Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 2 de abril de 2018

040 - O Crato de antigamente - Por Antônio Morais.


Inicialmente o Colégio Estadual funcionava  noutro prédio em precárias Instalações. Anos depois de sua  fundação foi construído o suntuoso prédio do Pimenta.  Certo ano, depois de um março  chuvoso o teto do colégio  caiu e  houve um considerável estrago.

O diretor Luiz de Borba estava  doente, um  problema no dedão do pé,  Vieirinha,  vice diretor estava com uma perna engessada e José do Vale o outro vice estava com problema de pedra na vesícula.

Dr. Luiz de Borba fez uma carta e mandou  o filho  professor João de Borba  ir a Fortaleza  falar com o Major Bastos Secretario Estadual de Educação.

O Major Bastos  recebeu a carta, leu  olhou para o professor e disse : Diga ao Dr. Luiz de Borba que se o prédio estiver ameaçando cair tire o alunato de baixo e saia também  para não morrerem.

João de Borba respondeu : Eu não posso levar um recado destes porque ninguém vai acreditar. Faça por escrito que eu levo, e nem só levo como vou tirar  três copias para entregar  a televisão, ao governador do estado e ao ministério da educação.

O major Bastos disse : Você não nega ser filho do meu amigo Luiz. Sente-se aí e aguarde. Afastou-se por um tempo e ao retornar  disse : Estou mandando ao Crato um carro com um  engenheiro e a ordem para  a recuperação do prédio. Quero que você vá junto.

João de Borba encerrou  a conversa  dizendo : Não, eu não posso ir com eles, já comprei  a minha passagem de volta.

4 comentários:

  1. Segundo informações do professor João de Borba apenas três salas estão sendo utilizadas pelo colégio diante de tamanha evasão.

    ResponderExcluir
  2. Caro Antonio
    Veja meu comentário de hoje em seu blog em 03 de dezembro de 2010 Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Pela visita e pelo comentário. O comentário de 03 de dezembro 2010 eu não tenho como vê. Se for possível repita nesta postagem. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Grande Antônio Morais! Estudei no antigo prédio do Colégio Estadual, no tempo em que à noite funcionava no mesmo imóvel, o Ginásio Municipal. Ali fiz o Curso de Admissão ao Ginásio. Os estudos ginasiais já fiz no atual prédio, na Praça Dr. Joaquim Fernandes Teles. Ali também conclui o Colegial (ou Científico) e que hoje é Ensino Médio. Tempo em que a escola pública tinha qualidade. Me graduei em Jornalismo na Universidade Estadual da Paraíba desde 1991. Egresso da Rádio Araripe onde trabalhei de 1974 a 1979, estou até hoje na imprensa paraibana. Pertenço aos quadros de Divulgação do Governo da Paraíba; e sou produtor, editor e repórter da Rádio Correio FM de Campina Grande, empresa integrante do Sistema Correio de Comunicação, cuja sede fica em João Pessoa. Fui um dos primeiros a me matricular no novo Colégio Estadual Wilson Gonçalves. À época ele recebia alunos de quase todo o Cariri cearense. Acredito que você vivenciou esse período. Abraços. Chico José

    ResponderExcluir