Páginas


"Ultrapassa-te a ti mesmo a cada dia, a cada instante. Não por vaidade, mas para corresponderes à obrigação sagrada de contribuir sempre mais e sempre melhor, para a construção do Mundo. Mais importante que escutar as palavras é adivinhar as angústias, sondar o mistério, escutar o silêncio. Feliz de quem entende que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo".

Dom Helder Câmara


quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

370 - Preciosidades antigas de Várzea-Alegre - Por Antônio Morais.


“Eita taboca lascada este povo tá levando se não existir céu nem inferno”.

Chagas Taveira.

Historia.

Dia de São Raimundo Nonato, tudo pronto para o encerramento. O povo em procissão pagava promessas as mais diversas.

Uns descalços, outros com uma pedra na cabeça, alguns ajoelhados, uns carregavam o andor, outros ofereciam ofertas em ação de graças etc.

Chagas Taveira que havia deixado outros tantos ou mais tomando cerveja gelada com tira gosto, ouvindo musica e papeando nas barracas, observando o movimento de penitencia falou para um amigo: “Eita taboca lascada esse povo tá levando se não existir céu nem inferno”.


2 comentários:

  1. A Morais,tem um soneto muito lindo girando pela internet:de luiz lisboa,comentarios dizem que é uma obra prima,ai vai um pouco:
    Tu és o quelso do pental gamírio
    Saltando as rimpas do fermim calério
    Carpindoas taipas do furor salírio
    Nos rúbioscalos do pijom sidério
    Esclarecimeto:eu sou luiz lisboa do saró,creio que o pai do outro luiz plagiou o meu nome.rsrsrs.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Primo Luiz.

    Segundo a sabedoria de Raimundo Sabino uns versos dificeis destes não nasceu de um descendente do Amaro não.hahaha

    Mas, nestes dias estarei postando um verso do Antão de Raimundo Teté que faz todos morrer de rir.
    Abraços.

    ResponderExcluir