Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 29 de outubro de 2016

Bastinha Job - Por Antônio Morais.


Cordelista, professora e responsável pela inclusão da disciplina de Literatura Popular do Curso de Letras da Universidade Regional do Cariri, Bastinha Job vem desenvolvendo o seu trabalho poético desde a infância. Pertencendo a Academia dos Cordelistas do Crato,  ela destaca com orgulho que “É bastante dizer que ela  (Academia) revelou inúmeros poetas, atualmente com mais de mil títulos publicados e mais de um milhão de folhetos lançados, com temáticas abrangentes”.
    
Quem é Bastinha?

Professora aposentada,
Cordelista na ativa,
Assaré do Patativa
É a minha terra amada;
Crato é a mãe idolatrada,
Que me acolheu em seu seio,
Aqui encontrei o veio
Da joia da Educação,
Da completa Formação
Que me deu força e esteio.

Bastinha Job, a irmã de Adalgisa Gomes de Almeida, de famílias do Assaré radicada em Crato. Um aluno proveniente do Exu, pela fama de valentia das duas cidades pernambucana e cearense, inclusive com o assassinato  do professor José Primo de Brito por um aluno do Exu, e a capação de um  rapaz acusado de  malinar uma moça no Assaré se deu  o presente dialogo entre  aluno e professora em plena sala de aula:

Aluno :

Se você me reprovar eu lhe mato que eu sou do Exu.

Professora Bastinha :

E eu lhe capo que eu sou do Assaré.


Um comentário:

  1. Grande Bastinha!
    Inteligente, mordaz, ela gosta do que faz.
    Mereceu a homenagem que o Blog do Antônio Morais fez.
    Parabéns!

    ResponderExcluir