Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 21 de março de 2017

SHOW... DE GRAÇA! - Por Luiz Lemos.

Luiz Gonzaga com sua esposa Helena e a filha adotiva, Rosa. 

Esta, quem me contou foi o Jesuíno Barbeiro, lá de Vitória da Conquista - BA.

Diz ele que é verdade :

Em junho de 1972 Luiz Gonzaga foi contratado (verbalmente!) por um tal Duda Matias, dono de um grande forró, para animar, com sua sanfona e seu talento, uma festa junina, naquela cidade.

Festa grande, quadrilha, bares, barracas de comida e bebida, um som "estrondoso" para a época, um palco imenso! E a atração principal, claro, Luiz Gonzaga!

Pois bem...

Terminado o Show, sucesso total, o povo ao delírio... Gonzaga ficou esperando o promotor da festa, para receber o cachê, verbalmente combinado.

E não é que o homem sumiu com o dinheiro? Cadê o Seu Duda? Sei não... sumiu de novo! Comentaram que ele tinha esse estranho costume. Lua esperou, esperou, e, nada!

Lá pelas tantas, muita gente ainda na festa, o forró comendo solto, com a banda do Arnaldo Peron. E, Gonzaga, cansado de esperar, tomou uma súbita decisão: Quer saber? Vou resolver isso é agora! Do meu jeito!

Voltou ao palco, pegou o microfone, parou a banda e disse :

Gente, eu fiz um combinado com Seu Duda Matias, o dono da festa. Não vou cobrar nada dele! Cantei de graça, pra vocês. E ele, pra compensar, disse que, de agora em diante, TUDO AQUI É DE GRAÇA! Nos bares, nas barracas, tudo. É de vocês. Pode invadi, môs fi! 

É DI GRÁTIS! E viva São João!

Disse isso, desceu do palco, entrou no carro e foi embora, tranquilo e satisfeito!. Foi uma confusão dos diabos. O povo invadiu e não sobrou nada!

Diz o meu Compadre Jesuíno Barbeiro que o tal "dono da festa" até hoje está trabalhando para pagar o prejuízo!

Eita Gonzaga! Ô véi macho! Se eu tenho provas? Sei não. Só sei que foi assim!

Fonte - Blog Mendes e Mendes.

Um comentário:

  1. Um artista completo. Sabia, como ninguém, receber uma conta. Duda Matias pagou caro. Um dia Gonzaga me disse, em minha casa no Crato que tinha levado uma cabeçada em Várzea-Alegre. Eu dei por certo, não duvidei. Lamentei apenas.

    ResponderExcluir