Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 14 de outubro de 2017

Eu sou você amanhã - Por Eduardo Petta.


Os mais velhos advertem: aproveite mais a vida, não leve tudo tão a serio e busque mais o prazer. Eles Sabem o que falam. Em alguns países da África, costuma-se dizer que cada ancião que morre é uma biblioteca que se perde.

É bem possível mesmo. Os mais velhos são uma fonte de experiência e saber acumulados ao longo dos anos – prova disso é que, quando ainda não existia a escrita, todo o conhecimento de uma determinada cultura era transmitido boca a boca a partir dos antigos.

Era como se eles encarnassem uma espécie de enciclopédia viva.

Com mais tempo de estrada, os idosos realmente tem propriedade para falar. Já tropeçaram, levantaram e quase sempre descobriram a duras penas o que deveriam ou não ter feito.

Prova disso é que aquelas frases feitas que agente cansou de ouvir das nossas avós tinham algum fundo de verdade – vai dizer que nunca se lembrou do famoso “saco vazio não para em pé” depois de morrer de dor de estomago por ter ficado horas sem comer? Grande sabedoria – ainda que de bolso – que poderia ter sido usada a tempo.

Um comentário: