Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 15 de junho de 2017

Sousa Leão – o mais “aristocrático” dos bolos brasileiros


   Essa receita tipicamente pernambucana foi criada por D. Rita de Cássia Sousa Leão Bezerra Cavalcanti, esposa do Cel. Agostinho Bezerra da Silva Cavalcanti, para ser servido ao Imperador Dom Pedro II, quando de sua visita à Província de Pernambuco, no final de 1859, ocasião em que ficou hospedado no Engenho do Moreno (no município de mesmo nome), propriedade da família Sousa Leão. 

   O Bolo Sousa Leão é considerado o mais “aristocrático” dos bolos brasileiros; e diz a tradição que só deve ser servido em pratos de porcelana ou cristal. Ele é tão apreciado em Pernambuco, onde é considerado um prato típico, que recebeu o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado, outorgado pela Lei 13.428/2008. 

A mais recente edição de nosso boletim, “Herdeiros do Porvir”, a número 48, referente aos meses de janeiro, fevereiro e março do corrente, traz uma extensa matéria sobre a visita do Imperador Dom Pedro II e da Imperatriz Dona Teresa Cristina, acompanhados de suas filhas, a Princesa Imperial Dona Isabel e a Princesa Dona Leopoldina, às Províncias ao norte da capital do Império, entre o final de 1859 e o início de 1860.
 O Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, experimentou, na Sede Social da Pró Monarquia – Casa Imperial do Brasil, em São Paulo, a pedidos de um grupo de monarquistas do Estado de Pernambuco, o tradicional Bolo Sousa Leão, elaborado seguindo a receita original pela Sra. Hayley Ribeiro de Barros Rocco, que Sua Alteza muito apreciou.

Postagem original no facebook do "Pro Monarquia". Postado neste Blog por Armando Rafael

5 comentários:

  1. Se não tivesse ocorrido o golpe militar que implantou a República no Brasil, Dom Luiz de Orleans e Bragança seria o nosso atual Imperador.
    Aliás, ao invés dos 43 ocupantes eventuais da Presidência da República (e conta-se no dedo das mãos quem conseguir concluir o mandato) o Brasil teria apenas 05 (cinco) Imperadores:
    - Dom Pedro I
    - Dom Pedro II
    - Princesa Isabel
    - Dom Pedro Henrique
    - Dom Luiz de Orleans e Bragança.
    O povo nem guarda a lembrança os nomes dos ex-presidentes… prova de que a República nunca deixou memória no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto isso, na Inglaterra a respeitável Rainha Elisabeth II está há 62 anos reinando.
    E nesses 6 décadas, o povo só guardou na memória o nome de 2 Primeiros Ministros: Winston Churchil e Margareth Tatcher. Ou seja, os governos são provisórios, a Chefia de Estado é duradoura. Qualquer criança inglesa a partir dos 5 anos já diz o nome da Rainha... e nem sabe quem é o Primeir Ministro de plantão...
    No Brasil, Lula, Dilma, Temer acumulam a Chefia de Estado e a Chefia de Governo. Daí toda essa esculhambação...

    ResponderExcluir
  3. Prezado Armando - Você foi muito feliz com o seu comentário a respeito do desconhecimento dos presidentes pelo povo. Lembrei-me que em 1986 o governador Gonzaga Mota formou a chapa do PMDB com : Tasso, Mauro Benevides e Padre Antonio Vieira. Ao comunicar o Padre Vieira não aceitou e fez a justificativa : Vou escrever um livro para me eternizar, e, o senador quando findar o mandato ninguém vai saber quem foi. Será que existe algum cearense que se lembra que o Cid Carvalho foi senador? Já Padre Vieira todos sabem quem foi e conhecem sua historia.

    ResponderExcluir