Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Cangaço II

Nascimento.

Virgulino Ferreira da Silva nasceu no município de Vila Bela, atual Serra Talhada, no estado de Pernambuco, a quatro de junho de 1898. Batizou-se, a três de Setembro, na capela de São Francisco, atual catedral de Floresta, paróquia de Bom Jesus dos Aflitos. Veio ao mundo no sitio dos pais, “Passagens de Pedras”, nesga de terra com vinte braças de frente por quarenta de fundos, a cinqüenta quilômetros de Vila Bela. Vizinho da fazenda “Maniçoba das Pedreiras”, de Jose Saturnino de Barros, homem de recursos e influente.
Alem de forasteiros e pobres, os ferreiras viviam sob olhares indagadores de uma comunidade onde todos se conheciam. Contudo, durante quase quinze anos desfrutaram a paz.
A. Morais

Um comentário:

  1. É mió sê cangaceiro
    E poeta cantadô
    Que ser bispo ou deputado
    Ou mesmo governadô.

    Querendo andá no cangaço
    Inté sou bom cangaceiro
    Que isso de matá gente
    É serviço mais maneiro

    Se o cabra não tem corage
    Que mude de profissão
    Vá para o rabo da enxada
    Aprantá fava e argudão.

    Versos de Zabelê.

    ResponderExcluir