Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

BALADAS DE OUTRORA - POR XICO BIZERRA


As meninas, bem mais recatadas que as de hoje. Nós, recém saídos da adolescência, sonhávamos a semana inteira com aqueles sábados, com aquelas tertúlias. Cada fim-de-semana na casa de um, em sistema de revezamento. Havia a necessidade do ‘esquente’, antes da festa, para ter coragem de tirar as meninas recatadas para dançar. Mas havia, também, a falta de dinheiro, fator que limitava um ‘esquente’ decente. O jeito era, num só copo, misturar conhaque, cachaça, rum e um pouco de cerveja e, copo cheio, botar aquelas mistureba pra dentro deixando o fogo sair pelas ventas. Pouca coragem, quase nenhum dinheiro. Bom e barato. Nada de beber lenta, gradual e socialmente. Bastava uma dose e estávamos no ponto para dançar. E aquelas moças, bonitas e recatadas, aceitavam um convite à dança de um cabra cambaleante e com um hálito de quem engoliu tudo que não presta misturado com tudo que também não presta. Mas os tempos eram outros e aquelas moças dançavam a noite toda com aquela cambada de cabrinha recém-saído da infância, com todos os hormônios saindo pelos poros e com todas as catingas saindo pelas bocas. A embalar os sonhos ouvia-se Paulo Sérgio, Roberto Carlos e, tantas vezes, Renato e seus Blue Caps. Dançávamos, alegres, festiva e inocentemente bêbados.

10 comentários:

  1. Prezado Xico Bizerra.

    O seu texto rebusca como bem diz o titulo: "AS baladas de outrora".

    Epoca de grandes dificuldades, mas talvez por isso, tenha sido a face mais dourada de nossas vidas. O esquente tinha que ser pra valer, o medo de levar uma mala não era brinquedo não. Mas as meninas recatadas eram bem educadas e tinham o devido respeito pelo marmanjo mesmo cambaleando e fedendo a jurubeba.

    Parabens pelo texto.

    Antonio Morais.

    ResponderExcluir
  2. Mas era muuuuuuuuuuuuuuuuuitobom!!!!!
    Mesmo com pouco onada de dinheiro vivemos momentos lindos, que a juventude de hoje estálonge de saborear comtoda essa facilidade e modernidade. Não tenho inveja. Vivi!

    ResponderExcluir
  3. XICO, VOU SÓ ACRESCENTAR OS NOMES DOS CANTORES MAIS TOCADOS NAS TERTÚLIAS DE ICÓ, LIMA CAMPOS E ORÓS-CE:
    JOSÉ ROBERTO, ODAIR JOSÉ, ÂNGELO MÁXIMO, JOSÉ RIBEIRO, WANDERLEY CARDOSO, JERRY ADRIANE, EVALDO BRAGA, DIANA, CONJUNTO OS SUPER QUENTES, THE FEVERS, INCRÍVEIS, VIPS, RENATO E SEUS BLUE CAPS...
    PARECE QUE EU ESTOU OUVINDO O SOM DA RADIOLA DE D. OCÍLIA TOCANDO ESSES DISCOS.
    NUNCA GOSTEI DE BEBER, MAS ME DIVERTIA MUITO COM AS PRESEPADAS DOS BÊBADOS.

    ResponderExcluir
  4. Prezado João Dino.

    Foi numa destas tertulias, lá pelos idos de 1970 que o nosso colega do Estadual Anario foi falar namoro para uma colega de classe.

    O esquenta tinha sido meio exagerado e Anario disse para sua pretendente: Vi saber se voce quer namorar comigo porque Morais e Jose Flavio mandaram.

    A garota sorriu e respondeu. Pois volte e diga pra eles que eu não quero não. Foi a cantada mais desastrada que vi na minha vida, e tambem a maior mala.

    O Anario ficou desnorteado. Perdeu-se no caminho de casa.

    Tempos bons aqueles.

    ResponderExcluir
  5. É...

    Morais:

    Aquilo era música, tinha o magnetismo de embalar e enebriar a alma, consequentemente, o corpo não resistia em ficar parado com tanta moça bonita no salão ou na latada. O rapaz se enxeria e cheio de ousadia e meropéia ia e tascava uma cantada... Mesmo que fosse só pra dançar e você tem razão, dependendo do caso, elas não rejeitavam o sujeito pois queriam mesmo era fazer bonito no salão com suas saias tomando ar e virando um balão, as vezes aparecia até a curva da perna para delícia da rapaziada.

    ResponderExcluir
  6. É...

    Ei cara:

    fiquei empolgado com o Roberto Carlos e enquanto escrevia meu comentário ele fugiu!

    ResponderExcluir
  7. Eu fui postar a foto e o vídeo sumiu. Coisa de amador. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É...

      Quiá quiá quiá quiá quiá. Pensa que eu num tô de ôio é?

      É fácil colocar o vídeo de novo. Abra um espaço abaixo da foto, ponha o cursor no lugar desejado, escolha o vídeo e insira novamente.

      Excluir
  8. Essa aula vai ter que ser pessoalmente. Antes tinha um aplicativo que baixava o vídeo. Depois levávamos para a postagem. Mandei formatar a CPU e sumiu tudo. O face é bem mais fácil, é só copiar o Link.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E...

      A grande desvantagem é que quando você copia o link e posteriormente o autor retira a imagem ou o vídeo da internet, a sua postagem perde um referencial importante. O melhor mesmo é copiar para um arquivo e depois levar para o Blog. Passarei por ai.

      Excluir