Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 23 de janeiro de 2016

Quem perdeu foi tu ou foi eu? - Por Antonio Morais


Todo varzealegrense conheceu Pedro do Ouro. Pois bem, num desses carnavais  Pedro correu as mãos nos bolsos e nada tinham. Com uma sede lascada foi ao Bar da Toinha Boagua e pediu uma cerveja gelada. Tomando a "contas gotas" ouviu a dona do bar informar para outro fregues que não vendia mais fiado nem pra mãe dela. Ficou a esperar que alguém chegasse  e lhe emprestasse o  numerário para pagar a conta. 

José de Naninha, chegou e abancou-se na mesa mais próxima. Então, Pedro do Ouro falou baixinho: ei, José eu perdi os deis reais que sair de casa com  eles, você pode emprestar esse dinheiro para eu quitar minha conta? Amanha te devolvo! José de Naninha não fez cerimonia, tirou os dez reais do bolso e entregou ao Pedro. 

Daí pra frente,  sempre que se encontravam José ficava esperando  a quitação do débito que nunca acontecia. Um belo dia José perguntou: Ei, Pedro, aqueles dez reais quem perdeu foi tu ou foi eu? 

2 comentários: