Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 23 de junho de 2016

VICENTE ESTEVÃO DUARTE, VICENTE CESARIO - POR ANTONIO MORAIS.


Vicente Cesário fazia a faxina de sua barbearia quando Luiz Proto de Morais se aproximou e o convidou para ir ao Recife assistir a festa de formatura de seus filhos.

Eu não posso ir, disse Vicente Cesário, não posso deixar a barbearia abandonada. Luiz Proto adiantou que eram apenas três dias. Sairiam na quinta-feira pela manha, descansavam a sexta-feira durante o dia, à noite assistiam as formaturas, no sábado iam dar umas voltas pela praia e ao domingo cedinho voltavam para Várzea-Alegre.

Apresentado o roteiro da viagem, Vicente Cesário perguntou e quanto você vai gastar com essa viagem? Luiz respondeu a despesa é uma só, você indo ou não. O carro é o mesmo, o motorista também, portanto não se fala em despesas porque corre tudo por minha conta.

Então Vicente faz a sua sugestão final: Luiz pra mim é melhor você me dar o dinheiro que ia gastar comigo nessa viagem que dar para eu tomar quatro porres nos próximos fins de semana. Nós não podemos deixar as quengas do Engenho Velho desassistidas não homi! Você vai sua viagem e eu fico.

8 comentários:

  1. Aí é que se pode chamar amor as coisas da terra. Grande Vicente Cesario.

    ResponderExcluir
  2. O velho e bom "engem véi" ..... kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Morais...
    Eu adoro as histórias de seu Vicente Cezário bem como sempre tive muita inveja de seu Luiz Proto. Nunca toinha B'água deixou a gente tomar daquelas cerveja geladas especialmente para o simpatico seu Luiz Proto.

    ResponderExcluir
  4. luiz Proto vinha entrando no quarto 'as 3;00 hs da manhâ com os sapatos nos dedos e andando d eponta de pé. Aí a esposa dele perguntou:
    Ei, prá onde pensa que vai?
    Aí ele:
    Vai não, eu já tô é chegando!

    ResponderExcluir
  5. Vicente Cesário era nosso vizinho. Certa fez Otacílio Correia chegou a sua barbearia e lhe fez a seguinte pergunta. Vicente!!!!, Onde anda aquele rapaz que trabalhava aqui com você???, Acredito que ele vai dar certo trabalhar comigo. Otacílio!!!!, Coloquei-o pra fora. Otacílio pergunta, por que Vicente????, Aquele sujeito tinha três pequenos defeitos. Otacílio apreensivo, pergunta, quais são os defeitos?????, Vicente responde: era mentiroso, gostava de mexer no alheio e dava o cu. Boas informações prestadas para quem queria um cidadão para o trabalho do dia-a-dia.

    ResponderExcluir
  6. Certa vez chegou um paulista para tomar um banho nos banheiros da barbearia. Quando desceu as escadas encontro um cururu muito grande e ficou com medo. Voltou e disse para Vicente, amigo!!!!, Eu desisti do banho. Vicente perguntou, por quê????, Lá dentro tem um cururu muito grande e eu fiquei com medo. Vicente Cesário com toda sua educação disse-lhes, amigo, pode voltar e tomar seu banho tranqüilo, uma coisa eu garanto: ele não vai comer seu cu, ok!!!!!, obrigado!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Dona Dejanira era sua esposa e sua família pertencia aos moradores da comunidade conhecida por capão. Certa fez sua esposa, Dejanira falou, Vicente!!!, Vou fazer uma visita aos meus parentes no Sítio Capão, você permite????, Pergunta Dona Dejanira. Vicente responde: com certeza, agora eu queria fazer um acordo com você, por favor, fique por lá mesmo e não volte mais.

    ResponderExcluir
  8. João Bitu.

    Você traz três narrativas que se juntando ao texto inicial formam um todo que traduz bem o nosso ilustre Vicente Cesário. Homem bom, bem humorado, alegre e amigo.

    Obrigado.

    ResponderExcluir