Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Trio Nodestino - Por Antonio Morais

Neste video abaixo, voce ouvirá as musicas "Não lhe troco por Ninguem" do Durval Vieira, a ultima musica gravada por Lindu, já bastante debilitado e sem forços e "Brincadeira de Fogueira" do Antonio Barros uma das primeiras musicas gravadas pelo famoso trio no inicio da decada de 60 do seculo passado.

Voce verá tambem as fotos das capas frente e verso de todos os discos lançados desde o primeiro em 1962 ao ultimo em 1982.

Dedicado ao compadre Vicente Almeida.

video

GUERRA ENTRE FAMILIA E PAISES - POR ANTONIO MORAIS

Em Várzea-Alegre, um parente meu vivia em pé de guerra com a mulher. Não sei porque cargas d'água apareceu na cidade uma comissão relacionando as pessoas que se colocavam a disposição do exercito para defender o Brasil na famosa Guerra do Paraguai. Luiz Inácio, conhecido por Boca de Fogo, pra meter medo na mulher e pensando que era brincadeira se alistou. Um dia, chegou de surpresa um Jeep com um Sargento e dois Soldados para levar o guerreiro rajalegrense.

Luiz não podia comer angu com toucinho torrado que se desmanchava em merda. Pediu ao sargento para esperar pelo almoço, para se despedir dos amigos, da família e, matar o desejo de comer angu com toucinho torrado pela ultima vez, sua comida predileta. Concedido o seu ultimo desejo, depois da refeição, seguiram viagem. Quando chegaram nas proximidades da cidade do Icó o bucho do Boca de Fogo começou a roncar e, em pouco tempo o esgoto perdeu o tampão, começou a escorrer dejetos fazendo ascender uma inhaca de curtume.

O Sargento perguntou: o senhor já teve crise igual a esta? Não, respondeu Boca de Fogo. E se nós fossemos embora e deixarmos você aqui o senhor achava ruim? De jeito nenhum, acho é bom. O Sargento mandou os soldados desinfetarem o jeep no Açude de Lima Campos e, partiu para Fortaleza.  Boca de Fogo voltou prus braços de Teté e nunca mais quis saber de briga nem de guerra.

Luiz Inácio era o avô de Geraldo Teté, esse do vídeo,  que junto com Amadeu executa o Hino de Várzea-Alegre e o Hino do Padroeiro São Raimundo Nonato, sem instrumentos. Amadeu com a boca e Geraldo com o sovaco. Não se sabe, ao certo, se a execução do hino foi em louvor a volta triunfante do Boca de Fogo. Vale vê. Talvez você nunca tenha visto coisa igual.

video

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

HOJE - TAIGUARA

Taiguara Chalar da Silva (Montevidéu, 9 de outubro de 1945 — São Paulo, 14 de fevereiro de 1996) foi um cantor e compositor brasileiro nascido no Uruguai durante uma temporada de espetáculos de seu pai, o bandoneonista e maestro Ubirajara Silva.

Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1949 e para São Paulo, posteriormente, em 1960. Largou a faculdade de Direito para se dedicar à música. Participou de vários festivais e programas da TV. Fez bastante sucesso nas décadas de 60 e 70. Autor de vários clássicos da MPB, como Hoje, Universo do teu corpo, Piano e viola, Amanda, Tributo a Jacob do Bandolim, Viagem, Berço de Marcela, Teu sonho não acabou, Geração 70 e "Que as Crianças Cantem Livres"; entre outros.

Considerado um dos símbolos da resistência à censura durante a ditadura militar brasileira, Taiguara foi um dos compositores mais censurados na historia da MPB, tendo cerca de 100 canções vetadas. Os problemas com a censura eventualmente levaram Taiguara a se auto-exilar na Inglaterra em meados de 1973. Em Londres, estudou no Guildhall School of Music and Drama e gravou o Let the Children Hear the Music, que nunca chegou ao mercado, tornando-se o primeiro disco estrangeiro de um brasileiro censurado no Brasil.

Em 1975, voltou ao Brasil e gravou o Imyra, Tayra, Ipy - Taiguara com Hermeto Paschoal, participação de músicos como Wagner Tiso, Toninho Horta, Nivaldo Ornelas, Jacques Morelenbaum, Novelli, Zé Eduardo Nazário, Ubirajara Silva e uma orquestra sinfônica de 80 músicos. O espetáculo de lançamento do disco foi cancelado e todas as cópias foram recolhidas pela ditadura militar em poucos dias. Em seguida, Taiguara partiu para um segundo auto-exílio que o levaria à África e à Europa por vários anos.

Quando finalmente voltou a cantar no Brasil, em meados dos anos 80, não obteve mais o grande sucesso de outros tempos, muito embora suas músicas de maior êxito tenham continuado a serem relembradas em flashbacks das rádios AM e FM.

Morreu em 1996 devido a um persistente câncer na bexiga.


video

CAUSOS LÁ DE NÓS - Por Mundim do Vale


Adolf Hitler
O  FINAL  DA  SEGUNDA  GUERRA   MUNDIAL.

No final do ano de 1944, acontecia os horrores da segunda guerra mundial, comandada pelo ditador Adolf Hitler.
As notícias chagavam em Várzea Alegre atrasadas e destorcidas. Atrasadas porque o sinal da Rádio Globo chegava a passar vários dias sem alcançar a nossa cidade.
Destorcidas porque os nossos conterrâneos que tinha o acesso eram os senhores Fábio Pimpim e Hamilton Correia, dois torcedores ferrênios do regime nazista.
Quando as notícias dos Holocaustos chegavam ao sítio serrote, Luís Inácio ( Boca de Fogo ), Dizia:
- Eu acho é pouco. Pruque num levaro ome pra lá? No dia qui o tenete chegou aqui cum o caminhão, pra levar o povo, eu quís ir, mais ele num quis me levar, levou foi o Bêbo Ontõe Goberto.
Em abril de 1945 o ditador já bastante debilitado da saúde, teve o seu Bunker em Berlim bombardeado pelos países aliados. Esse fato contribuiu para o seu suposto suicídio no dia 07 de maio de 1945. Com aquela grande baixa, a Alemanha afrouxou e com a sua rendição a guerra chegou ao seu final.
Voltando para Várzea Alegre vejamos as repercussões.
Antônio Bitu foi a cidade fazer umas compras e soube da notícia que a guerra havia acabado. Naquele momento ele viu a alegria do povo e teve a informação que os dois nazista de província estavam escondidos. Chegando de volta no Sítio serrote, encontrou Boca de Fogo afiando uma foice.
Bitu na sua empolgação gritou:
- Ei Luís. A guerra acabou-se !
Luís respondeu em cima da bucha:
- Ou trabái Pirdido !
- Qual?
- Esse meu aqui. Apois eu tava amolando essa foice era pra cortar o pescoço de HITLER.

ESURD E MIS - MIS E ESURD - POR ANTÔNIO MORAIS


ESURD.


MIS.


ESURD.



MIS.

As vezes, eu fico besta com a falta de informações a respeito do Roçado Dentro e Sanharol. Os dois sítios, hoje bairros da cidade, eram parte componente da propriedade de José Raimundo do Sanharol e Antônia de Morais Rego. 

Muitos foram os casamentos entre tios e sobrinhos, dificilmente haverá um do Roçado Dentro ou do Sanharol que não seja primo ou sobrinho do outro. Essa imbecilidade de tentar criar um ranso entre as duas partes, nada mais é do que  vaidade tola de alguns que se julgam superiores, que não conseguiram, ainda, vislumbrar que o fim de tudo é um só: Aqui jaz.

É preciso que se entenda que Várzea-Alegre carece  das duas escolas, que as duas juntas são mais fortes, promovem mais o nosso carnaval do que uma isolada da outra. Quem observa com isenção sabe que a maioria dos brincantes das duas escolas são os mesmo. 

Já é tempo de se criar uma comissão para julgar quem se apresenta melhor. Só assim, se acabará, de vez, com  essas  tolices que a nada levam e, que com nada contribuem.

Um bom  carnaval para todos e todas.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

SANTA TEREZA.

Ela também é a padroeira dos cultivadores de flores e dos floristas. Ela é representada por rosas.

NÃO SE ESQUEÇA DE DAR AQUELA ESPIADINHA HOJE!


Calma, calma, calma! Não vou falar para você dar uma espiadinha naquele tipo de programa repugnante que passa na TV. A espiadinha que eu quero que você dê hoje é bem outra. A Palavra de Deus diz no Salmo 8.3-4: “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabelecestes, que é o homem, que dele te lembres? E o filho do homem, que o visites?”.  E mais adiante, no Salmo 46.8 o salmista diz: “Vinde, contemplai as obras do Senhor, que assolações efetuou na terra...”.

Enquanto milhões de pessoas perdem seu precioso tempo “espiando” um bando de homens e mulheres seminus, comendo do bom e do melhor e fazendo de tudo (principalmente se corrompendo) por causa de dinheiro, o Senhor nos convida a pararmos e espiarmos o que Ele tem feito nessa terra. Sim, dê uma boa espiada e perceba o que anda acontecendo nessa terra.  Veja quantos lugares tem sofrido por causa das chuvas, e veja quantos sofrem pela falta dela. 

Então, se você estiver bem familiarizado com a história bíblica, vai lembrar-se do texto de Amós 4.7 quando o Senhor disse: “Além disso, retive de vós a chuva, três meses ainda antes da ceifa; e fiz chover sobre uma cidade, e sobre a outra não; um campo teve chuva, mas outro, que ficou sem chuva, se secou”.
Castigo de Deus?
Não!...
Apenas um alerta!
Pois apesar de contemplarem tudo aquilo, o Senhor disse ao seu povo: “... contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor!”(Amós 4.8,9,10,11, sempre na parte final do verso). O convite (ou a ordem) do Senhor é que estejamos de olho em coisas que são mais sérias.  Fique de olhos bem abertos e perceba quantas coisas Deus tem usado para chamar a sua atenção.

Dê uma espiadinha, por exemplo, em quantas pessoas que estão ao seu lado e não estão bem hoje.  Você já chegou perto de alguém e viu que essa pessoa está meio “pra baixo” hoje?  Então, que tal dar aquele apoio tão importante que ela pode estar precisando?

Que tal ao invés de dar uma espiadinha naqueles que estão seminus, nadando numa bela piscina e posando para câmeras, você dar uma espiadinha naqueles que não tem o que vestir, ou naqueles que não tem o que comer?  Afinal, não é isso que o Senhor pede de nós, que “repartas o teu pão com o faminto, e recolhas em casa os pobres desabrigados, e se vires o nu, o cubras, e não te escondas do teu semelhante?” (Isaías 58.7).
Que tal também dar uma espiadinha um pouco melhor na vida que você tem.  Ela pode não estar 100% como você gostaria, mas será que há tantos motivos assim para você murmurar pelas coisas que não tem? 

Dê uma boa espiada à sua volta e veja quantas pessoas gostariam de ter pelo menos as coisas básicas da vida que você tem. Com certeza uma boa “espiadinha” para as coisas mais importantes da vida fará muito melhor para você, do que ficar perdendo tempo espiando certas coisas absurdas na TV.

Deus te abençoe!

Sérgio Müller

sábado, 26 de janeiro de 2013

Arrancada para o Progresso e Desenvolvimento - Por Antonio Morais.



Esta foto memorável,  data  da primeira administração do Dr. Pedro Sátiro -1966 a 1971. Audiência no gabinete do Governador do Estado. Prefeito Pedro Sátiro, Deputado Antônio Afonso Diniz e o Governador Virgílio Távora.

Aí,  nascia o embrião de uma arrancada de progresso nunca vista. A partir,  da administração do Dr. Pedro o nosso município se desenvolveu em todos os segmentos; educação, saúde,  comercio e infra-estrutura em geral, nenhum segmento ficou pra trás. 

Devemos reconhecer as administrações seguintes, todas com executivos de comprovada capacidade administrativa e hoje Várzea-Alegre se destaca  dentre os demais municípios da região centro sul do Ceara.

CAUSO LÁ DE NÓS. Por Mundim do Vale.


BANHO  DE  GATO.

Certa vez, Antônio de Valdivina foi passar um domingo na casa da sua tia Isaura no sítio Vazante. Lá chegando encontrou meus primos Cascudo e Ildefonso. Antônio conversou um pouco por ali e em seguida pegou a espingarda Pó de Cupim e falou:
- Tia Isaura. Eu vou dar uma volta ali no fim da manga pra ver se acho alguma caça para fazer a mistura.
Cascudo disse:
- Nóis ramo tombém !
- Tá certo, mas tem que ser em silêncio.
Desceram os três, quando chegaram na margem do Riacho do Machado Antônio agachou-se para surpreender uma cordoniz que tinha numa moita de mofumbo. Quando preparou o tiro cascudo gritou:
- Ei Ontõe ! Onde é qui fica o fim do mundo?
A caça fugiu e Antônio respondeu zangado:
- Eu sei lá Cascudo. Você tá me atrapalhando.
- Apois eu sei. É do ôto lado do cumêço.
Mas na frente Antônio  preparou-se para atirar num casal de rolinhas que estava num galho de moquém.
Cascudo gritou novamente:
- Ei Ontõe ! O qui é qui eu tem, qui Deus num tem?
- É Ruindade.
- É não, é pecado.
Quando passavam no cacimbão de Raimundo Beca, Antônio viu o gato de Raimundo e teve a sinistra ideia de ocupar os garotos:
- Vocês tão vendo aquele gato? Pois ele é o xodó de Raimundo Beca. Raimundo quer mais bem a esse gato do que a Benedito filho dele. Nós vamos fazer o seguinte: Eu vou botar uma armadilha na boca do cacimbão pra ele cair dentro. Vão atrás  de capim que eu vou matar uma lagartixa para servir de isca. Quando o gato subir vai cair no cacimbão. Fizeram uma  base de capim e colocaram a isca, mas Antônio sabia que o gato não caia. Depois da arrumação Antônio falou:
- Agora vamos fazer disso: - Eu vou tomar um café na casa de tia Isaura e vocês vão ficar atrás daquela moita, quando o gato cair, vocês vã me avisar.
Antônio subiu e foi jogar sueca com Paulo Piau, mas quando foi com trinta minutos, os garotos chegaram mais cansados do que tirador de coco no inverno. Cascudo partiu  na frente todo azunhado e foi logo gritando:
- Ei Ontõe ! A sua armadilha num teve sirvintia não. O infiliz do gato passou pra lá e pra cá mais num subiu. Foi o jeito eu me abufelar cum ele pra jogar dento do cacimbão.
- E você jogou ele dentro do cacimbão?
- Num era pra jogar? Eu joguei. Mais ele num quiria não, repare o sirviço qui ele fez neu.

Fato Histórico na politica de Várzea-Alegre - Por Antonio Morais


Foto de Março de 1963, posse do Prefeito Josué Alves Diniz o primeiro a esquerda, José Odmar Correia , de óculos escuro, vereador José Primo de Morais, Zé Bile,  e o prefeito anterior  Dr. Dario Batista Moreno. não identifico o jovem que está com a mão no queixo.

Neste  ato se confirmava a posse de Josué Alves Diniz  como prefeito de  Várzea-Alegre após um longo período de quase um seculo de domínio politico da família Correia Lima.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

SEXTA DE TEXTOS - Sávio Pinheiro



FUMO

A humana espécie ao nascer
Traz consigo um destino declarado:
Tem certeza que um dia irá morrer,
Mas do quê, nem do quando, é avisado.

O fumante, acuado, em si se vê
Na potente tragédia do atestado,
E fingindo o momento, e o porquê,
Não dá conta, apesar de informado.

O enfarte, o câncer e o enfisema
Vão sugar a pintura e o poema
De um vasto passado humanizado;

E no quadro macabro dessas telas
Só se esquiva expirar de tais mazelas
Se, precoce, morrer atropelado.

Trocadilho desarrumado - Por Antonio Morais


A esposa de Valentim Rocha de Morais, do sitio Chico, todo ano cevava o capão e mandava para o padre Otávio no dia do seu aniversário. Certa feita, o encarregado de levar o presente foi o filho Antônio Fiuza de Morais, que montou num burro, pendurou o capão no cabeçote da cangalha e seguiu pra cidade.

Quando passava pelo Sanharol o capão bateu com as asas, e, com o movimento o burro se assombrou, derrubou Antônio, fez bunda de ema na direção do Chico, o capão fugiu e o portador ficou batendo a poeira todo cheio de arranhões por causa do baque no chão.

José André vendo aquela cena engraçada se aproximou e o Antônio falou: - Zé André, depois dessa, pela fé que eu tenho no Padre Cicero do Canindé e no São Francisco do Juazeiro, eu nunca mais me monto num capão com um burro pendurado no cabeçote da cangalha.

Fonte - Fernando Menezes.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

ABAIXO DA LINHA DA POBREZA - JORNAL DO CARIRI.


206 mil passam fome no cariri. A pobreza e a miséria tomam a vida de milhares de famílias em todos os municípios cearenses, principalmente na zona rural.

No Cariri, a situação é preocupante diante de números que apontam para mais  de 200 mil pessoas vivendo abaixo da linha de pobreza, com uma renda per capta de 70,00.

O quadro é comum aos mais de 10 milhões de brasileiros em todo o nordeste. O levantamento é do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome e confirmado pela Caritas Diocesana do Crato, que já arrecadou 18 toneladas de donativos enviados e alguns municipios da região. 

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do Crato, Antônio Alves Gama, a burocracia e os rigorosos critérios de acesso aos programas sociais do Governo tem sido os principais gargalhos no acesso as linhas de credito.

Nossa Senhora das Mercês - Co-padroeira de Várzea-Alegre.

Serão comemorados  nos dias  22 de Janeiro a 02 de Fevereiro 2013 os festejos alusivos a Nossa Senhora das Mercês, co-padroeira  da igreja matriz de Várzea-Alegre. Participe, colabore.

O galeto do constrangimento - por Ilimar Franco


A Juventude do PT de Brasília está no sal. O jantar a fim de arrecadar recursos para ajudar os réus do mensalão a pagar multas é considerado “um tiro no pé” entre os petistas. 

Um dirigente nacional comentou que “os réus têm que parar de sangrar o partido”. Um ministro argumentou que, além de ter sido esvaziado e gerado pauta negativa, o evento foi uma “estupidez”. E ironizou: “Vender galeto para pagar milhões? Haja galeto!” A direção do PT avalia que o partido não pode ficar preso a essa pauta, pois, a despeito das críticas, o julgamento do STF tem que ser respeitado.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

QUANDO PEGO A ME LEMBRAR - Por Mundim do Vale.


Quando pego a me lembrar
De tudo que aconteceu,
Lembro chico de Amadeu
Com a sanfona a tocar.
Lembro de Zé Odmar
Na fazenda estadual,
Me lembro do Juremal
E o Clube Recreativo.
Lembro o nome criativo
Dos blocos de carnaval.

Lembro o poeta Bidim,
Lembro o velho Zé de Ana,
Lembro de Dona Santana
Vendendo seu alfinim.
Lembro de Chico Carrim
De Raimundo e Zé Silvino,
Lembro Pedro Severino
Que foi poeta e profeta.
E por falar em poeta
Lembro de Zé Clementino.

Lembro a bar de Punduru
E o café de Domicilia,
Lembro a pensão de Emília
E o beco de Zé Ginu.
A venda de Zé Bitu
Bem de frente da uzina,
O noivado de Enedina
E a festa de casamento.
Eu não esqueço um momento
Do Hotel de Leontina.

Eu lembro bem de Cotinha
E Carlito Cassundé,
Lembro Geraldo Teté
Lembro Alencar e Barbinha.
Me lembro de Zé Ritinha
E lembro  Edvard Moreno
Fui vizinho de Roseno,
Rimei com Souza Sobrinho.
Não esqueço de Inacinho
Me chamando de pequeno.

Me lembro de Zé Teixeira
De Natércio e Luizão,
Não esqueço Damião
Com seu boneco na feira.
Conheci Luís Ferreira,
Murilo e Luís David,
Zé Leonardo e Zeli,
Didi Brito e e Dona Adélia,
Serginho de Rosa Amélia,
Luís Bezerra e Dadi.

Lembro Fatico e Dosinha
E de Chiquinho de Louso,
De Maria Frutuoso
É grande a saudade minha.
De Chico de Gregorinha
A saudade é de rojão,
Quando lembro de Souzão
Lembro também Gabriel.
Lembro uma dupla fiel
Que foi Pacato e Lobão.

Romildo eu tenho lembrança
Foi um rapaz instruído,
Mas um perverso bandido
Pôs fim a sua esperança.
E quando a lei não alcança
Vai gerando impunidade,
Mas para o bem da verdade
A família ficou triste.
Porque dele ainda existe
Uma tremenda saudade.

Mas toda essa boa gente
Tá em boa companhia,
Tá com a Virgem Maria
E o pai onipotente.
Ganharam como presente
A paz da eternidade,
Lá onde a felicidade
É o lema do lugar.
Mas quando eu pego a lembrar
Me vem a grande saudade.

Mundim do Vale




Enviado por Amigos de Deus


O semeador semeou a Palavra de Deus para os filhos de Deus, possivelmente várias vezes ao dia. Sempre que lemos ou ouvimos algo da Bíblia, essa semente está destinada a dar fruto. No entanto, ela tem de penetrar em nosso coração, “porque dele procedem as fontes da vida” Provérbios 4.23.

É no coração que tomamos decisões, e é onde a vontade é formada. De fato, é no coração onde determinamos se daremos fruto ou não. A semente em si mesma é boa, pois “a palavra de Deus é viva e eficaz” Hebreus 4:12. Portanto, se não produzimos frutos, a causa está no estado do solo de nosso coração. Será que ele está tão endurecido que se tornou impermeável à Palavra de Deus?

O que pode torná-lo duro? São as coisas más que nos cercam e nos contaminam diariamente? É a rotina cotidiana? Ou ficamos endurecidos exatamente por ouvir tanto a Palavra que acabamos como os israelitas no deserto, enojados do maná (Números 11.6; 21.5)?

Será que a leitura da Bíblia se transformou em uma tarefa tediosa que fazemos somente para acalmar a consciência? Quantas vezes temos sido admoestados pela Palavra, e simplesmente a ignoramos! Ou talvez a aceitemos apenas por um momento, mas depois permitimos que o diabo venha e arrebate a mensagem. Muitos não desejam ouvir. Como isso deve entristecer o Semeador, o Senhor Jesus, que age por meio de Seu Espírito!


Historias de netos que deixam os avós babando - Por Antonio Morais


Meu filho Ernesto e o meu neto Aluísio.

Aluísio se aproximou da Anna Florença e disse: Tia Ana papai comprou uma "Haluis" da cor do teu cabelo. Anna Florença perguntou: Aluisio e qual é a cor do meu cabelo?  Resposta: é a cor da "Haluis" que papai  comprou.
O avô tem todo o direito de ser bobo.

Antonio Morais

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Enviado Por Amigos de Deus.


Meu pai gostava de nos contar um episódio de sua infância. Esse fato ocorreu em uma noite de inverno nas montanhas. Havia nevado o dia inteiro e a fazenda da família estava totalmente isolada. À noite, uma forte ventania eliminou todos os vestígios das trilhas, e, portanto, sair para qualquer lugar se tornou uma tarefa bastante arriscada.
Por volta da meia-noite, ouviu-se batidas na porta. Era um homem de um vilarejo vizinho que havia se perdido. Quando percebeu onde estava, ele não quis entrar, pois achava que poderia chegar à sua própria casa que não distava muito dali. Todos foram novamente para a cama, mas, três horas depois, meu avô teve de se levantar e abrir a porta para o mesmo homem. Ele havia andado em círculos na tempestade de neve sem dar um passo que o aproximasse de seu destino.
Desta vez, ele entrou e descansou até o amanhecer. Essa curta história, que poderia ter terminado de maneira trágica, nos faz pensar em todos os que entram em contato com o Evangelho de Jesus Cristo durante a vida e o ignoram. Tais pessoas imaginam que são capazes de obter a salvação por si mesma e então rejeitam a graça que Deus lhes oferece.
Continuam o caminho delas sob pena de se perderem eternamente. A mensagem divina é bem clara: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” Efésios 2.8-9


Na Praça de Santo Antonio - Antonio Morais


Na Vargeaalegre, a Praça de Santo Antonio é o ponto de encontro dos depois de 65 anos. Uns vão fazer caminhada, outros vão matar o tempo jogando dominó e tem até os que vão mentir. Visto que a distancia entre frustração e desespero é bem próxima. A frustração é quando não se consegue a segunda pela primeira vez e o desespero é quando não se consegue a primeira pela segunda vez.

Tonheiro, já com os seus 66 anos nos costados, não escondia para os amigos sua preocupação, pois há trinta e cinco anos gostava da mesma mulher. Já pensou se Biluca, a esposa, descobre que tinha uma sócia, logo ela que dizia que chifre é como consorcio quando menos se espera se é contemplado. Era morte certa. Com certeza ia ter defunto.

Tonheiro tranquilo, acomodado, muito paciente, não se aborrecia com nada, nem com uma hérnia do tamanho de um mamão papaia logo abaixo do umbigo. Passava o tempo todo alisando o mondrongo com o dedão polegar. Sua rotina não mudava. Todo dia era a mesma coisa. Pela manhã na praça com os amigos, meio dia dormindo um pouco, que ninguém é de ferro e, às oito da noite já estava no quarto para mais uma jornada de sono. Não se sabia, ao certo, qual o horário dedicado a sócia de Biluca, sua dedicada esposa..

Biluca, com os seus 130 quilos de banha dava conta dos trabalhos da casa, e, o tempo que lhe sobrava era dedicado à almofada de bilros, e, de noite quando chegava ao quarto tome reza. Desbuiava terço para a guerra do Iraque não chegar por aquelas bandas, salve-rainha pra não fazerem mais fuxico com Lula, credo para a crise não diminuir o preço da quarta de arroz, principal produto nosso, era tanta oração que um dia Tonheiro disse: Biluca reza um rosário para acabar com essa lenga lenga e eu dormir em paz.

Pois bem, na manha seguinte, na praça, se encontraram Tonheiro, Antônio André e João  Beca. Conversa vai, conversa vem, João Beca falou: mas que mulata fogosa aquela atendente do café da Lourdes! Rapaz, nunca vi igual. Antônio André confirma: é, na verdade não conheço igual aquela danada. Outro dia eu passei uma noite inteira de amor e transas abufelado com a dita cuja. Tonheiro, que escutava calado as lorotas dos amigos, alisando a hérnia disse: É amigos, eu queria vê esse desempenho todo de vocês era se fosse com BILUCA!

Nos anos 60!


Naquela época, até o final dos anos 60, pelos menos, havia vestibular para entrar no Ginásio. Era comum a criançada do quarto ano primário fazer uma espécie de cursinho visando preparar-se para o exame de Admissão.

O meu livro era de pelo menos oitava mão ou seja já havia passado por oito antes de mim. Todas as figuras estavam riscadas, bigodes, óculos, até chifres nas fotos haviam. Minha querida e inesquecível professora Dona Iracy Bezerra de Morais preparava nossa turma para um exame de segunda época para o preenchimento de cinco ou seis vagas restantes oferecida pelo Colégio. Fui aprovado e assim iniciei o antigo curso colegial em 1965.

Catedral - Roni Von - Sucesso de 1967.

video

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A PRAÇA - CARLOS IMPERIAL.

Composição do Carlos Imperial de 1967. Com todos esses anos não se fez outra canção  tão bonita e completa como esta. É muito bom  ouvir o que se escreve sem compromisso. Á vontade. Guiado pelo coração. Você escuta de forma meditativa, cutucando o coração, as vezes, domando-o.

   

video

TROFEU Algemas de Ouro - Portal Terra.



Lula é eleito por internautas o político mais corrupto de 2012. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi escolhido neste domingo como o político mais corrupto de 2012 em uma enquete online realizada no Facebook. Lula recebeu 65,69% dos votos, totalizando 14.547 pessoas.

O Troféu Algemas de Ouro - promovido pelo Movimento 31 de Julho, um grupo anticorrupção - chegou este ano à sua segunda edição propondo uma lista de 10 candidatos. A edição anterior foi vencida pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Em segundo lugar na enquete, com 21,82% dos votos, ficou o senador cassado Demóstenes Torres (sem partido-GO), envolvido no esquema criminoso chefiado pelo bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O terceiro colocado foi o o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), com 4,55% dos votos.

Um pouco de nossa historia - 012 - Antonio André do Roçado Dentro.



Antônio Alves Bezerra, Antônio André do Roçado Dentro.  Filho de José Alves Bezerra, Zé André e Ana Alves de Morais. Neto de José Alexandre Bezerra de Menezes e  Antônio de Morais Rego. Casado com Barbara de Morais rego filha de José de Sousa rego do Roçado Dentro. Pai de Isabel, Raimundo José e Chagas.

Homem correto,  honrado e trabalhador, porem sofria de problemas mentais,  de origem hereditária pois seus antecessores  eram casados  sobrinhos com tios e, mais por conta da ausência completa, naqueles tempos, de medicamentos e clinicas especializadas. Numa de suas crises, sua esposa Barbara resolveu se separar. Este fato contribuiu  negativamente e a demência  de Antônio André  passou a ser  grave ou muito grave. Viveu por uns tempos acorrentado, outros preso num quarto construído com segurança. Por fim, quando  esqueceu o sofrimento pelo amor ferido, passou a conviver normalmente com amigos e familiares sem nenhum perigo oferecer.

Era primo legitimo, amigo e compadre do meu pai, de quem recebeu  por todo tempo atenção e respeito, até mesmo nos piores momentos de suas crises. Que Deus lhe dê  no firmamento a paz que lhe faltou entre os homens. 

Protesto - Por Antonio Morais


HOMENAGEM AO DR. LAÉRCIO.

Na década de 70 do século passado, todo ano, no período das festas juninas, O Trio Nordestino passava uma semana na casa do estimado amigo Dr. Laércio em Assaré. Fartura de carneiro, muita prosa e pinga a bambão.

A musica "Tem homem de Saia" foi composta numa destas visitas, e, em homenagem a Ribinha, um assareense dos bons. Fui testemunha deste fato. A musica está sendo cantada no momento por três graciosas senhoritas e onde se dizia "Ridinha" trocaram por Chiquinho. E, a mudança não se limitou por aí: retiraram o retumbante grito  do Lindu: "Tá vendo como é as coisas Laércio"? Não é justo que se mude a letra porque a historia da musica é esta, com o nosso Ribinha como protagonista.

Em homenagem ao Trio Nordestino, ao Amigo José Alves de Freitas - Dr. Laércio e ao Ribinha, hoje proprietario de restaurantes no "Centro de Tradições Nordestinas", em São Paulo.

Saudades dos velhos tempos.

video

AMADO FILHO.


O dia em que este velho não for mais o mesmo, tenha paciência e me compreendas. Quando derramar comida sobre minha camisa e esquecer como amarrar meus sapatos, tenha paciência comigo e lembra-te das horas em que passei te ensinando a fazer as mesmas coisas.
Se quando conversares comigo, eu repetir as mesmas historias, que sabes de sobra como terminam, não me interrompas e me escute. Quando eras pequeno, para que dormisses, tive que te contar milhares de vezes a mesma estoria até que fechasse os olhinhos.
Quando estivermos reunidos e sem querer fizer minhas necessidades, não fique com vergonha. Compreendas que não tenho culpa disso, pois já não posso controlar. Penses, quantas vezes, pacientemente, troquei tuas roupas para que estivesse sempre limpinho e cheiroso.
Não me reproves se eu não quiser tomar banho, sejas paciente comigo. Lembra-te dos momentos que te perseguir e os mil pretextos que inventava para te convencer a tomar banho.
Quando me vires inútil e ignorante na frente de novas tecnologias que já não poderei entender, te suplico que me dê todo o tempo que seja necessário, e que não me machuques com um sorriso sarcástico. Lembra-te que fui eu quem te ensinou tantas coisas. Comer, se vestir e como enfrentar a vida tão bem como hoje o fazes. Isso é resultado do meu esforço da minha perserverança.
Se algum momento, quando conversarmos eu me esquecer do que estava falando, tenhas paciência e me ajude a lembrar. Talvez a única coisa importante pra mim naquele momento seja o fato de ver você perto de mim, me dando atenção, e não o que falávamos.
Se alguma vez eu não quiser comer, saibas insistir com carinho. Assim como fiz contigo. Também compreendas que com o tempo não terei dentes fortes, e nem agilidade para engoli. E quando minhas pernas falharem por estar tão cansadas, e eu já não conseguir mais me equilibrar. Com ternura, dá-me  tua mão para me apoiar, como eu fiz quando tu começastes a caminhar com tuas pernas frágeis. E se algum dia ouvires dizer que não quero mais viver, não te aborreças comigo. Algum dia entenderás que isto não tem a ver com o teu carinho ou com o quanto te amo.
Compreenda que é difícil ver a vida abandonando aos pouco o meu corpo, e que é duro admitir que já não tenho mais o vigor para correr ao teu lado, ou para tomá-lo em meus braços, como antes.
Sempre quis o melhor para ti e sempre me esforcei para que teu mundo fosse mais confortável, mais belo, mais florido. E até quando me for, construirei para ti outra rota em outro tempo, mas estarei sempre contigo e zelando por ti.
Não te sintas triste ou impotente por me ver assim. Não me olhes com cara de dó. Dá-me apenas o teu coração, compreenda-me e me apóie como fiz quando começastes a viver. Isso me dará forças e muita coragem. Da mesma maneira que te acompanhei no inicio da tua jornada, te peço que me acompanhes para terminar a minha.  Trata-me com amor e paciência, e eu devolverei sorrisos e gratidão, com o imenso amor que sempre tive por ti.

domingo, 20 de janeiro de 2013

ENVIADO POR AMIGOS DE DEUS


O discípulo chegou ao mosteiro e perguntou ao Mestre: Como faço para viver bem com as pessoas?  Não suporto gente mentirosa, não tolero os invejosos, as vezes penso que não sou deste mundo.

Pacientemente o Mestre disse: O mundo é o que é, ele não muda em função das suas emoções. Não há como mudar as pessoas, a unica mudança possível é de si mesmo. Tudo que você pode fazer é aprender a viver como as flores. O discípulo perguntou ao mestre. Como é possível a um ser humano viver como um vegetal?

Disse o mestre: Apenas observe a flor de lótus. A flor de lótus nasce em um lugar imundo, cercado de lama e mau cheiro, no entanto floresce da forma mas espetacular que existe, completamente pura e sem se deixar contaminar.

E continuou o mestre. Assim também deve acontecer com o ser humano.  Um semelhante é um templo sagrado que se deve estar protegido de qualquer julgamento. 
As pessoas agem e reagem de acordo com seu grau de evolução.
Não se deve pedir a uma pessoa mais do que ela pode dar.
A expectativa aprisiona e traz sofrimento para as duas partes.
Rejeitar todo mal que vem de fora é
Florescer, florescer e florescer
isso é viver como as flores!

O principio não tem fim. o Fim também não. Tudo é principio que jás no cristal no movimento que pode se ver quando ja não esta. Por isso o rumo se mantem quando se vai em busca. Se a meta não é o agora, a busca é em vão.

Kung Tien

sábado, 19 de janeiro de 2013

O presente do portuga.

O Portuga queria dar um presente inusitado a sua namorada. Disseram para o Portuga que o chique era dar sapatos de jacaré. Ele verifica nas lojas que os preços eram proibitivos. Então resolve caçar seu próprio jacaré. Todos explicam que é muito difícil e perigoso, mas ele não quer saber. Português é Português!
Obtém orientações e viaja para o Pantanal. Como demorava muito para retornar, parentes seguem seu rastro e encontram o Portuga dentro de um lago com um revólver na mão. A poucos metros dele está vindo um jacaré enorme. Ele dá um tiro e mata o bicho.
Em seguida o arrasta até a margem, onde estão pelo menos uma dúzia de jacarés mortos. Ele, com muita dificuldade, retira o jacaré morto da água e exclama contrariado: - Droga! Mais um sem sapatos!

O que é esposa? - Por Antonio Morais

"Esposa é aquela pessoa amiga e companheira, que está sempre ali, a seu lado, para ajudá-lo a resolver os grandes problemas que você não teria se fosse solteiro".

Pra todas elas: C'est Ma Vie - Isabelle Boulay e Salvatore Adamo.


video

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Enviado por Amigos de Deus


Tenho e sempre tive a convicção de que esta vida é apenas uma estação de uma longa viagem, de origem e destino desconhecidos. Mas todas as vidas, a minha, a sua, a de todos, passam pelo mesmo caminho que leva ao crescimento humano e espiritual. Tem quem queira passar voando pela estrada. Tem quem queira interrompe-la abruptamente. Tem quem passe alheio a tudo, até mesmo à vida.

Esse aí não vive na verdade, passa o tempo inteiro da viagem sentado a beira do caminho, sem aprender, sem progredir… sem crescer. Não viaja, nem vive… só sobrevive. Pra alguns a viagem é curta… nem chega a desembarcar, embarca de volta. Pra outros a viagem é longa!! Há quem leve na bagagem experiências ruins e aprenda com elas. Noutras bagagens as experiências ruins se transformam em peso… pesam muito, viram mágoa e se transformam em doença. Na minha bagagem, as experiências ruins transformo em aprendizado. Isso as tornam leves. Na minha estrada observo cada pedrinha do caminho. O sol, a chuva, as folhas, as plantas, animais.

Sou feliz por viver, por respirar, andar, enxergar, poder falar, ter corpo perfeito, cérebro que funciona, mente que trabalha. Observo especialmente o ser humano e suas diversas vestes. Não as do corpo… porque são irrelevantes, mas as da alma. A veste da cultura pode encobrir uma personalidade bronca, rude, vazia, egoísta. O ouro, a riqueza podem encobrir a pobreza extrema do espírito. Em contrapartida a veste da simplicidade pode encobrir um espírito de um estado de nobreza irretocável, sutil, de uma elevação indescritível. Fim de ano é tempo de repensar. Reavaliar o que foi feito durante um ano inteiro e sobre o que se pretende mudar. Ano novo é hora de novos sonhos, novas auto–propostas.

Nem o cenário nem o figurino são essenciais… são meros detalhes. Não importa se vou virar o ano dormindo. Só não posso dormir por mais um ano. Fechar os olhos aos meus objetivos, às minhas metas, ao meu melhoramento. Se eu fizer isso não será um ano novo. Não será nada além de “mais um novo ano velho”. Fecho o ano agradecendo. Agradecendo a chance de existir, de respirar, andar, enxergar. Ter tido o privilégio de ser trazida a terra pelos meus anjos: pai e mãe. Ter uma família especial, ter tido uma infância de sonhos e oportunidade de aprendizado de vida, de valor imensurável. Quero mais oportunidades. Oportunidade de ter saúde bastante para dar vida à outra vida. Oportunidade de trabalho, sob todos os ângulos. Oportunidade da queda que ensina a levantar. Oportunidade dos enganos, pra aprimorar escolhas. Quero tentar manter, constante e incansavelmente,  minhas mãos e coração limpos.

Quero a presença de pessoas que me amam e a quem amo também. E o presente de amigos “presentes”, até os mais distantes, os de sempre e os que chegaram de surpresa. Estou pronto pra me revisar… me reavaliar. Estou de malas prontas. Faça as malas você também, deixe pra traz o que você não conseguiu melhorar.

Melhore-se, melhore a vida de quem puder…melhore o seu jeito de olhar e agir com o outro, com o mundo. Siga em frente e boa viagem

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

SINTONIA


Pedro Alves de Morais.

A ultima vez que estive na casa do meu irmão ele estava  meio abatido, desanimado e recolhido ao seu aposento. Quando entrei no quarto, ele me viu, se animou um pouco, abriu umas gavetas, tirou um CD, colocou no som e ouvimos juntos. Depois  riscou com um lápis  a musica que ouvimos e, disse me olhando bem nos olhos: É seu.

No outro dia fomos ao hospital  fazer alguns procedimentos médicos de onde não  mais voltamos.

Sintonia


video

Eviado por Amigos de Deus.


Ruth olhou em sua caixa de correio, mas só havia uma carta. Pegou-a e olhou-a antes de abri-la.  Mas logo parou, para observar com mais atenção. Não havia selo nem marcas do correio, somente seu nome e endereço.  Ela decidiu ler a carta:  Querida Ruth. Estarei próximo de sua casa, no sábado à tarde, e passarei para visitá-la. Com amor, Jesus. 

As mãos da mulher tremiam quando colocou carta sobre a mesa 'Porque o Senhor vai querer visitar-me? Não sou ninguém especial, não tenho nada para oferecer-lhe... ' - pensou.  Preocupada, Ruth recordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha.  'Ai, não! Não tenho nada para oferecer-lhe. Terei que ir ao mercado e comprar alguma coisa para o jantar. Ruth abriu a carteira e colocou o conteúdo sobre a mesa: R$ 5,40. Bom, comprarei pão e alguma outra coisa, pelo menos. '  Ruth colocou um abrigo e se apressou em sair. Um pão francês, um pouco de peru e uma caixa de leite... Ruth ficou somente com R$ 0,12 que deveriam durar até a segunda-feira.

Mesmo assim, sentiu-se bem e saiu a caminho de casa, com sua humilde compra debaixo de um dos braços. -Olá, senhora, pode nos ajudar? Ruth estava tão distraída pensando no jantar, que não viu as duas pessoas que estavam de pé no corredor. Um homem e uma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.  - Olhe senhora, não tenho emprego. Minha mulher e eu temos vivido ali fora na rua. Bom, está fazendo frio e estamos sentindo fome. Se a senhora pudesse nos ajudar, ficaríamos muito agradecidos... 

Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos e tinham mau cheiro e, francamente, ela estava segura de que eles poderiam conseguir algum emprego se realmente quisessem.  - Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulher pobre. Tudo que tenho são umas fatias de pão, mas receberei um hóspede importante para esta noite e planejava servir isso a Ele.  - Sim, bom, sim senhora, entendo... De qualquer maneira, obrigado respondeu o homem.  O pobre homem colocou o braço em volta dos ombros da mulher, e os dois se dirigiram para a saída. Ao vê-los saindo, Ruth sentiu um forte pulsar em seu coração.    -Senhor, espere!  O casal parou e voltou à medida que Ruth corria para eles e os alcançava na rua. - Olhem, querem aceitar este lanche? Conseguirei algo para servir ao meu convidado - dizia Ruth, enquanto estendia a mão, com o pacote do lanche. 

- Obrigado, senhora, muito obrigado. - Obrigada, disse a mulher...
Foi aí que Ruth pôde perceber que a mulher tremia de frio. - Sabe, tenho outro casaco em minha casa, tome este ofereceu Ruth. Ela desabotoou o próprio casaco e o colocou sobre os ombros da mulher.  Sorrindo, voltou a caminho de casa... Sem casaco e sem nada para servir a seu convidado.  - Obrigado, senhora, muito obrigado - despediu-se, agradecido, o casal.  Ruth estava tremendo de frio quando chegou à porta de casa. Agora não tinha nada para oferecer ao Senhor. Procurou a chave rapidamente na bolsa, enquanto notava outra carta na caixa de correio.  'Que raro, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia' - pensou.
Ela então apanhou a carta e abriu-a:
'Querida Ruth. Foi bom vê-la novamente.
Obrigado pelo delicioso lanche e pelo esplêndido casaco.
Com amor, Jesus.