Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Dr. Humberto e Mundim do Sapo - Por Antonio Morais


Dr. Humberto Macário.

Mundim do Sapo.

Mundim do Sapo transferiu o domicilio de Várzea-Alegre para o Crato. Precisava  botar os filhos para estudar.  Fixou residencia à Rua Monsenhor  Esmeraldo  depois da linha férrea. Neste época a fabrica da Coca-cola ficava próximo. 

O filho Raimundo, voltava da aula e de passagem  pela referida fabrica atirou uma pedra  na Placa luminosa, bateu de um lado e saiu do outro, deixando-a cheia de buracos. O vigia observou Raimundo entrando em casa, ligou para o gerente da fabrica que  foi a casa do Mundim com a muzenga, de pauta com o diabo. 

Enquanto o homem falava o circo ia se formando, a vizinhada toda assistindo  o afoito gerente. Mundim do Sapo calado o tempo todo, não tinha razão e nem tinha o dinheiro para pagar o prejuízo.

Por fim o homem  baixou a sentença: amanha, 08 horas, no meu escritório com o dinheiro da placa, do contrario  vai ter cadeia.

Seis da manha, Mundim do Sapo estava na casa do Dr. Humberto que além de ser seu grande amigo era o  prefeito do Crato à época. 

O que foi Raimundão que você não me deixou dormir hoje?  Disse Dr. Humberto.

Mundim contou a historia. 

Dr. Humberto ligou para o gerente da coca-cola: aqui é Dr. Humberto Macário.

Diga Dr. Humberto, mande as ordens.

Eu quero que você levante os prejuizos  que o filho de um amigo meu provocou com a destruição de uma placa da sua empresa e mande receber  comigo. Não vá mais na casa dele, porque ele não pode pagar e vai se encabular e aborrecer você.

Nada Dr. Humberto, foi nada não,  foi só um trincão de fácil recuperação. Aqui o senhor manda!...

De qualquer forma se houver despesas é comigo.

Pronto Raimundão, está resolvido. Pode ir pra casa tranquilo. Disse Dr. Humberto.

Quando Mundim chegou em casa, o vizinho que assistiu o circo do dia anterior perguntou:

Como foi, seu Mundim, o homem amansou?

Mundim do Sapo parou um pouco e respondeu: Eu estumei Dr. Humberto nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário