Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


domingo, 26 de março de 2017

056 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Foto - Padre Otávio, as filhas Messina e Andradina, o filho padre José Wilson e o genro Luís Proto de Morais.

O Saudoso e respeitável Pe. Otávio, se a Câmara Municipal de Várzea-Alegre não lhe deu o honorifico título de "Cidadão de Várzea-Alegre". Falta lamentável, eu lhe rendo homenagem muito justa, chamando-o o "Pe. do Século", em Várzea-Alegre. Dos primórdios de nossa Paróquia, 1863, com o Padre Benedito de Sousa Rego, às suas despedidas solenes em 25 de março de 1969, mais de um seculo decorrido, foi ele, o Padre Otávio, aquele que mais tempo serviu, 34 anos, com dedicação que era de esperar de figura tão respeitável. 

Em meio as futricas da terra portou-se como um divisor de águas, mantendo a serenidade e a compostura, como já disse, sem atiçar as brasas, sem deixar queimar as fimbrias de sua batina. 

Transcrevo, para conhecimento de quantos o estimaram, os dados biográficos essenciais:

Filho de Antônio Cristiano de Andrade e Maria Pastora de Andrade, nasceu, aos 25 de Maio de 1896, na fazenda Umbuzeiro, em Bebedouro, hoje Aiuaba. Ingressou no seminário de Fortaleza a 29 de Maio de 1913. Deixou os estudos, em 08 de Dezembro de 1917. Casou-se, aos 25 de Maio de 1918, com Maria Andradina Pais de Andrade. Primeira viuvez aos 26 de Janeiro de 1926. Segundas núpcias, aos 02 de Outubro de 1927. Segunda viuvez, em 26 de Setembro de 1928. 

Retornou ao Seminário do Crato em 11 de Julho de 1929. Ordenação Sacerdotal, em Crato, aos 30 de Dezembro de 1934. Chegou a Várzea-Alegre em 24 de Março de 1935, para auxiliar o vigário, Padre Raimundo Dias Monteiro. Vigário Ecônomo, 02 de Julho de 1935 a 15 de janeiro de 1936. Provisão de vigário, de 15 de janeiro de 1937 até 25 de março de 1969.

Alguns anos mais nos concedeu a "Providência Divina" tê-lo como nosso boníssimo e zeloso pastor. A morte o colheu, no Recife, dia 09 de Setembro de 1972. Rendo-lhe minha homenagem, eu que sempre lhe rendi meu respeito e admiração. Seu busto, à frente da nossa matriz, é testemunho vivo da nossa imorredoira amizade. Que o vejamos com os melhores olhos, tanto nos merece, por justiça e sem favores, o Pe. José Otávio de Andrade.

Um comentário:

  1. Fez o meu batismo, a minha primeira comunhão e crisma. Todos esses sacramentos me chegaram por suas mãos.

    ResponderExcluir