Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


sexta-feira, 16 de junho de 2017

097 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


Há duas década eu fui convidado  para participar de um encontro, uma reunião festiva de amigos conterrâneos, em Fortaleza. Durante gerações ouvir falar que havia uma  amizade e consideração recíprocas. Cair na besteira de ir.

Mais que nada, contei uma historinha dos velhos tempos, e, um deles, o que parece ter mais dinheiro, me olhou de soslaio e perguntou : E, tu ainda lembra disso?

Pra que foi dizer? Minha reação foi igual a sua podreza espiritual. Respondi-lhe na bucha : lembro, eu lembro que acordava as quatro horas da manha, ia para o curral, tirava o leite de uma vaca e descia com um balde com dois litros pendurado na mão. Varava água e lama da cancela de João do Sapo até a casa de Manu na entrada da cidade. 

Ia direto para a casa dos teus pais. De lá corria para o colégio onde me preparava para o "Admissão ao Ginásio". No fim do mês fazia-se a conta do leite e diminuía-se do valor da mensalidade escolar. Ficávamos quites.

Eu lembro porque sei quem bebia aquele leite. Eu lembro porque sei o quanto foi importante para mim.  Os seus títulos e anéis, o seu saldo no banco, seu status social não lhe permitem desconhecer o esforço que os teus pais fizeram em seu favor. 

Pense nisso, todos teremos, um dia, o mesmo fim : Debaixo de uma pedra fria com os indefectíveis dizeres - "Aqui jazem".

Um comentário:

  1. É isto mesmo. Não deixa de ser assim. O orgulho não leva a nada, a humildade triunfa sempre.

    ResponderExcluir