Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Proezas de nossa gente - Por João Pedro.



Não conheci Joaquim André do Sanharol, mas, por informações sustentáveis era muito brincalhão. Pra tudo tinha uma lorota, uma lera. Amigo de todos, e, entre as qualidades atribuídas a ele, tinha a de ser rezador em animais doentes. 

O povo acreditava, ele não se furtava de fazer a reza e muitas vezes, por coincidência, pela fé ou pela reza, os animais ficavam bons.

Certa feita, uma vaca de Vicente de Santiago adoeceu e Vicente mandou um portador pedir para tio Joaquim André rezar na vaquinha. A vaquinha estava entanguida, com a espinhela caída, sem comer, e, triste chorando dos olhos. Segundo o portador a barriga estava igual a uma cabaça de golo cheia d’agua, quando a vaca andava a barriga fazia choc, choc, choc...

Como por um milagre, no outro dia, a vaca estava curada, boa danada, até dando mais leite que de costume. Vicente foi a casa do tio Joaquim André agradecer pela reza, e, tio Joaquim disse: meu sobrinho, que bom que sua vaquinha ficou boa, eu recebi o recado que você me mandou por Benedito de João de Martins, me esqueci de fazer a reza, mas eu ia rezar amanhã.

4 comentários:

  1. João Pedro.

    Aí é o que se podia chamar de reza forte. A vaca já estava curada e a reza ainda estava por fazer. Mas eu posso lhe garantir que a historia é verdade, sou testemunha do fato.

    ResponderExcluir
  2. João Pedro, foi a força da fé.Só em pensar que a vaca foi rezada, já se acreditou na melhora. " Anda com fé eu vou que a fé não costuma falhar".
    Fafá

    ResponderExcluir
  3. Ei João Pedro gostei da história, mas fique sabendo que esse negocio de rezadeira e benzedeira e verdadeira, mas verdadeira ainda é a fé a pessoa tem.
    Continue procurando que você vai encontro um tantos parecidos.
    Um forte abraço
    Íris Pereira

    ResponderExcluir
  4. João Pedro:
    Meu caro JP vc ainda não é um J Q como disse o Xico Bezerra mas tem talento,se realmente gosta de contar história vc tem uma bela fonte, para contar causos do seu bisavô e do meu querido pai, tudo para eles era uma brincadeira mesmo nas horas difíceis.
    Um abraço meu caro J P.

    ResponderExcluir