Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


domingo, 12 de março de 2017

045 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.



Augusto Lopes - Neguin de João Lopes.

Em 1970, foi inaugurado o Estádio Municipal Mauro Sampaio, o Romeirão na simpática cidade de Juazeiro do Norte. O Jogo inaugural teve a presença do Cruzeiro de Belo Horizonte que naquela época possuía  uma das melhores equipes do Brasil com craques do porte de Raul, Procópio, Piaza, Natal, Dirceu Lopes e Tostão. Embora   estivesse desfalcada  de vários deles. O primeiro gol do estádio foi marcado pelo atacante do Cruzeiro Evaldo. Os desportistas da região acorreram ao estádio para ver uma das melhores equipes do futebol brasileiro a época.

Onde entra Neguin de João Lopes nesta historia? Neguin era desmanteladinho a ponto de já está a perder a confiança da própria mãe. Para justificar sua presença no evento Neguin arquitetor um plano para convencer a mãe a matar umas galinhas, torrar e fazer uma farofa para ele vender no estádio. Saiu de Várzea-Alegre na fubica de Barroso com dois caldeirões de farofa e prometendo a mãe que ela ainda ia sentir muito orgulho dele, que ainda ia ouvir o nome dele nas rádios.

Passado o horário do jogo, a mãe de Neguin foi para casa da vizinha, pediu para ligar o radio e ficou ouvindo o noticiário: O coração quase explode quando o locutor disse: Atenção senhores e senhoras ouvintes da Radio Iracema de Juazeiro. Hoje, foi inaugurado o Estádio Municipal Mauro Sampaio, o Romeirão, na cidade de Juazeiro do Norte. Compareceram ao local o Governador do estado, Secretários de Estado, o Prefeito Municipal, O Padre Murilo que benzei as instalações etc. Tudo transcorreu na maior paz e tranquilidade, não fosse o desocupado, conhecido pela alcunha de Neguin de João Lopes que foi preso por desordem e embriagues.

Promessa feita, promessa cumprida: o nome do Neguin saiu na rádio. Augusto, o Neguin contava essa proeza,e, dizia rindo que a única coisa que ele achou ruim foi porque perdeu os caldeirões e um deles não pertencia a senhora sua mãe: era emprestado por uma vizinha.

3 comentários:

  1. Acompanhei a chegada do Cruzeiro no Aeroporto de Fatima na Chapada do Araripe. Pedro era um torcedor ardoroso da equipe mineira e teve, neste dia, uma de suas maiores alegrias. Neguim contava esta historia para os amigos. Não se sabe se verdade ou criação de sua fertil imaginação.

    ResponderExcluir
  2. Neguin realmente era cheio de presepadas. Quando passamos no vestibular ele entrou na nossa folia, mas, para isso, precisou se ajustar. So bebia conosco se raspasse a cabeça, pois todos estávamos com o coco raspado. Neguin não titubeou e ele mesmo passou a máquina no cabelo....

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir