Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quarta-feira, 5 de outubro de 2016

O Soldado Duzentos - Por José Figueiredo de Brito Filho.

O SOLDADO DUZENTOS.

Eu não sabia por quais artimanhas - era conhecido por ter botado pra correr, sozinho o temível, Lampião e seus numerosos bandoleiros.

Somente anos depois  vim saber a verdade, narrada pelo próprio ex-policial. O nome do personagem era João Paulo da Silva, natural da cidade paraibana de Sapé, casado com a brejo santense dona Vitoria. 

O soldado Duzentos, sem o auxilio de outros praças, botou o quadrilheiro e seus asseclas pra correr. Antes de atacar a cidade, Virgulino, cautelosamente, despachou um de seus capangas como olheiro para estudar e avaliar o terreno. Regressando o espião, perguntou-lhe o famoso chefe cangaceiro : 

E então cabra... Quantos macacos estão acampados? E ele trocando as bolas na pressa da informação, ao invés de dizer: Só vi o soldado "Duzentos", foi enfático : Eu só vi "Duzentos" soldados.

Nem é preciso dizer que o destemido Capitão Virgulino Ferreira, prudentemente,  mas que depressa, pegou o caminho da mata, seguido por sua cabroeira, deixando assim  o sortudo povoado em paz. E, pra sorte do próprio soldado Duzentos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário