Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


terça-feira, 6 de março de 2018

011 - O Crato de antigamente - Por Antônio Morais.


Juarez Batista de Sousa começou sua trajetória de comerciante com uma bodega no Sitio Mocotó em Várzea-Alegre.

Em seguida  se transferiu para o Crato onde  fundou a empresa - Comercio de Estivas e Cereais Ltda, e foi um dos maiores comerciantes do ramo de estivas e cereais da região, com filiais em Fortaleza, Juazeiro do Norte, Barbalha, Araripina, Petrolina e Recife.

Foi na sua época o maior distribuidor de farinha de trigo, açúcar e óleo  da região.

Certa feita fez uma promessa que em alcançando a graça  iria do Crato até o Horto do Padre Cicero  com o seu melhor amigo a pé com os sapatos cheios de caroços de feijão.

Foi difícil encontrar o amigo, mas um chapeado conhecido por Carrapicho se prontificou a acompanhá-lo. Dizia : amigo é pra essas coisas.

Saíram pela rua Duque de Caxias e quando iam na igreja de São Francisco "Carrapicho" pediu arrego : Seu Juarez eu não aguento mais, os meus pés estão papocando. Retirou  os sapatos e os caroços de feijão caíram  no asfalto. Juarez observando  a cena perguntou : E tu botou foi feijão cru.

2 comentários:

  1. O Crato alegre e bem humorado passa pelos seus contadores de histórias.

    ResponderExcluir
  2. Kkkkk conheci o sr juarez eo carrapicho.

    ResponderExcluir