Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Gente ou objeto - Por Xico Bizerra.


GENTE OU OBJETO.

Desde cedo, tempos de escola, se mostrava capacho e treinava para o futuro denunciando colegas ao bedel. Agora, sua vocação se mostrava de forma mais nítida, mais acentuada. Uns na vida são gente, outros, objeto e outros até menos que isso. Ria dos colegas, com um riso frágil como sua alma, sua postura, seu viver. Índole servil, não levantava a cabeça quando se tentava olhá-lo nos olhos. 

Ia às Assembléias dos trabalhadores onde todos arriscavam a pele. Ele não: ficava quieto, ausente, mudo, sem coragem de votar contra mas já certo de furar a greve que se aproximava. Sabia a quem bajular, não se importava com a omissão e traía quem não fosse pelego, como ele. À noite, na sombra da covardia, abraçado ao travesseiro da consciência pesada, se perguntava: em que dia dormirei?

Xico Bizerra.

Um comentário:

  1. Prezado Xico Bizerra.

    Quanta "Gente e Objeto" encontramos nos dias atuais nesta sociedade de hipocritas e egoistas?

    Levando-se em conta que esta geração foi alicerçada em outros costumes, teremos uma ideia do que virá no futuro, com esta nova safra que se forma, sob os efeitos do mal exemplo, da falta da etica, moral, do respeito e até do medo: Não se temem mais nem a Deus.

    Parabens Xico.

    Um grande abraço.

    Antonio Morais.

    ResponderExcluir