Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 6 de maio de 2017

No Inferno - Postagem do Antônio Morais.

Estava fazendo um grande verão, a lavoura já secando, mas, todas as noites avistavam um relampinho bem longe no rumo do nascente. Amanhecia o dia e chuva nada.

O Chico Biloto, um caboclo de Acopiara, aproveitando a viagem que um vizinho seu teve que fazer ao Aracati, a fim de comprar cereais, em costas de burros, disse para a mulher: “Rosara, eu vou "pu Aracati tombem", quero vê onde diabo é aquele relampo todo dia!

Chegou no Aracati, sempre avistando o relampinho em frente. Deixou os companheiros e foi até a beira da praia, e de lá avistou o mesmo relampinho bem longe, no alto mar.

Danadinho de raiva voltou. Quando chegou em casa a mulher perguntou: “adonde é o relampinho, Chico?

E ele ainda com muita raiva, respondeu: “no inferno...”A mulher que era muito católica, começou a se benzer, dizendo: “Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria...”

Um comentário:

  1. Chico Biloto corria atras do relâmpago, Pepê corria léguas com medo. Isso é a natureza.

    ResponderExcluir