Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

As astúcias de Pedro Enrolão - Por Antônio Morais

Pedro Enrolão trazia da cidade de Campos Sales uma carrada de bodes para negociar no Juazeiro do Norte. 

Há menos de cinco km do Posto Fiscal da Batateira estacionou o carro na beira da estrada e foi vê o ambiente no posto fiscal.

Resolveu ir até o mercado e comprou 36 sombreiros.

Depois de fazer dois orifícios em cada chapéu de palha para adequá-los no crânio de cada pai de chiqueiro, lá se foi estrada a fora : um pau de arara carregado de romeiros.

Com a troca do fiscal de plantão, a sorte não poderia  ter sido mais favorável : O novato  era portador de elevado grau de miopia, usava óculos fundo de garrafa. Mesmo como o Pedro queria. 

O homem se aproximou da carroceria do carro, iluminando com uma lanterna, olhando pelas brechas resmungou:

Ô catinga de bode!

Deve ter sido alguém que esqueceu de trocar o absorvente, disse o Pedro.

Esse povo é  tão baixo!

Pedro, emendou,  é a fé que é muita, vão todos ajoelhados!

O guarda desejou boa viagem e vendo o carro se afastar - Lascou : 

Ô povo feio.

Um comentário:

  1. Pedro era engenhoso, não duvido nada da verdade embutida neste causo.

    ResponderExcluir