Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Cangaço - IV


Primeiras Rixas.

Certo dia, Jose Ferreira foi à casa do visinho reclamar uns chocalhos amassados. Saturnino justificou-se acusando os filhos de José de terem roubado o chucalho de uma vaca amojada. Retrucou, então, o velho Ferreira, afirmando que o morador de “Pedreiras” furtara-lhe um bode. Após demorada discursão, chegaram a bom termo.
Mas os rapazes do Ferreira não se conformaram. Armaram-se com mais dois parentes e saíram a represália. Atacaram a “ Fazenda Pedreiras” . Queimaram roças e cercados, dizimando parte do gado. Insultaram o proprietário com palavrões provocadores. Saturnino, encurralado, revidara á bala. Alvejou Antonio Ferreira e Antonio Matilde. Deu queixa à policia e Antonio Matilde passou doze, dias na prisão. O Juiz, vendo que o velho Ferreira já não controlava os filhos, mostra-lhe a impossibilidade de conciliação com o visinho. Aconselha-o a mudar-se. Com sacrifício, a família transfere-se para Nazaré. Em Março de 1918, apesar das recomendações do Juiz, Saturnino, vai a feira de Nazaré. Lá estava Virgulino a vender arreios. Ao avistá-lo, corre a procura dos irmãos. O fazendeiro regressava com o amigo João Flor, quando foi emboscado. Lutou cinco horas. Chegou a casa às nove da noite, certo de que os rancorosos rapazes voltariam a persegui-lo. Parentes e amigos de Saturnino acorrem armados a sua residência. A uma da madrugada estava cercado. Os atacantes retiraram-se as seis da manha depois de esgotada a munição. Os Ferreira, hospedados na casa do tio Manuel Lopes, prepararam-se dispostos a enfrentar a desforra, que não se fez esperar. Saturnino atacou com bastante gente, pondo os sitiados em perigo. O tiroteio foi pesado. Virgulino matara o filho de um morador de seu desafeto. A polícia não conseguia impedir atos de violência. Os choques sucediam-se. Em Nazaré organizaram volantes para capturar os filhos de Jose Ferreira, procurados por homicídio.
Raul Fernandes.

Um comentário:

  1. Veja como foi possivel começar toda essa historia: um chucalho amassado e o roubo de um bode.

    ResponderExcluir