanto às provas da culpabilidade dos envolvidos, cabe esclarecer que serão apresentadas no momento oportuno  ao Juiz encarregado do feito, e somente a ele e a mais ninguém. Não cabe à Polícia exibir provas pela imprensa.

A ADPF aproveita para reproduzir o que disse o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos: “a Polícia Federal é republicana e não pertence ao governo nem a partidos políticos”.

Bolivar Steinmetz
Vice-presidente, no exercício da presidência

LOIRA.

Uma loira volta a casa depois de ter ido fazer compras e ouve barulhos esquisitos vindos do seu quarto no primeiro andar. Sobe apressadamente as escadas e encontra o seu marido deitado na cama, completamente nu, inundado em suor e com a respiração acelerada.
- O que é que tens? - pergunta.
- Acho que estou tendo uma crise cardíaca - responde ele.
A loira desce rapidamente e liga para o SAMU (emergência). Mas antes de lhe responderem, o seu filho de 4 anos aproxima-se e diz:
- Mãe, mãe. A tia Shirley está escondida no teu armário e está toda nua. A loira pousa o telefone e sobe novamente para o seu quarto, abre o armário e, claro, encontra lá a sua irmã, completamente nua e agachada.
- Sua vaca! - grita-lhe. - O meu marido está com uma crise cardíaca e você brincando de esconde-esconde  com as crianças!

domingo, 25 de setembro de 2011

Terminando o Domingo com uma boa musica.

O romantismo do Roberto Carlos encanta a todos pela ternura e paz que suas letras transmitem. Postado por solicitação de uma amiga.

O Amor é mais.

video

sábado, 24 de setembro de 2011

DA SOMBRA DO OITÃO - Por Mundim do Vale.

Da sombra do oitão, eu ví Zé Ferreira
Num dia de feira
Tratando corró.
Da sombra do oitão, tomando café
Eu ví que Bié
Tocaca um forró.

Da sombra do oitão, uma vez ví Tibito
Juntando cambito
Pra fazer um acento.
Da sombra do oitão, ví Chico Adispois
Sacudindo um arroz
Com a ajuda do vento.

Da sombra do oitão, eu ví certa vez
A menina Inês
Agarrada com pinta.
Da sombra do oitão, eu ví a canseira
De Ildefonso Vieira
Mexendo uma tinta.

Da sombra do oitão, Ví Chagas Taveira
Chingar Zé Pereira
Por causa de um môlho.
Da sombra do oitão, com o pé na havaiana
Ví Maria Caetana
Catando piolho.

Da sombra do oitão, pegando na vara
Eu ví Paruara
Futcar um cupim.
Da sombra do oitão, pegando um sereno
Eu ví Zé Pequeno
E o poeta Bidim.

Da sombra do oitão, com jeito sisudo
Eu Ví Zé do Mudo
Tomando cachaça.
Da sombra do oitão, Com jeito caipira
Eu ví Macambira
Assustado na praça.

Da sombra do oitão, cortando vaqueta
Eu ví Borboleta
Impinjando Zé terto.
Da sombra do oitão, Eu ví desacato
De Chica do Rato
Brigando com Alberto.

Da sombra do oitão,
Pegado num cano, ví Zé Mariano
Brigando na praça.
Da sombra do oitão, no mês de janeiro
Ví Chico Padeiro
Com a mão na massa.

Na sombra do oitão, chupando caju
Eu ví Punduru
Tratando traíra.
Da sombra do oitão, no mês do natal
Eu ví Nicolal
Com Tereza Gobira.

Na sombra do oitão, bem perto de mim
Eu ví Seu Nelim
Aviando receita.
Na sombra do oitão, tomando café
Ví Raimundo Suné
Fazendo a empreita.

Na sombra do oitão, ainda menino
Ví Zé Clementino
Compondo um xote.
Da sombra do oitão, já curto da vista
Ví Pedro batista
Atirar num capote.

Na sombra do oitão, com fé e sem manha
Eu ví Zé Saldanha
Ligando o motor
Da sombra do oitão, queimado de traque
Me lembro de Caque
Guiando um trator.

Da sombra do oitão, olhei pra lagoa
Tão limpa e tão boa
Que faz gosto lembrar.
Da sombra do oitão, Eu fazia anarquia
Depois me escondia
Pra não apanhar.

Da sombra do oitão, Saí por querer
Sem contudo esquecer
O valor do lugar.
Na sombra do oitão, eu ví muito bem
Que o valor se mantém
Se o homem deixar.

Daquela sombra do oitão
Ví Várzea Alegre avançar,
Ví safra de algodão,
Ví energia chegar.
Ví também água encanada,
Ví construção de estrada,
Mas o oiitão sucumbiu,
A sombra também sumiu
E a qui o verso acaba.

Reprisado para os recém chegados

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

RESGATE HISTÓRICO - Por Mundim do Vale.

RESGATE HISTÓRICO
Literatura de cordel

Quem chegou aqui primeiro
Com o título de Capitão
Na companhia do irmão
Foi Agostinho Pinheiro.
Tomou a posse ligeiro,
Reconheceu o local
Retornou a Portugal
E o irmão ficou apossado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Aqui o Padre Vieira
Fez batizado e sermão,
O jumento nosso irmão
Ele viu na capoeira.
Sentou no pau da porteira
Olhou para o animal
Fez o texto inicial
Que depois foi editado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Escutei muito baião
Tocado por Pedro Souza
Que era quase a mesma coisa
Do toque de Gonzagão.
Depois de uma infecção
O artista passou mal
Faleceu na capital
Mas aqui foi sepultado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Nesse vale antigamente
O povo rezava mais,
Não tinha gente capaz
De mexer com penitente.
Na rua de São Vicente
Tinha banda cabaçal,
Roda de maneiro pau
E a festa de reisado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Quando o Santo Padroeiro
Viu a torre despencando
E o povo embaixo chorando
Fez gesto de conselheiro.
Veio o corpo de bombeiro
Direto da capital.
Rezaram missa campal,
E a banda tocou dobrado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Foi um dos irmãos pinheiro
Que numa atitude boa,
Deu de presente a lagoa
Para o nosso padroeiro.
Mas um grupo interesseiro
Tomou a posse ilegal
E nessa trama infernal
O santo foi deserdado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Não sei quem me batizou
Porque nunca fiz questão,
Mas foi o frei Damião
O frade que me crismou.
Em seguida me mandou
Fazer o pelo sinal,
Na frente de um castiçal
Pra ficar abençoado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Conheci Manoel Tetê
Oficial de justiça,
Que era curto da vista
Mas teimoso como quê.
Morreu sem saber porquê
Meirinho é oficial,
Mas com o ganzá de metal
Nunca molhou um mandado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Raimundo Lucas Bidinho
Poeta varzealegrense,
Escreveu no “ Cearense “
Que não passou no moinho.
Dise que ficou sozinho
Vivendo do Funrural,
Sem ter acesso ao real
Como todo aposentado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Foi Antônia Cabeleira
Quem fez papel de cegonha,
Mas os cabras sem vergonha
Chamavam de caximbeira.
Ela da sua maneira
Fazia o parto normal
Sem precisar de hospital
Nem aparelho ligado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Num dia bem inspirado
Foi que José Clementino,
Desenvolveu nosso hino
Com Mestre Antônio de lado.
Musicaram num dobrado
Deram o retoque final
E por lei municipal
Foi aceito e aprovado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Tem água na região
Do açude de São Vicente,
Mas mesmo assim teve gente
Que foi contra a construção.
Gente que fez confusão
No projeto inicial,
Mas com a decisão final
Ficou feito e aprovado.
NESSE VALE DO MACHADO
DE ZÉ RAIMUNDO E DUDAL.

Mndim do Vale
Várzea alegre-Ce

Dedicado atodos aqueles que chegaram no Sanharol por último.

SEXTA DE TEXTOS - Sávio Pinheiro

Este ano, completamos 29 anos de muita dedicação e trabalho. A turma graduada em Medicina, pela Universidade Federal de Pernambuco, no ano de 1982, faz breve reflexão sobre o estado de saúde de seus componentes. Quatro já se foram. Outros, já possuem patologias em andamento. Um colega me pediu para escrever algo sobre este tão conturbado monento. O início da sexta década de vida.

NO BICO DO URUBU

Eu concluí medicina
No ano de Oitenta e Dois,
Ingeri muita cachaça
Antes, durante e depois,
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
A trinta anos depois.

Uma dor com sudorese
Chamada precordial
Poderá me conduzir
À pedra de um hospital.
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
Já que não sou imortal.

Se o fígado der o sinal
É que a cirrose chegou
Trazendo a desesperança
Que a “véa da foice” inventou.
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
Na vida que se esgotou.

Se, corro desesperado
Pra não perder o plantão,
Com o carro acelerado,
Posso ir à contra mão.
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
Evitando o rabecão.

Rara Hemocromatose
Causa hepatopatia,
E se não doar meu ferro
Levarei ferro, algum dia.
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
Se não fizer a sangria.

Por não parar de beber
Terei a Pancreatite,
E o álcool em demasia
Aumentará a minha Gastrite.
Daí, temer o AMBU
E o bico do URUBU
Depois da Peritonite.

Pensando no AVC
Sigla do “Ai, Vou Cair,
Quero avisar a você
Que devemos resistir,
Pois por temer o AMBU
E o bico do URUBU
Temos de nos redimir.

Pensando desta maneira
Peço a vós, moderação,
Vamos calcular os riscos
Da fase do cinquentão,
Pois por temer o AMBU
E o bico do URUBU
Previna sua Depressão.

Fim.

AGENDA DE JOÃO DINO - SET/OUT - 2011

Dia 24.09.2011 – Sábado – (RESERVADO PARA MARIA DE RAIMUNDO) – Barbalha (CE).
Dia 25.09.2011 - DOMINGO - Churrascaria POINT DA CIDADE - Quixelô (CE).
Organização: Sílvia Neres. Informações: 88-9658.5299.

Dia 30.09.2011 – Sexta-Feira (RESERVADO) - Quadra de Esporte Raimundo Martins - Monte Orebe (PB) - Festa do Padroeiro São Francisco de Assis - Promoção: Paróquia local. Informações: 083-9941.5559.
Dia 01.10.2011 - Sábado - Churrascaria Berro D'água - Limoeiro do Norte (CE) - Apresentação para convidados do Empresário Chico Ailo..
Dia 02.10.2011 -  Domingo à Tarde – Churrascaria do “FLÁVIO” – Tabuleiro do Norte (CE).
Dia 07.10.2011 - Sexta-Feira - (RESERVADO) Praça da Matriz - ALTANEIRA (CE) - Festa de Santa Tereza Dávila -
Informações com PALITO -
Dia 08.10.2011 - (Sábado) Praça da Matriz - Aparecida (PB) - Promoção da Paróquia de N.S. Aparecida.
Dia 09.10.2011-Domingo à Noite - Praça da Matriz - Quitaiús (CE).
Festa de N.S. do Rosário. Patrocínio: Pereira Comercial de Alimentos e Frigorífico Pereira.
Dia 11.10.2011 - Praça "O Juarezão" - Poço de José de Moura (PB). Prom.Pref. Mun. e Paróquia de São Geraldo.
Dia 15.10.2011 - Ginásio Coberto - Bom Jesus (PB). Informações: Jocerlan da Rádio Oeste de Cajazeiras (PB).
Dia 28.10.2011 - Sexta-Feira - SESC - IGUATU (CE) - Dando continuidade ao Show de Viola dos NONATOS.
Informações: Raimundo Neto, Fone: 3581.5105.
Dia 29.10.2011 - Clube Social do Distrito de São José - SOLONÓPOLE (CE).
Informações com Raimundo Neto, Fone: 3581.5105.

FRASE DO DIA.

"A mulher deve sempre sonhar com um homem fiel e obediente... Só não deve querer transformar o sonho em realidade".


030 - UMA PALAVRA AMIGA - POR PADRE JUCA

Comece a familiarizar-se desde já com o otimismo e você sentirá tudo diferente. Viver não é difícil, o que acontece é que muita gente não sabe viver.

Poucas pessoas sabem do seu infinito potencial. Utilize o que existe de bom dentro de você e tudo de bom na vida lhe acontecerá. Dê um passo para frente e não um para frente e dois para trás.

Não deixe que as oportunidades escapem. Não se deve destruir o que sobra, mas sim, construir o que falta.


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Peço aos amigos do Blog do Sanharol que votem em "Ótimo" na nossa postagem

ALÔ AMIGOS, VOTE NA NOSSA ENQUETE !

Alô, amigos do Blog do Sanharol. Fiz uma postagem no Blog do Crato solicitando a revitalização do Largo da RFFSA em Crato, que é uma importante área da cidade. Uma coisa que merece a atenção dos governantes. Solicito que vocês possam passar lá, e votar em baixo da postagem, em "ÓTIMA MATÉRIA". O objetivo é atingir mais de 100.

A postagem só tem 2 horas e já vai em mais de 30 "ótimos". Conto com a colaboração de vocês. Se nem 100 pontos nós conseguirmos com a mobilização, nem adiantará mais lutar por esta cidade....

Abraços,

Dihelson Mendonça

CONVERSA DE ALBERTO - Por Mundim do Vale.


No ano de 1966, a bodega de Alberto era impestada de ratos.

Também. Ele queria mais o que? Queijo é o maior atrativo para ratos.

Alberto Adquiriu umas ratoeiras daquelas que pega o rato matando, mas não deu certo porque não deu de conta da demanda. Depois que uma disparava os outros ratos não chegava mais perto. Foi aí que ele foi até na venda de Cacaria e comprou uma daquelas de arame, que além de pegar o rato vivo, chega a capturar até meia dúzia deles, porque o rato vivo atrai os outros.

Quando era para sacrificar os ratos, alberto pegava o gato Mimí de Domicília. o Peludo do Tenente Etelvino, e o Come Rato de Antônia Canela, convidava ainda, eu, Chico Nenem, Sílvio Romero e Luizão Pagé. Todo dia pela manhã era uma festa. Ele soltava de um em um e aqueles que escapavam dos gatos, morria nos pés dos exterminadores.

Em um desses dias, ele estava com seis ratos na ratoeira. Cinco foram mortos e ficou um para o ritual final. Quando o último foi solto nós ficamos gritando:

- Pega o rato! Chuta o rato! Mata o rato!

Naquele momento Chichica passava no outro lado da rua para tomar um café da casa de Dona Zulmira, e achou que aqueles gritos de guerras fossem com ela. levantou os braços numa atitude agressiva e gritou:

- Chica do Rato é a mãe de vocês. magote de vagabundos!

Com aquele esparro e aquela surpresa, nós e os gatos ficamos passivos, sem entender nada e o último rato que estava condenado a morte, escapou sem levar nem um beliscão.

No dia seguinte Alberto contou que chegou muito cedo na bodega, abriu a porta só pela metade, deu uma olhada disfarçada para a ratoeira e viu que tinha quatro ratos presos, onde um deles era o sobrevivente do dia anterior.

Fechou a porta bem devagar e ficou na escuta, quando ouviu o gato que foi contemplado pela intervenção de Chichica, falar para os outros:

- Ei galera. Se Chica do Rato não passar por aqui nós tamos é lascado!

Um outro rato perguntou:

- Tamos lascados porque?

- Porque Alberto chegou, abriu um pedaço da porta e eu ví Mimí, Peludo e Come Rato alí na calçada. E debaixo da castanhola estão; Luizão Pagé, Sílvio Romero, Chico Nenem e Raimundinho Piau.


Dedicado a Dr. José Bitu e ao poeta José Valdir.

FRASE DO DIA.

"Já que colocam fotos de gente morta nos maços de cigarros, por que não colocar também de gente obesa em pacotes de batata frita, de animais torturados nos cosméticos, de acidentes de trânsito nas garrafas e latas de bebidas alcoólicas, de gente sem teto nas contas de água e luz, e de políticos corruptos nas guias de recolhimento de impostos?"


terça-feira, 20 de setembro de 2011

COISAS QUE NÃO TEM RETORNO - Por Mundim do Vale.

Se minha mente podesse
Preparar uma projeção,
Talvez eu hoje fizesse
Para nova geração,
Um documento filmado
Com os valores do passado
Que hoje não se vê mais.
Solidez nos casamentos,
Respeito aos dez mandamentos
E a disciplina dos pais.

Tempo que a gente pedia
Bênção ao Sr. Vigário,
Que em toda casa se via
O sagrado Santuário.
O cristão se confessava,
Em seguida comungava
Pra receber o perdão.
Quando a graça era atendida,
A promessa era cumprida
No dia da procissão.

Uma festa de reisado
Um terço de penitente,
Tudo é coisa do passado
Não se vê mais no presente.
Festa de maneiro pau,
E a banda cabaçal
Já estão com a vela na mão.
Seguindo na mesma trilha,
Estão as nossas quadrilhas
E as debulhas de feijão.

Carnaval só exestia
Uma vez em cada ano,
Tempo que ainda se ouvia
Um frevo pernambucano.
Onde o som de Zé Pereira,
Máscara negra e jardineira
Arrastava a multidão.
Nesse tempo o cloretil
Era usado no Brasil
Não tinha Proibição.

Tinha Judas enforcado
No sábado de alelúia,
Um galo velho enterrado
Coberto com uma cúia.
A família jejuando,
Os fiéis representando
A paixão de Jesus Cristo.
Um pau de sebo na praça,
Um preto fazendo graça
Quase não se vê mais isto.

Hoje em dia os namorados
Não falam mais em noivar,
Vivem só nos agarrados
Só pensam mesmo em ficar.
E nesse fica, ficou,
A namorada ganhou
Um bebê do namorado.
Mais um do nosso Brasil,
Que tem registro civil
Com o pai ignorado.

Café torrado no caco
Faz tempo que já se foi,
Quem também já anda fraco
É o nosso bumba-meu-boi.
A brilhantina Glostora,
Essa também foi embora
Nunca mais pisou aquí.
Eu ví na televisão,
Que a indústria de carvão
Tá acabando o piquí.

O enganador disse: - Eu fico!
Para manter meu valor,
Tão me chamando de bico
Mas eu sou enganador.
Não se vê mais cristaleiras,
E os pinguim de geladeiras
Fugiram pro Polo Norte.
Vitrola ninguém mais vil
E os discos de vinil
Estã bem perto da morte.

Uma espreguiçadeira
Com uma velha cochilando,
Um banco de aroeira
Com as moças fuxicando,
Fiscal da febre amarela,
Ferro a brasa na janela
Colchão de junco com pau.
Goma arábica na gaveta,
E um playboy numa lambreta
Fumando continental.

O natal não sei porque
Não tem do jeito que tinha,
Hoje a gente pouco vê
Numa casa uma lapinha.
Onde anda a união,
A confraternização
Que exestia entre o povo?
Será se vai precisar,
Jesus Cristo retornar
Pra fazer tudo de novo?

Mulher dizer ao esposo
De onde vem, pra onde vai,
Filho dizer orgulhoso
Bêrção mãe, bênção papai.
Moça vestida de chita,
Ingênua, porém bonita
Sem precisar de adorno.
Digo com toda razão,
Os nossos valores são
COISA QUE NÃO TEM RETORNO.

Dedicado a Luís Lisboa, Antônio Morais e as Flores lá de nós.

MOMENTO DA POESIA - Por Claude Bloc

......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
Não sei, não sei...
- Claude Bloc -



A paisagem me diz tanta coisa
Mas o poema queima a paisagem
Rasga o céu, corta a imagem
E não sei, não sei, nem suponho
Se a poesia é árvore ou fruto
Se o verso é rumo ou prumo
Escrito na folha em branco.

O poema traga a memória
Rabisca na alma
A própria história
E (d)escreve por linhas tortas
As palavras, janelas e portas...

O poema retorna ao giz, ao lápis, à cor
Retoma a arte de ser aprendiz
E em cada elemento um nó
O  pó, a brisa quente
Um rio em sua vertente
Um verso, uma (p)rosa...

Claude Bloc

FRASE DO DIA

"Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas. A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada. Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar".

029 - Uma palavra amiga - Por Padre Juca.

A situação de depressão, as vezes, é muito grande. Pensamos só coisas ruins, perturbações.... Nessas horas o jeito é se acalmar e reagir, procurar alguma coisa para fazer, para ocupar a mente.

Não complique sua vida. Descarregue sua tensão nervosa nas coisas e em atividades, mas nunca nas pessoas. Se hoje a gente perdeu, amanhã poderá ganhar. É preciso acreditar mais. O mundo dá suas voltas.

Uma pessoa só envelhece quando nela os lamentos substituem os sonhos.

Terça - Blog em Prosa - Geovane Costa.

Em 1965 quando as máquinas estavam fazendo a antiga CE-55 (Estrado do Algodão), hoje CE-060, nunca ninguém por aqui tinha visto um trator ou outra máquina qualquer. 
Eram as máquinas devastando tudo, derrubando cercas e o povo ia olhar. Era aquela multidão, vinha gente de longe ver aquele serviço. 
Um dia Nicolau Sabino achou um farol bem grande que tinha caído de uma patrol (Caterpillar). Levou para casa e Raimunda Sabino colocou dentro de uma cristaleira para servir de enfeite. 
Certo dia, quando o Raimundo Sabino vinha da bodega para tomar um café em casa, que ficava ao lado, chegando à sala deparou-se com Raimunda Gibão se benzendo e rezando em frente á cristaleira.
Oxente, Dona Raimunda, tá ficando doida?
Doida, o que Raimundo Sabino? Respeite! Não tá vendo que eu tô rezando pra Nossa Senhora Aparecida?
Nossa Senhora Aparecida o que, D. Raimunda, não tá vendo que isso aí é um "oi" de caterpilla?

domingo, 18 de setembro de 2011

MOMENTO DA POESIA - Por Claude Bloc


Na leva do vento

- Claude Bloc - 
 

É domingo.
(re)vejo-me em casa
cansada, silente...
E bem sei que aos domingos a vida gira,
e tudo volta ao princípio.
E sei também que este é mais um domingo
em que meu olhar corre o asfalto sem pauta...
Neste domingo
a música calou-se por entre as pedras do calçamento
e levou consigo a festa das flores,
a imagem dos dias em que sorri
na leva no vento...
Lá onde deixei ficar
meu olhar perdido num novo aceno.
As ruas dormem neste domingo
Dormem também as horas,
os sonhos
Dormem as cores do domingo.

Claude Bloc

FRASE DO DIA.

"Nunca se ache demais, pois tudo o que é demais sobra, tudo o que sobra é resto e tudo o que é resto vai para o lixo".

CANTA CANTA, VIOLEIRO Por Mundim do Vale

CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Canta canta, cantador
Canta canta, sem parar,
Faz tua voz ecoar
Nesse Brasil trovador.
Seja um bravo lutador
Pro repente não cair,
Faça a viola subir
Levando seu violeiro
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Teu repente é alegria
Para o povo do sertão,
Tu canta Frei Damião
E o povo na romaria.
As novenas de Maria
E os fiéis a seguir
Com vontade de pedir
Proteção ao padroeiro.
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Com a tua resistência
Teu canto não vai morrer,
Canta para o Brasil ver
Tua grande eficiência.
Mostra a tua competência
Que teu verso há de fluir
E com sucesso atingir
Todo o mapa brasileiro.
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Mostra quem foi que cantou
A vida desse nordeste,
Quem foi “O cabra da peste”
Que Patativa falou.
Prova que nunca deixou
A viola se extinguir,
Faz teu canto evoluir
Por este Brasil inteiro.
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Improvisa o teu mourão
E afina a tua viola,
Pois só tu, é quem consola
O povo desse sertão.
Deus pega na tua mão
E mostra como seguir,
Pra você não desistir
De seguir o seu roteiro.
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Ninguém cança de escutar
Teu verso metrificado
No martelo agalopado
Ou galope a beira mar.
É o poeta popular
Na luta pra conseguir,
Que um dia venha assumir
O seu lugar verdadeiro.
CANTA CANTA, VIOLEIRO
QUE O BRASIL QUER TE OUVIR.

Mundim do Vale,
Dedicado aos poetas repentistas; Expedito Pinheiro e Antônio Rosende.

SANTO FURTADO E AÇOITADO - Por Mundim do Vale.

Essa quem me contou foi o músico Pedro Souza de saudosa memória.
Em janeiro de 1958, Laura da Formiga plantou um roçado de duas tarefas de arroz no baixio de Antônio do Sapo. Com algumas chuvas o legume nasceu e cresceu até a altura de um palmo, a folha de um verde escuro era a coisa mais linda para os olhos de um agricultor.
Laura dizia:
- Isso aqui com fé em meu São José é arroz pra mais de quinze quartas.
A chuva foi diminuindo até que parou total. Laura esperou até o dia de São José padroeiro do Ceará e nada. A palha murchou,secou e o vento carregou deixando só o tronco esperando pelo milagre das chuvas para se recuperar.
Laura tava se lamentando quando chegou Vicente Totô dizendo que se ela roubasse um santo a chuva retornava.
Foi aí que Laura perguntou:
- E é? Apois eu vou robar logo é São José, que eu sei onde é que tem um.
Quando foi à noite Laura foi na casa da sua prima Bárbara começou a conversar quando sua prima foi coar um café ela foi no santuário e afanou São José que estava ao lado de são Pedro. Pegou o santo enrolou numa rodia disfarçou por ali, depois levou para casa. Mas passou uma semana e nada de chuva.
Quando ela perdeu as esperanças pegou o santo e saiu para o roçado. No caminho cortou logo um cipó de marmeleiro e levou junto. Chegando na roça pegou o santo pelo pescoço começou a esfregar a cara dele nos troncos do arroz dizendo assim:
- Tá vendo o sirviço qui você fez? Eu plantei essa rocinha junta cum João meu irmão nós limpamos cum todo gosto,quando acabar você deixa acontecer uma desgraça dessa. Eu vou lhe dar umas cipuada que é prumode você aprender. Ta escutando?
Enquanto Laura açoitava o santo, João da Formiga foi chegando na margem da roça dizendo:
- Mas Laura, quem manda chuva pra nós num é São José não. É São Pedro.
- E é?
- É.
- Pruquê você num dixe logo? Apois eu vou deixar esse sem futuro lá no santuário de Barbinha e trazer aquele outro sem futuro amigo dele, qui é prumode eu fazer o mermo sirviço. E tem mais uma coisa. Eu só vou ficar cum pena é das cipuadas qui eu errar e pegar
no chão.
Eu não sei dizer aqui se houve retaliação dos santos porque eu acredito que eles não são vingativos. Mas o ano de 1958 foi um dos mais secos da terra do arroz.

Mestre Pedro, além do bom músco que foi, era também um excelente contador de causos. Contava suas histórias imitando a voz de todos os personagens. E o mestre Pedro não penteava.

Reprisado para Liêda Souza.

ENCONTRO DE VELHOS AMIGOS.

Outro dia estava no mercado quando vi no final do corredor um amigo da época da escola, que não encontrava há séculos. Feliz com o reencontro me aproximei já falando alto: Oswaldo, sua bichona! Quanto tempo!!! E fui com a mão estendida para cumprimentá-lo. Percebi que o Oswaldo me reconheceu, mas antes mesmo que pudesse chegar perto dele só vi o meu braço sendo algemado.
Você vai pra delegacia! - Disse o policial que costuma frequentar o mercado. Eu sem entender nada, perguntei: - Mas o que que eu fiz? - HOMOFOBIA! Bichona é pejorativo, o correto seria chamá-lo de grande homossexual. 
Nessa hora antes mesmo de eu me defender o Oswaldo interferiu tentando argumentar: - Que isso doutor, o quatro-olhos aí é meu amigo antigo de escola, a gente se chama assim na camaradagem mesmo!
-Ah, então você estudou vários anos com ele e sempre se trataram assim? - Isso doutor, é coisa de criança! E nessa hora o policial já emendou a outra ponta da algema no Oswaldo: - Então você tá detido também.
Aí foi a minha vez de intervir:
-Mas meu Deus, o que foi que ele fez? -BULLYING! Te chamando de quatro-olhos por vários anos durante a escola. Oswaldo então se desesperou.
-Que isso seu policial! A gente é amigo de infância! Tem amigo que eu não perdi o contato até hoje. Vim aqui comprar umas carnes prum churrasco com outro camarada que pode confirmar tudo!
E nessa hora eu vi o Jairzinho Pé-de-Pato chegando perto da gente com 2 quilos de alcatra na mão. Eu já vendo o circo armado nem mencionei o Pé-de-Pato pra não piorar as coisas, mas ele sem entender nada ao ver o Oswaldo algemado já chegou falando:
- Que porra é essa Negão, que que tu aprontou aí?
E aí não teve jeito, foram os três parar na delegacia e hoje estamos respondendo processo por HOMOFOBIA, BULLYING e RACISMO.

Moral da história: Nos dias de hoje é um perigo encontrar velhos amigos!

De dominio publico.

sábado, 17 de setembro de 2011

O Pensamento do Dia - "Deus está no Comando..."











Imagina se não estivesse...

"O Diabo é o chefe deste mundo"

Jesus Cristo

SOGRAS.

O sujeito bate à porta de uma casa e assim que um homem abre ele diz:
O senhor poderia contribuir com o Lar dos Idosos?
É claro! Com todo prazer. Espere um pouco que eu vou buscar a minha sogra!

Dr. Içami Tiba - Palestra

1 - A educação não pode ser delegada à escola.  Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2 - O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo.

3 - Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados. 

4 - É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas. 

5 - Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. 

6 - A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente. 

7 - Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer. 

8 - A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender. 

9 - É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0. 

10 - As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente. 

11 - A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual. 

12 - Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'. 

13 - A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita. 

14 - Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo. 

15 - Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo. 

16 - Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade. 

17 - Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca. 

18 - Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele). 

19 - Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também. 

20 - Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida. 

21 - Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão. 

22 - Pais e mães não podem se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe. 

23 - O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo. 

24 - Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família. 

25 - Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final. 

26 - Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.