Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

031 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Identificação: Por trás da esquerda para Direita: Noêmia Augusto, Risalva de Fatico, Isabel Caetano de Lima, Terezinha de Chagas Bezerra, Dolores Menezes Pimpim, Marta Correia.
Frente mesma direção: Messina Proto, Cassinha Romão, Mundinha Cassundé, professora Jacira Ribeiro,   Lilá Costa, Alaíde Siebra, Andradina Andrade. José Norões e Antônio Norões.

Escolas Reunidas.

Esta escola, foto de 1941, funcionava inicialmente onde hoje fica a casa de Dona Balbina Diniz. Depois mudou-se para onde fica o Grupo José Correia Lima à Rua Luiz Afonso Diniz.  

Como podemos observar, em 1941, escola parecia ser privilegio  para mulheres. Mas, Dona Santa Correia casada com Antônio de Norões, de famílias do Crato, matriculou  os dois filhos, esses meninos que estão bem sentados a frente da turma, netos do Cel Antônio Correia Lima.

Outra curiosidade é que, nesta turma, estavam duas filhas do Padre José Otávio de Andrade. Uma foto muito rica de informações. Depois da devida identificação  pude observar que conheci boa parte desta turma de alunas e alunos, embora a grande maioria já seja falecida.

6 comentários:

  1. Muito difícil a identificação. Eu mesmo conheci algumas, embora já falecidas. Tenho a identificação e a farei em seguida. São pessoas influentes em diversos segmentos da nossa sociedade, em especial na área da educação.

    ResponderExcluir
  2. Morais, Parabens pela postagem dessa foto. Fotos, como essa, enriquecem bastante o blog do Sanharol. Elas contam uma história silênciosa de uma época não muito distante que não devemos esquecer, mas aprender com ela. Parabens as famílias que se empenharam em educar os filhos num tempo em que pouco se dava valor ao saber. Quantas cabeças boas foram desperdiçadas por falta de escolas como essa! Quando examino fotos, como essa, tenho um sentimento de perda. A falta de educação é um erro que jamais deve se repetir, pois sabemos que a ignorância sai sempre mais cara do que o saber. Antonio Dantas

    ResponderExcluir
  3. Prezado Antonio Dantas.

    Fiz a identificação na frente da postagem para facilitar a visualização.

    ResponderExcluir
  4. Esta escola traduz a dificuldade de acesso à educação e ao mesmo tempo a preocupação de algumas famílias em educar seus filhos naquela época.
    Registro muito rico. Semente da primeira escola em que estudei e meu atual local de trabalho.

    ResponderExcluir
  5. Tá vendo Eliane,quando lhe falo da imensidão da minha família,você fica brincando!Essas crianças são netos de uma tia-avó minha(D.Maria Vitória)!

    ResponderExcluir
  6. Dessa turma conheci em Crato, A dentista Terezinha Alves Bezerra e a Hoteleira Alaíde Siebra, gente de brandura impar. Em Várzea-Alegre conheci Risalva de Fatico, Isabel Caetano, Dona Dolores, Dona Messina Proto e Andradina, essas duas ultimas filhas do Padre Otavio.

    ResponderExcluir