Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

"Entendi que você é um juiz de merda" - Saulo Ramos.


Saulo Ramos ministro no governo José Sarney, padrinho e responsável pela indicação  do Celso de Mello para ministro do STF.

É uma história conhecida sobre Celso de Mello, mas vale a pena relembrar. Está relatada no livro "Código da Vida", de Saulo Ramos.

Quando José Sarney decidiu candidatar-se a senador pelo Amapá, o caso foi parar no STF, porque os adversários resolveram impugnar a candidatura. Celso de Mello votou pela impugnação, mas depois telefonou ao seu padrinho, Saulo Ramos, para explicar-se.


Celso de Mello, o laureado decano, do meu conhecimento melou  pelo menos três vezes :  Com o seu padrinho na história abaixo, nos recursos infringentes para salvar José Dirceu  do Mensalão e agora para salvar o Renan Calheiros. Leia com atenção a história que se segue, veja o que falou o padrinho para o afilhado.

Eis o o trecho do livro:

— Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto no caso do presidente.

— Claro! O que deu em você?

— É que a Folha de S.Paulo, na véspera da votação, noticiou a afirmação de que o presidente Sarney tinha os votos certos dos ministros que enumerou e citou meu nome como um deles. Quando chegou minha vez de votar, o presidente já estava vitorioso pelo número de votos a seu favor. Não precisava mais do meu. Votei contra para desmentir a Folha de S.Paulo. Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do presidente.

— Espere um pouco. Deixe-me ver se compreendi bem. Você votou contra o Sarney porque a Folha de S.Paulo noticiou que você votaria a favor?

— Sim.

— E se o Sarney já não houvesse ganhado, quando chegou sua vez de votar, você, nesse caso, votaria a favor dele?

— Exatamente. O senhor entendeu?

— Entendi. Entendi que você é um juiz de merda.

Um comentário:

  1. No caso desta história, o resultado da votação já estava definido. No caso dos infringentes Celso de Mello decidiu em favor de José Dirceu uma votação que estava empatada, e agora, sendo ele o último a votar, se antecipou, fez como fala o matuto, tomou a frente para ser seguidos pelos demais e salvar Renan Calheiros. Saulo Ramos só errou numa coisa, não falou para todos.

    ResponderExcluir