Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 11 de abril de 2016

Vila de Ipueira: Parte I - Postado por Antônio Morais


A resistência heroica ao cerco de Lampião. Ali Virgulino Ferreira bateu em retirada diante da reação da família Xavier.

Em l973, estivemos na cidade pernambucana de Granito, para entrevistar José Saraiva Xavier, mais conhecido por Dezim Xavier, o homem responsável pela morte de Tempero, um dos mais valentes cabras do grupo de Lampião. Conversamos bastante com Dezinho, naquela época com os seus 68 anos de idade. Ainda lúcido e forte, cabelos grisalhos e face rosada de sertanejo habituado ao sol causticante do nordeste. Dezinho Xavier contou para o repórter de Região todos os fatos que envolveram a pequenina Ipueiras, na sua reação heroica ao cerco do mais temível grupo de bandoleiros em ação no nordeste. Na época tentamos fotografar os locais da cerrada luta. As condições das estradas prejudicadas pelo inverno de l973, não permitiram, entretanto, a nossa ida a Ipueiras. Este ano, porem, passando pela pequenina vila, conseguimos o nosso intento, fotografar os locais onde atuou o grupo de Lampião e os prédios de onde mais de cem homens armados e bem municiados, sob a liderança do Cel Pedro Xavier, pai de Dezinho, resistiram, durante horas, ao cerco do temível rei do Cangaço.

A complementação que fazemos hoje da reportagem divulgada em 1973, se faz acompanhar dos trechos principais da referida matéria, por julgá-los imprescindíveis pelo tempo decorrido de sua publicação.

No ano de 1925 Lampião e seu grupo estiveram na localidade de Ipueiras, hoje município de Serrita. Naquela época, o velho Pedro Xavier de Souza era homem de muito prestigio no lugar, rico fazendeiro, politico de conceito, respeitado em toda região pelo seu caráter e pelas suas atitudes coerentes e corajosas. O Cel Pedro Xavier, nos idos de 1925, ocupava as funções de delegado de policia de Ipueiras, cargo, na época exercido somente por homens importantes e de prestigio publico. Tudo corria em paz na tranquila Ipueira dos Xavier, até que, numa certa manha, aquela tranquilidade foi quebrada com a inesperada visita de Lampião. Dado o conceito que a família Xavier desfrutava pela sua tradição e o respeito que todos tinham ao Cel Pedro Xavier, chefe do Clã, o grupo de Virgulino Ferreira não exagerou no seu comportamento belicoso. Apenas algumas arruaças caracterizavam a presença do grupo na bucólica localidade sertaneja.
Continua.

3 comentários:

  1. Faremos mais duas postagens a respeito do cerco de Lampiao, a reação do Cel Xavier e a carreira dos bandoleiros.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Escritor,
    Estou escrevendo e visitando os locais onde o Sr, Pedro Vieira foi sequestrado e morto por Lampião. Peço encarecidamente, se possível que me enví o resto do artigo sobre o "Fogo dos Xavier".
    Quando meu trabalho estiver pronto lhe envio também.
    Grijalva Maracajá Henriques
    maracajag@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. As três postagens estão juntas. Parte 01, 02 e final.

    ResponderExcluir