Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Do livro Lampião em Mossoró - Raimundo Nonato.

Houve, realmente, de 1912 a 1930, clima próprio ao vicejar dessa planta daninha e maldita que foi o banditismo nordestino.

As agitações politicas que abalaram os grandes centros do pais, tinham as suas raízes plantadas no obscuro sertão. 

Os coronéis e chefes políticos, de vilas e cidades, cercavam-se de contraventores da lei, a sua brigada de choque e paus para toda obra. Os afamados Contendas, Os Dungas, Os Zé-Inácios de Barros, os Maciéis e caterva, foram chefes temidos pelo seu poderio nos rifles de assalariados. 

Eles e outros, não eram mais que satélites de Juazeiro do Norte do Padre Cicero, centro convergente do fanatismo, mistico e criminoso : Uma horda sem lei, sem luz e sem ordem. E, segundo o testemunho de abalizados observadores do meio e do homem, e que fixaram a gênese da Sedição de Juazeiro foi daquele antro todo o nordeste, a onda canibalesca do banditismo.

O banditismo oficializado tomou forros de coisa aceita de fato, nos vastos sertões do nordeste, sendo Juazeiro a Meca das hordas bárbaras que iam receber a benção do padrinho Cicero.

Lampião, ali, invernava com os sequaces, descansando, refazendo-se, e se restabelecendo de armas e munições que lhe eram ofertadas ou vendidas pelos seus agentes e protetores, existentes até nos meios mantenedores da ordem. 

Só depois que Lampião assaltou Mossoró e diante do movimento geral de repulsa e repercussão causada pela sinistra aventura, fracassada felizmente, é que se generalizou o combate ao banditismo no nordeste, numa ação convergente de todos os governos. 

Uma caça as feras, constante e sistemática, foi estabelecida, até que, afinal o valoroso e valente Tenente Bezerra deu cabo da vida ao quadrilheiro famoso pelas suas correrias, sangrentas através de seu vasto trato do sertão nordestino.

Um comentário:

  1. Na verdade sem o apoio das autoridades nordestinas, especialmente as do Ceará, Lampião não teria sido tão temido no nordeste. A história dos encontros e desencontros com essas autoridades estão mal contadas. Contam-nas de acordo com os interesses e conveniências atuais.

    ResponderExcluir