Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

401 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


José Raimundo de Morais, José André do sitio Sanharol, foto dizia que a pior coisa que existia pra ele eram as reuniões de escola, pais e mestres. O seu quatro filho era meio peralta. Desligado dos estudos e traquino no comportamento.

José André falava que do começo ao fim da reunião a diretora só olhava pra ele. E, tome reclamação e admoestação pelo comportamento do filho.  

Isso criou  um clima  ruim entre ele e o filho, e, muito pior do filho com a escola, a diretora e os professores.

Um dia, a professora de historia fez um quesito na prova : "Cite o nome de três inconfidentes".  Resposta do aluno veio por escrito : José Teixeira, Raimundo Silvino e João Pimpim. 

A professora, é claro, não gostou de ver o nome do marido entre os inconfidentes. Foi o zero mais bem aplicado da história do colégio.



2 comentários:

  1. Essa posição dele sentado era tradição. Aí desse jeito ele zoava com todo mundo.

    ResponderExcluir
  2. Toda dardinha, meu avô, Antonio Gonçalo Araripe, se dirigia à casa do seu vizinho, Zé André, para, juntos a outros amigos do lugar, baterem papos, contarem causos e estórias da vida.

    ResponderExcluir