Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 31 de outubro de 2017

Velho traquina - Por Antônio Morais

Belisária chamou as filhas e fez a queixa cabeluda. Na dispensa estava faltando mantimentos, era hora de verificar o que o velho Januário estava fazendo com o dinheiro da aposentadoria dele e dela.

As filhas armaram uma espera e deram o bote. Foi o velho sair do banco com a bufufa no bolso e elas seguiram até a surpresa horrorosa.

O velho chega num cabaré onde já lhe esperam um punhado de sirigaitas para fazerem a fuzarca. Salomé, a filha caçula já queria tomar as dores no local, mas foi contida pelas irmãs sob o pretexto que melhor seria conversar em casa.

Quando o velho chegou foi aquele fuzuê, um cu de boi dos maiores, sermão de uma, conselho da outra até que Salomé, a mais revoltada, tomou a palavra e perguntou para o velho : Papai o que é que o senhor faz com aquelas quengas nesta idade, 87 anos?

O velho mordido de raiva respondeu : Eu boto pra fazer capitão!


Um comentário:

  1. Esses idosos costumam ser traquinas e peraltas. O capitão, aquela bolinha de carne de porco com cobertura de ovo até que é bom. Fazem também de feijão, farinha e toucinho.

    ResponderExcluir