Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sábado, 25 de março de 2017

041 - O Crato de Antigamente - Por Antônio Morais.


A primeira vez que estive pessoalmente com Luiz Gonzaga, na sua intimidade sertaneja, foi na década de 80 do seculo passado.. Sair de Crato cedinho  com  o amigo José Gilberto Mendonça, foto, para sua  fazenda em Granito. Fazenda Baraúnas, rebatizada  Santa Tereza. Local aprazível.  Muita água no açude, muito gado no pasto, fartura de tudo em especial de hospitalidade do proprietário.

Depois do almoço retornamos para o Crato.

Depois de Exu, já  no começo  da subida da serra, Gilberto Mendonça entrou para  Fazendo do irmão Humberto. Quando  descemos do carro que chegamos na alpendrada da casa havia uma rede armada e um corpão esparramado dentro tirando um deforete. Debaixo da rede uns chinelos de couro que identificavam o dono.

Com a nossa zuada o homem acordou. Se levantou, foi no banheiro, lavou as mãos e o rosto, e, por fim, se dirigiu a Dona Cecilia e domestica da casa nos seguintes termos : Cecilia, traga uma porção de coalhada pra mim que eu quero ir bufando pra esses "Mendonça" até o Crato. Era Luiz Gonzaga,  amigo dos Mendonça. 

Viemos juntos até o Crato e felizmente como o percurso era pequeno não deu tempo a coalhada fermentar. Depois de um breve descanso  na Casa do Gilberto no "Sitio Bucânia" Luiz  Gonzaga viajou, à noite, para Recife.  

Um comentário:

  1. José Gilberto Mendonça, grande amigo, faz parte de minhas saudades.

    ResponderExcluir