Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Praça Siqueira Campos - Por Antônio Morais.


Praça Siqueira Campos. A pracinha de muitos encantos e sonhos de uma juventude que ainda tem, na maturidade, a capacidade de sentir saudades. 

A pracinha do Cassino, do Café Líder,  da Sorveteria do Bantim. Esta pracinha castigada pelo tempo, pelas modelações e reformas impostas pelos gestores aí está na foto. Bonita, sem encanto, sem aconchego, sem gente.

O flabelar dos leques de seis palmeiras é o que lhe resta para testemunhar a derrubada de outras árvores, a troca do piso e dos bancos que não encontram quem os ocupe. 

Não há mais o afeto do flerte, o encanto do trocar de olhares, porque tudo isso desapareceu, está em desuso, fora de moda. Uma pena.

5 comentários:

  1. As praças são espaços livres, de convivência e de lazer, incorporados à paisagem urbana que fazem parte da vida das pessoas.
    A Praça Siqueira Campos foi isso. Ela foi mais importante no passado, quando, à noite, servia de espaço para os namorados e para a conversa entre amigos e conhecidos.
    Mas, durante o dia, apesar do desprezo que recebe dos poderes públicos ainda é um local ameno na cidade de Crato.
    Lembro-me de quando aquela praça era o espaço dos comícios memoráveis e de concentrações cívicas diversas.
    Hoje, com a decadência moral e cívica generalizada da sociedade e do Brasil, a Praça Siqueira Campos ainda resiste... Até quando?

    ResponderExcluir
  2. Aqui em Sanharó, a Praça Major Sátiro, nos sábados após a missa, ficava cheia. As pessoas se reuniam na praça, casais namoravam, as crianças corriam, era uma festa. Hoje à praça não tem mais aquela alegria de outrora. Talvez a violência seja culpada desse esvaziamento. Talvez a culpa seja das redes sociais, prendendo as pessoas a um teclado de celular. A culpa pelo abandono da praça não sei a quem atribuir, só sei que a velha praça está abandonada e o restou foi apenas saudades.

    ResponderExcluir
  3. Corrigindo: ... e o que restou foi apenas saudades.

    ResponderExcluir
  4. As causas são as mesmas. As pessoas não tem mais o carinho, o afeto e o aconchego de outrora. Estão todas afundadas em seu isolamento.

    ResponderExcluir
  5. Na Siqueira Campos, sempre ou ao Crato, tenho que passar no Buba"s Bar, bem na esquina.ótimo ambiente e excelentes petiscos, boa comida!

    ResponderExcluir